Resenha: Batman vs. Superman tem abordagem adulta e explora a influência de super-heróis no mundo real

Por Samir Naliato
Data: 24 março, 2016

Há quase três anos, a Warner Bros. confirmou que faria uma continuação de O Homem de Aço (2013), durante um anúncio na San Diego Comic Con que rapidamente atraiu a atenção de todos por confirmar o encontro de Batman e Superman pela primeira vez no cinema.

Nos quase mil dias seguintes até a estreia, que acontece hoje (dia 24 de março) em circuito nacional, poucas vezes se viu uma cobertura tão grande, incluindo rumores e especulações em doses diárias.

O filme tem uma responsabilidade que vai muito além de seus 150 minutos de projeção, pois é a partir dele que todo um cronograma de aproximadamente dez longas-metragens se apoia. O objetivo foi alcançado?

Batman vs. Superman - A origem da justiçaBatman vs. Superman - A origem da justiça

Batman vs. Superman – A origem da justiça segue os acontecimentos de O Homem de Aço (leia nossa crítica aqui). Como já havia ficado claro nos trailers e sinopses divulgados, a batalha de Metrópolis entre Superman e General Zod é o ponto de partida para toda a trama e a obsessiva missão autoimposta do Batman para deter o herói kryptoniano, que ele acredita ser uma ameaça para toda a raça humana.

Ao revisitar a destruição da cidade sob a perspectiva de Bruce Wayne e da população da cidade, a sequência lembra o que foi visto nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, em Nova York. Este é o evento definidor deste universo cinematográfico.

Por todo o mundo, buscas são feitas para recuperar artefatos kryptonianos.

A partir daí, outros personagens são introduzidos, dentre eles Alfred Pennyworth, Lex Luthor, Mulher-Maravilha e Apocalypse.

O decorrer da história é bem diferente do que os trailers dão a entender. É um filme com abordagem adulta, cuja maior parte do tempo é dedicada a analisar e explorar a identidade civis desses personagens e a repercussão que seres com habilidades especiais teriam em vários aspectos da sociedade, como entretenimento, política e religião.

Esses temas, apenas plantados em O Homem de Aço, são colocados em prática.

SupermanBatman

Na minissérie Batman – O Cavaleiro das Trevas, de 1986, o autor Frank Miller criou passagens nas quais programas de televisão e telejornais discutem sobre as ações do Morcego. O mesmo é feito aqui, mas focando no Superman e nas repercussões e análises causadas em todo o mundo a cada aparição dele.

A produção chega a usar famosos analistas políticos, cientistas e jornalistas para reforçar o impacto das mensagens.

O mesmo acontece em outras esferas da sociedade. Políticos estão preocupados e iniciam vários debates sobre o tema, inclusive convocando o herói ao Capitólio dos Estados Unidos, para prestar esclarecimentos, numa sequência com desfecho surpreendente.

No meio de toda essa superexposição, Clark Kent começa a ter dúvidas sobre seu verdadeiro papel no mundo.

E se os fãs estavam preocupados em ver o Batman se sobressair em detrimento do Superman, isso não acontece. O Último Filho de Krypton é a força motriz da trama e os personagens coadjuvantes são praticamente todos de sua mitologia. A julgar pelo final, ele terá também grande destaque em Liga da Justiça.

Mas, claro, Batman tem bastante tempo de tela, uma vez que um personagem tão importante precisava ser reapresentado nesta nova versão. Assim, se vê novamente a origem, com o assassinato dos pais, pequenas dicas sobre sua carreira de combate ao crime e como tudo isso o tornou um homem mais cínico e violento. A sua aparição inicial lembra um filme de terror.

Mulher-MaravilhaLois Lane

Como se não bastasse os dois heróis se enfrentarem, outra ligação é feita pelo roteiro. A boa sacada de usar a similaridade nos nomes das mães dos personagens – Martha Kent e Martha Wayne – tem grande importância.

Infelizmente, no final das contas, o embate entre ambos acabou sendo curto depois de tanta expectativa.

O mordomo Alfred Pennyworth é o único outro personagem ligado ao Cavaleiro das Trevas a aparecer, numa versão um pouco diferente das anteriores. Aqui, ele ajuda a desenvolver equipamentos e colabora com missões. Normalmente em tom sarcástico, tenta ser a voz da razão para a conturbada mente de Bruce.

Já Lex Luthor tem participação decisiva ao manipular os acontecimentos que levarão ao confronto dos dois heróis, além da criação do monstro Apocalypse. Esta reimaginação do vilão, interpretada por Jesse Eisenberg, é bastante diferente do que foi visto anteriormente e também das encarnações dos quadrinhos.

Enquanto o ator tem um bom desempenho no papel que lhe foi dado, talvez cause estranheza, principalmente dos fãs de quadrinhos, por misturar elementos do homem de negócios com o cientista maluco, acompanhado por uma personalidade psicótica e desequilibrada que às vezes parece a do Coringa.

Entretanto, é interessante ver como Luthor estava consciente da existência de outros meta-humanos e pesquisava sobre o assunto, um passo à frente de todos os outros, inclusive Batman, cego pela sua obsessão pelo Superman.

Lex LuthorAlfred Pennyworth

Os outros meta-humanos mencionados são Mulher-Maravilha, Flash, Aquaman e Cyborg. Enquanto os dois últimos têm rápidas aparições, o Flash surge numa segunda cena, que lembra muito uma passagem similar da saga Crise nas Infinitas Terras, para entregar um recado ao Batman.

A Mulher-Maravilha, entretanto, tem uma participação maior, e a atriz Gal Gadot convence sempre que está em cena.

Todo o elenco, aliás, tem boas performances. Principalmente Ben Affleck, que se provou capaz de viver o personagem tanto como Bruce Wayne quanto Batman, mostrando que as reações explosivas ao seu anúncio no elenco na internet foram exageradas.

Outras passagens que merecem citações são as referências ao vilão Darkseid e à Caixa Materna (uma espécie de computador vivo), famoso artefato do Universo DC usado também pelos Novos Deuses. Os dois serão importantes em futuros filmes.

Batman vs. Superman - A origem da justiça

Enfim, há muita coisa que o longa-metragem tanta abordar. E ao acomodar tudo isso, mesmo em duas horas e meia de projeção, é que os problemas começam.

O filme é desequilibrado na maneira em que foi montado, e transições de cenas são abruptas, causando incômodos cortes que prejudicam a fluidez da narrativa. É como se fossem dois filmes em um, sendo que a primeira parte é lenta e introspectiva, e a última é um festival de lutas e efeitos especiais.

Os dois elementos poderiam ter sido mesclados de maneira melhor, o que tornaria a experiência mais agradável para o espectador. A trama aborda questões muito interessantes, mas as entrega de maneira desorganizada.

A luta contra Apocalypse, embora empolgante, por ver a Trindade reunida na telona, é confusa e cansativa, com um excesso de explosões de energia emitidas pelo vilão.

Por fim, foi decepcionante ver que a destruição de Metrópolis e a morte do General Zod pelas mãos do Superman não foram exploradas pelo ponto de vista do kryptoniano, e como os dois acontecimentos o afetaram. Foi uma oportunidade desperdiçada, e que só acrescentaria no desenvolvimento e amadurecimento do personagem.

Batman vs. Superman – A origem da Justiça ainda apresenta passagens de histórias famosas dos quadrinhos (algumas não foram abordadas aqui por causa de spoilers, mas fique atento ao próximo episódio do podcast Confins do Universo, no qual o filme será debatido em detalhes).

Batman vs. Superman – A origem da justiça
Duração: 151 minutos
Estúdio: Warner Bros.
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Chris Terrio e David S. Goyer
Elenco: Henry Cavill, Ben Affleck, Amy Adams, Jesse Eisenberg, Gal Gadot, Diane Lane, Laurence Fishburne, Jeremy Irons, Holly Hunter, Scoot McNairy, Harry Lennix, Tao Okamoto e Callan Mulvey, Jeffrey Dean Morgan, Lauren Cohan, Kevin Costner, Ezra Miller, Jason Momoa e Ray Fisher.

• Outros artigos escritos por

.

  • Homem Simpson

    Atenção dcenetes!
    Rezem para que o Michael Bay aceite dirigir o vindouro filme da Liga da Justiça.
    Ou aceitem que Lelek Snyder foi muito melhor em Watchmen que agora. :)

    • Borgo Putinha do Stan Lee

      O filme é incrível cara, sugiro que você pare de cagar pelo teclado e vá correndo assistir porque está perdendo um filmão. Sobre o Michael Bay… Isso só mostra o quanto você é alienado.

      • Homem Simpson

        Uhauhauhauhauha!
        Apelou, perdeu, DCnerd!
        Agora aguarde duas semanas para ter uma aula de como um filme de heróis em luta deve realmente ser feito.

        • Borgo Putinha do Stan Lee

          ??? … está falando de guerra civil? com certeza verei também, curto os filmes da Marvel. Você é medíocre, quer me atingir falando dos filme da Marvel, mas eu curto igual… Nada se compara a BvS, é o melhor filme de super herói já feito. Verei CW e X-Men ainda esse ano, mas BvS entrou pra história.

    • Thiago A.

      Bay no filme da liga?? É se preparar agora para muitas explosões!

    • Daniludens

      Mas aí ia ficar igual a Era de Ultron

      • Homem Simpson

        Exatamente!

  • Bom, esse filme pode ser tudo, menos sério e adulto. Por que sempre insistem em rotular os filmes da DC como “sérios” e “sombrios”?!?

    Lembrem-se que ele foi feito pelo mesmo cara que transformou o quadrinho Watchmen (um thriller adulto -esse sim!- e sofisticado) num filme-pancadaria para adolescentes.

    Neste final de semana tenho uma festinha infantil pra ir. Adivinhem qual será o tema? ;)

    Mas ainda assim vou ver e vou me divertir, assim como me divirto com os filmes da Marvel.

    • Fabricio Ramos

      O que sei é que fui ao cinema, me diverti pacas, o filme que eu esperava me foi entregue, fomos em 11 amigos, todos voltaremos nesse fim de semana, e agora vamos levar os filhos… blocão de 40 pessoas… sessão vai ser top demais… quem não gostou… sinto muito pra eles… pq o filme veio, montou o universo DC, vai ser assim, e não se poupe ao trabalho… é só não ir pros próximos

  • Gustavo Campos

    Pra mim quem realmente destruiu o filme foi o editor do trailer. Todo mundo já chega no cinema sabendo a melhor frase (“Do you bleed?”) e a melhor cena (chegada da Mulher-Maravilha). Na verdade, estraga até algo que nem faz parte da trama central do filme e portanto não deveria jamais fazer parte de um trailer. A cena do deserto seria uma ótima surpresa, se fosse surpresa. Também não curti o Lex, ele não precisava ser esse coringa-mega-afetado. De qualquer forma, teve gente que saiu do cinema antes do filme acabar, mas também teve gente que aplaudiu no final. É filme ruim? Claro que não. Mas não é nem de longe tão divertido quanto poderia ser.¯_(ツ)_/¯

    • Coelho Bruno

      Sair antes do filme terminar é coisa de retardado…

    • Heisenberg da Padaria

      Diversão é relativo cara. Muda de pessoa pra pessoa. Eu me diverti muito, principalmente no ato final, foi tudo o que eu queria ver quando criança.

    • Ademir M Carvalho

      Eu não quero um filme de comédia com Superman ou Batman, isso não é deles. Comédia é com o homem aranha e dead pool. Esse negócio de humor em todos os filmes de herói tá ficando chato já.

  • Larrous

    Falar na crítica quem aparece, como aparece e sobre a caixa materna… Foi bem desnecessário. Não deixa de ser spoiler. Na próxima ver que for entregar detalhes que NÃO aparecem no trailer, avisa Samir.
    Nem todo mundo estava na mesma sessão que você.

    • Star Lorde

      Eu ia te entregar o final do filme pra parar de mimimi. Mas vou respeitar o site.

    • Samir Naliato

      A Caixa Materna não é spoiler porque não tem nenhuma relevância para o andamento da história e só aparece por dois segundos. Está mais mais um easter egg. Além disso, a presença de Darkseid foi revelada nos trailers, e a Caixa Materna é ligada a Apokolips.

  • Gabriel D Martins

    Vi o filme nesta quinta e curti bastante. Achei melhor que O Homem de Aço, filme que achei bem mediano, e melhor até que A Era de Ultron. É um filme que vai dividir opiniões. Não é perfeito, têm problemas de ritmo, como dito na crítica, mas me tirou muitos medos, principalmente nas interpretações de Ben Affleck e Gal Gadot. Não sou fanboy da Marvel e nem da DC e torço para o sucesso de ambas.

  • Thiago A.

    Só irei assistir semana que vem, vamos ver se é isso tudo mesmo.

  • Alessandro Souza

    Quando sai o podcast?

  • Heberton Arduini

    Não é ruim mas as duas horas e meia do filme duram umas 4. Cenas desnecessarias de flashback, sonhos, etc… E a Mulher Maravilha so toma tempo da tela, não tem função nenhuma na trama (mesma sensação tive com a Lois Lane). E mesmo com tanto tempo de tela muitas coisas ficam atropeladas. Algumas cenas muito boas. Algumas bem icônicas, mas funcionam mais com referências as hqs do que como Cinema. Personalidades de ambos os heróis bem desenvolvidas. A fotografia cinza cansa demais.

    Não chega a ser ruim como um Vingadores mas sai do Cinema com a impressão de ter assistido um filme bacana apenas.

  • Eduardo Zancanaro Malinski

    achei o filme animal. Já vi duas vezes. Não vejo a hora do blueray com 30min a mais sair.

    • Samir Naliato

      Eu também quero muito assistir a versão estendida.

  • Martinn

    Achei o filme muito bom!

  • Marlus Soares

    Para mim, de longe, foi a melhor crítica do filme. Não sou crítico nem expert em hqs e, portanto, não saberia escrever c essa maestria e imparcialidade, sendo honesto em todos os pontos, logo, assino embaixo. O filme é bom, sim, mas tem seus poréns, conforme disse essa crítica, que por sinal difere e muito das demais críticas que estão espalhadas.

  • Carlos

    É um bom filme, e só. Não tem nada de excelente, mas sim muitas cenas para fanboys, muito bem feitas por sinal. Mas quem estava esperando algo de magnífico vai cair do cavalo. Não entra nem em um top 5 de filmes de Super-Heróis.

  • Jotafar

    Por que as pessoas simplesmente não relaxam e curtem as coisas? que saco esse povo enfezado sempre! percebi que muita gente que não curtiu, não saca nada dos quadrinhos, nesse sentido o filme é maravilhoso, assume que é isso e pronto! Para quem é “fã de raiz” ficou claro que o que não foi aparentemente resolvido nesse filme, pode ter um desenrolar satisfatório mais pra frente, e ainda: não precisa explicar tudo, não somos retardados.

  • Lal Morales

    Fui ver hj. Achei a história muito bem feita mas Ben Affleck não convence como Batman. Já Henry Cavill é perfeito como superman. O melhor batman interpretado no cinema foi Christian Bale. Qdo sair em DVD vou comprar.

  • Jonas Reis da Cruz

    Esse é um Filme para os fãs da DC.Os verdadeiros Fãs.Não o(s) marvetinho(s) infiltrado(s) aqui que diz(em) que é(são) Fã(s) só para falar mal de um filme da DC ! E não vê ou finge que não vê as toneladas de erros,furos de roteiro,fanservice e ou personagens mal interpretados nos filmes da Marvel..A Marvel Studios compensa isso com toneladas de piadinhas sem noção que funcionam como bomba de fumaça para esconder esses erros dos marvetes. BVS não é um filme perfeito,claro que não! Ele tem seus defeitos com todo filme tem.Menos os da Marvel Studios. Porque os filmes da Marvel Studios são “PERFEITOS”! BVS não é um filme perfeito, para ganhar Oscar ou para ganhar prêmios. É um Filme para os Fãs e como Fã, eu agradeço a Warner/DC por nos oferecer um Filme que foge do “feijão com arroz” dos filmes de super-heróis que existem por aí..Que diz não para as piadinhas prontas e sem noção ditas de 5 em 5 minutos,que quebram o ritmo do filme e impedem a audiência a completa “imersão” no mesmo,se esse(s) fosse(m) filme(s) mais sério(s).Agradeço por BVS não ser um Filme “PERFEITO” com os da Marvel Studios..BVS com todos os seus defeitos e toda sua imperfeição,é um ótimo Filme! Feito para Nós, os “DC Verified Fans”! Porque Cinema acima de tudo é Diversão e Entretenimento ! E Eu,no alto de meus 45 anos,me diverti como nunca!Por 2:30 eu voltei a ter oito anos de idade e brincava com meus bonecos do Batman e Superman.E lia os Quadrinhos da EBAL com meus Heróis preferidos!Obrigado Warner/DC !Obrigado Zack Snyder e toda sua Equipe por me fazer ter oitos anos novamente! Meu sonho se realizou!Vi e Senti com o Coração de um menino de oito anos e lembrei no distante ano de 1978 saindo do Cinema com lágrimas nos olhos acreditando que o “Homem Podia Voar”.Tinha acabado de ver “Superman”.E no dia seguinte na escola vibrava com os coleguinhas dizendo: “- Ia ser “mó” legal um Filme “juntano” O Batman e o Superman” !!! Obrigado Warner/DC! Obrigado Zack Snyder!!!

    • Thiérri Parmigiani

      Não concordo com você!
      Sou marvete das mais safadas e adorei o filme!
      Também não acho que os filmes da Marvel são perfeitos!

      As pessoas tem que parar de encarar filmes de heróis como se fossem coisas importantes! Assim como você fez ao “voltar a ter 8 anos”, quando ou ver um filme de herói eu quero desligar um pouco a minha mente e curtir heróis fazendo coisas de heróis e não buscar furtos de roteiro e reflexões existenciais de super seres em mundos fictícios!

      • Edu Guilherme

        “Marvete das mais safadas” 😂😂😂😂😂😂👍👍👍

      • MateusDrake

        Mas nem todo filme de heroi precisa ter essa mesma proposta de “desligar a mente”, EIS a questão.

        BvS sofreu muito com críticas que julgaram o filme pela sua capacidade de ser um tipo de filme que ele nunca tentou ser, é como julgar as características de um tubarão pela sua capacidade de escalar árvores, e comparar com um gorila.

        Cada um com seu propósito, com seu nicho, com seu estilo. Eu, particularmente, gosto de ambas as pegadas – prefiro Watchmen, BvS e MoS a vários filmes da Marvel, mas me diverti com Homem-Formiga muito mais do que eu esperava, e muito mais do que com os dois filmes do Thor juntos.

        Meu problema é quando a Marvel usa a fórmula dela para ter “garantia de sucesso” em filmes que mereciam uma outra pegada, vide Era de Ultron e os filmes do Thor. Capitão América – O Soldado Invernal foi (E continua sendo, até o presente momento, mas isso pode mudar com Guerra Civil) o melhor filme da Marvel por saber ter uma pegada própria e diferente, utilizar de maneira formidável o seu cast, ter piadas em momentos oportunos e que nunca me pareceram forçadas, e uma trama que realmente poderia ter prometido “O MCU não será mais o mesmo depois desse filme” e cumprido, coisa que Homem-de-Ferro 3 não o fez, por exemplo.

        Se quer filmes para desligar o cérebro, bom, parece que pelo menos por ora os filmes da DC não vão seguir essa linha em sua maioria. Talvez Esquadrão Suicida e Shazam o façam, talvez o o filme do Flash, é esperar para ver. Mas BvS não segue essa linha, e embora isso possa não agradar alguns, isso não é um defeito da obra…

  • Daniel Machado

    Longe de ser um filme perfeito mesmo, mas eu gostei bastante. Lex Luthor pra mim foi uma grande surpresa, aliás o filme vai muito além dos seus vídeos disponibilizados. O melhor Batman até agora apresentado no cinema, acertaram em cheio por optarem por um personagem mais velho e cansado, sem receio de inclusive matar.

  • Matheus

    Gostei muito do filme e até que enfim uma crítica que não está metendo o pau no filme.

  • Diogo Henrique

    A bilheteria está surpreendendo

  • Herbert

    Batman vs Superman é uma obra de arte,é como ler quadrinhos. Você vê logo que quem entendeu cada minuto do filme adorou,amou o filme, e esses são os verdadeiros fãs,o público alvo do Snyder.. quem não entendeu ou foi ver achando que era um filme estilo da Marvel,fala merda. o filme foi excelente! não consegui enxergar nada do que estão reclamando nesse filme pq eu o entendi.

  • Glaydson Melo

    Realmente se há uma palavra pra definir o filme, seria “desequilibrado”. Muitas idéias jogadas, muitas referências, mas achei que o Snyder evoluiu ou pelo menos respeitou um pouco mais o material que tinha em mãos. Por outro lado, parece que ele fez um Elseworlds, com o intuito de mostrar uma realidade onde Batman e Super evoluíram em separado, sem um influenciar (positivamente, diga-se) o outro, o que acarretou está natureza alterada de ambos, violentos, assassinos até, sem esperança é sem limites. Com isso o que tivemos foi um Batman Dark Knight e um Super menos humano. Mas é apenas minha interpretação do filme…

  • Homem Simpson

    GANHEI DO BORGO! UHAUIHAUHAUHAUHAUHAA! #CHUPADC!

    • Borgo Putinha do Stan Lee

      Ganhou? Kkkk … Que criança, continue se iludindo nesse seu mundinho perfeito. Eu vou ver BvS de novo que o filme é incrível, quanto a você… Tenho pena, gente com a mentalidade como a sua deixam de aproveitar muita coisa boa por ser tão medíocre. Se alguém aqui está perdendo alguma coisa é você… Seu fraco.

      • Homem Simpson

        Rapaz, você tem razão: o filme é incrível.

        É incrível que tenha tanto buraco no roteiro, na condução da história e nas atuações dos atores (Luthoringa?).

        É incrível que tenham gasto US$ 400 milhões em um filme tão medíocre cujos personagens só seguram a onda porque são icônicos, apesar de soterrados pelo amontoado clichezento e videoclípitico.

        É incrível que um filme tão “visionário” e “elegante” como esse esteja gerando tantas críticas negativas mundo afora, inclusive de cuequinhas verdes como você.

        É incrível também como conseguirão fazer o filme se pagar no médio-prazo, não só por que foi muito caro fazê-lo, como também porque a propaganda boca-a-boca está, agora, reduzindo as receitas na bilheteria, levando estúdio e elenco correrem para reforçar a promoção do filme.

        Pode escrever o que digo, fanboy: o próximo filme, seja com toda a Liga ou não, terá um orçamento dramaticamente reduzido, o que denota que o início do Universo DC nos cinemas vai demorar muito mais que o imaginado. E, convenhamos, mundinho perfeito foi o que o Lelek Snyder FALHOU em produzir nesse filmeco alquebrado.
        Deal with it, tie-man! ;)

  • Renato Nascimento

    Análise bastante sóbria e objetiva.
    A decepção via de regra, é proporcional a expectativa.
    Como minhas expectativas para o filme eram mínimas não me vi frustrado.
    Entretanto, o filme poderia realmente ter sido melhor, talvez, dividido em mais de uma parte, enfim, parece-me que, a DC no desespero de alcançar o mesmo patamar ocupado pela Marvel no cinema está tentando acelerar o processo sem as bases necessárias para calcar com solidez seu universo cinematográfico.
    É uma pena, pois neste embate entre Marvel e DC, quem tem a ganhar são os fãs e a segunda tem deixado a desejar neste quesito.

  • Borgo Putinha do Stan Lee

    Parem de apagar meus comentários XXXXXXX, qual o problema de vocês XXXXX?

    • Os comentários dependem de aprovação para aparecer, é assim desde o início. Mas nem sempre (ainda mais final de semana) é possível aprovar os comentários imediatamente.

      E você sabe porque eles são moderados? Por causa de pessoas como você.

      Ignoramos a primeira vez que você foi mal educado. Não iremos ignorar a segunda. É fácil se passar de fodão usando um pseudônimo para xingar os outros né? Nem coragem para usar o próprio nome tem.

      Então, pare de agir dessa maneira.

  • Andre Luiz dos Santos Oliveira

    Gostaria de deixar registrado minha satisfação pelo bom filme que fizeram. Parabéns!! E ainda deixar comentado que em todos os sites que visito só dá fã falando bem do filme… e a crítica (como o nome já diz) criticando pra valer vários pontos do filme. Todo fã que conheço adorou o filme. Verdade seja dita que realmente ele não é perfeito, mas isso é de menos pois sabemos que por mais que seja uma obra prima sempre vai ter algum deslize aqui ou acolá. Ahh, também estou esperando pela versão estendida no blu-ray.

  • O Primeiro e o Maior

    O filme é excelente. Entra fácil no Top 3 de filmes de super-heróis, aliás, é o primeiro lugar.

    E temos a bilheteria do mesmo que como já sabem é a maior bilheteria de filmes de super-heróis em todos os tempos, US$ 424, 1 milhões em apenas um único final de semana, superou os dois vingadores.

    E merecidamente.

    Amei o filme. Já assisti quatro vezes. Essa semana verei mais duas no mínimo.

    E o filme não é lento. As mais de duas horas e meia correm e montam tudo perfeitamente, o ritmo está certo, o tom também.

    Mais um filme DC Films com o tom certo até no humor, que não domina o filme como ocorre em muitos filmes de super-herói atualmente (o que é ruim e desonesto, pois filme de super-herói em que humor deve ter relevância é com personagens como Deadpool), o humor aqui é sutil, como deve ser.

    Obrigado Snyder.

    • Kaladin

      Concordo plenamente.

  • Edu Guilherme

    Leio todas as HQs da Dc e da Marvel a anos mas não sou purista (querer que seja tudo igual à Hq). Adorei o filme, ele não é perfeito mas entrega um Batman mais “real”. O Batman dos quadrinhos não mata mas o do filme mata inclusive com faca cravando no peito do inimigo. Se eu gostei? Adorei! Se vc gosta do Batman verá que dessa vez o apelido de “cavaleiro das trevas” realmente faz jus nessa versão. Algumas cenas ele assusta. O superman assusta também. Me surpreendi com a coragem do diretor em fazer um filme diferente do que a Warner Bros está costumada a fazer. Pessoas inocentes morrem e os heróis não conseguem salvá-las todas. Esse é o efeito colateral das grandes batalhas. Isso é o que me desagrada um pouco da Marvel como em vingadores: nenhum civil morre. Adoro tanto Marvel quanto Dc e gosto de cada uma ter um tom diferente nos filmes. Quanto a crítica negativa de Batman vs superman…acharam ruim porque queriam que fosse igual aos filmes da Marvel. Não é, ainda bem.

    • MateusDrake

      Morreram muitos civis em Vingadores, a gente apenas não viu.
      Isso é relatado nas séries (Netflix, Agents of Shield), e deve aparece de maneira proeminente em Guerra Civil.

      Entretanto, o número é muito, muito pequeno… E só não foi maior pois impediram o estúpido plano de jogar uma bomba nuclear em Nova Iorque por parte do Conselho Mundial ou algo assim.

      Agora, forçaram a barra salvando TANTA gente em Era de Ultron. O Ultron em si não matou tanta gente, então, ele não era capaz de derrubar um helicarrier (Sendo que o Gavião Arqueiro sozinho quase derrubou um em Vingadores! Poxa, adoro o Clint Barton, mas possibilidade de causar estrago, um exército de Ultrons deveria ser mais bem-sucedido…)

      No mais, concordo plenamente com a sua visão, especialmente quanto á crítica que falou mal de maneira ultrajante.
      O Batman matar causa estranheza a princípio, mas devido a algumas falas do Alfred, ao uniforme do Robin exposto, dentre outras coisas, eu passei aceitar tranquilamente, faz bastante sentido dentro da proposta.

  • Tiago Azêdo

    É um filme bacana. Os herois foram bem desenvolvidos e as cenas de ação são embasbacantes. Os maiores problemas foram os furos no roteiros e a má edição do filme. Mt mal editado. Zack Snyder poderia ter continuado com o tom do anterior. Ele está muito mais estilizado aqui do que em “Homem de aço”. Mas no geral, não é um filme ruim como dizem…

  • Kaladin

    Em minha opinião, como leitor de quadrinhos “veterano”, este foi um ótimo filme. Não é perfeito, mas nem por isso deixa de ter muitos méritos.

    Apesar do título (mal escolhido em minha opinião), a essência do filme não está no combate de Batman e Superman; o confronto entre os heróis ocupa pouco tempo do filme. Disto, vem a crítica de que o filme “não cumpre o que se propõe a fazer”. Contudo, a exploração do confronto nos trailers e no próprio título foi apenas uma estratégia de marketing ruim que tentou angariar mais espectadores fazendo uma analogia ao clássico de Frank Miller.

    A essência deste filme está em algo muito melhor, mais profundo e produtivo do que um simples confronto entre os dois heróis; está em questionamentos interessantes como: Durante toda a história da humanidade, as pessoas têm buscado o Divino como fonte de orientação e proteção. Mas quando um ser super poderoso realmente surge, proposto a ajudar a todos aqueles que precisam, como as pessoas reagiriam? Se uma pessoa de imensos poderes age movida por um altruísmo que há muito não se vê no mundo, por que muitas pessoas se voltam contra ela, acreditando facilmente em qualquer tipo de engodo feito para desacreditar este herói? Como o medo pode fazer bons homens deturparem seus rígidos códigos de honra? Ainda é possível ser bom em um mundo cínico como o nosso? Estes questionamentos são a essência do filme, e neste quesito, o filme cumpre muito bem o que se propõe a fazer.

    Batman, Superman e Mulher-Maravilha estão bem caracterizados diante do contexto do filme, que mostra heróis bastante marcados pelo mundo que lutaram para proteger. A relação entre Superman e Lois Lane é extremamente bem desenvolvida, e mesmo com motivações questionáveis, a busca de Batman por neutralizar Superman também pode ser entendida levando-se em conta os questionamentos feitos acima.

    Algo muito importante a se lembrar também é que este não é um filme de heróis da Marvel, em que vemos piadas a cada dois minutos e em que ser herói é algo legal, divertido e popular. Aqui, ser herói é tratado como um fardo, uma responsabilidade imensa: Você nunca agradará a todos, as pessoas que salvou hoje podem estar o criticando massivamente sem motivo no dia seguinte e há grande chance das pessoas que mais ama acabarem longe de você por conta de sua decisão em lutar pelo bem maior. Mesmo não tendo nada contra filmes mais leves de heróis, acho esta abordagem mais séria muito mais apropriada.

    O que achei mais notável foi que Superman e Batman, após um confronto forçado e pesado, encontraram um no outro a motivação para se erguerem e voltar a ser o que sempre foram: Grandes homens, que independente das cicatrizes e fardos que carreguem, fazem aquilo que é certo, da melhor forma que podem.

    Uma explicação muito boa disto pode ser encontrada aqui: https://www.facebook.com/DCBRCLUB/videos/760172677416191/

    • MateusDrake

      “O homem ainda é bom”.
      Concordo contigo quanto ao que achou mais notável, e sobre o fardo de carregar o mundo nas costas. (Ou Gotham inteira)

      Acredito que boa parte desses questionamentos, do Batman e do Super, de cunho ideológicos entram no que seriam o “Batman v. Superman”, com o jargão judicial “V.” e não o vs. que dois boxeadores usariam.
      O Clark Kent incomodado com a violência do morcego (O Super matou, mas matou em último caso, e possivelmente se questiona se teria sido melhor ter matado logo de cara e evitado muitas perdas… Mas ao custo da humanidade dele, por exemplo. Enquanto o morcego mata a torto e a direito), todos os questionamentos levantados sobre o Super que culminam na luta contra o Kal-El. Acho interessante, também, que ante os fatos o Batman decide destruir o Super mesmo se a chance dele se tornar mal fosse pequena (que é desconhecida, claro, mas enfim), enquanto o approach do Clark é… Fazer uma matéria no jornal mesmo sem a aprovação do editor-chefe e que poderia culminar nele desempregado. Ele prefere enfrentar o Batman por vias não-violentas, o que não dá certo. É por isso que o Super foi manipulado para enfrentar o Batman, mas o Bruce precisou de pouquíssimo incentivo. É por isso que o Super se segura a luta inteira, enquanto o Batman vai com tudo, usando cada recurso e cada carta na manga em tentativa de obliterar o oponente. E é por isso que o Super “perde”, e a revelação aos olhos do morcego que aquele sujeito na sua frente não era um deus alien que poderia erradicar a humanidade se quisesse, mas sim um humano, que possui uma mãe que, mesmo sem elo de sangue, é o que ele tem de mais precioso, e o morcego pode certamente simpatizar com isso.

      • Kaladin

        Tem toda razão, e muito interessante o que você levantou sobre o “V.” no lugar do “vs”. É realmente isso.

        E é exatamente isso que você disse: Quando Batman percebeu Superman derrotado, perdeu boa parte do medo que tinha dele, e com isso, começou a pensar com mais clareza, sem o pânico e paranoia que o estavam consumindo. Nisso, tanto ele quanto Superman chegaram à conclusão de que o homem ainda podia ser bom, e com essa constatação, ambos encontraram muito em comum um no outro, e é por isso que passaram a trabalhar tão bem juntos daquele ponto em diante.

  • MateusDrake

    Bom, Esquadrão Suicida vai ter outro diretor.
    WW, Aquaman, Batman (com o Affleck como diretor!), etc, parece que vai ter uma pluralidade interessante de assinaturas como diretores.

    E quanto ao Snyder… Bom, depois de BvS, acho justo ele ser o diretor de JL part 1 ao menos, e continuar somente se JL justificar isso.

  • Jonas Reis da Cruz

    Nunca um filme foi tão “odiado pelos jornalistas” quanto BVS. A quantidade de boatos maldosos,falácias,factoides e rumores sobre a Warner/DC é impressionante!Tanto entre os fãs,geralmente marvetes,quanto,o que é pior,entre os Jornalistas,que em tese,deveriam ser isentos.Sites obscuros,que nós nunca tínhamos ouvido falar,tais como o “HITFIX”,que lançou um factoide do tamanho de Júpiter dizendo que a Warner/DC havia odiado BVS,que o filme da Liga seria adiado/cancelado,o Filme do Batman entraria no lugar.Os outros filmes da Warner/DC seriam adiados ou cancelados Só seriam lançados “Esquadrão Suicida” e “Mulher Maravilha”porque já estavam feitos! E,a princípio, TODO MUNDO ACREDITOU !E sites famosos como Box Office Mojo,com uma tremenda má vontade com o Filme,CRAVOU com todas as letras que a Bilheteria de estréia de BVS seria de “apenas” 140 milhões,se muito!!E não vou citar as “críticas especializadas” que massacraram o Filme.Nunca um filme foi tão massacrado pela crítica quanto BVS.Eu não lembro de nenhum!Nem o “Quarteto Fantástico” de Josh Trank foi tão massacrado!O “Rotten” classifica o Filme BVS como PIOR que os dois filmes do “Robocop”dos anos 90,PIOR que os filmes das “Tartarugas Ninjas”,também dos anos 90! Pior que a “trilogia” do “Justiceiro” da Marvel!!Pior até que os filmes do “Demoliror” e “Elektra”!!!

  • Jonas Lobato

    O pior filme de super-heróis que já vi. Aliás, pior, não: o primeiro lugar nesse quesito é de MOS, e ninguém tasca.
    E pensar que já fui decenauta.

  • Liga da Justiça

    Fiquei é decepcionadíssimo com o filme. Eu tinha muita esperança ainda mais por ter gostado de mais de O Homem de Aço. O Homem de Aço foi um ideal de esperança para o DCEU(fazendo trocadilho com Um Ideal de Esperança, uma das músicas temas do filmes).
    A minha sensação é que eu estava vendo outro universo dentre aquele das 52 terras do multiverso DC e que o universo padrão, o da Terra 0 não está com história contada no DCEU (DC Extend Universe – O universo de filmes da DC Comics).
    Do fato de eu não ter gerado gosto não tem nada a ver com o uso de escolha de filmes sombrios e nem que deveria ser igual filmes da Marvel (Eu sou decenauta sistemático e só vi um filme da Marvel, na verdade 2, não 1 e meio: Quarteto Fantástico e Surfista Prateado e metade de Os Vingadores). Então, eu não conheço nada de Marvel, e a DC é meu único entretenimento.
    Vi B vs S a primeira vez esses dias, por causa de problemas pessoais (4 meses esperando e conseguir ficar sem ver nenhum spoiller) e aproveitei para ver a versão estendida primeiro. Fiz um “esquenta”, assistir A Liga da Justiça e Os Jovens Titãs – União em Ação (aliás, as animações da DC quase nunca decepciona a gente, foi aí que conheci a DC – saudades do DCAU), assistir o primeiro encontro do Batman com o Superman em Super-Homem: A Série Animada (pois na época acontecia também o universo compartilhado e depois houve também a fundação da Liga da Justiça), fui assistir com uma camisa com sublimação de uma imagem da Liga da Justiça para entrar no clima e a 1 ano cheguei a por 15 megas de minha invés de 2 megas, que era minha ideia inicial, só para baixar os novos filmes da DC. Acompanho a DC em tudo, HQs, animações e agora o começo dos filmes (só não cito as séries, pois não sobra tempo).
    Achei sensacional a escolha do título e a trama de unir Batman e Superman em uma estranhada para depois eles se juntarem na formação da Liga da Justiça. Mas aí veio a decepção por causa das escolhas de roteiro e direção: Um filme sem conexões. Um filme deprê e sem inspiração, e não é pelo fato de ser sombrio, tá mais em no fato de optarem em não ser um filme de super-heróis e sim um filme de deuses.
    A ideia de ser sombrio como característica dos filmes DC é ótima, nada de um filme pra família, nada de filmes para assistir na Temperatura Máxima, é a diferenciação da Warner e DC e se for voltar atrás o erro será maior ainda. O Homem de Aço, para mim foi uma fórmula que deu certo assim. Mas a queda de B vs S foi em não tratar de heroismo – Eu não vi a hora de o Superman desistir de ser herói, mas a reviravolta foi tanta que ele morreu – e não tratar de justiça, aliás termo que está na segunda parte do título: A Origem da Justiça. Talvez o heroismo e justiça fica para o filme da Liga, mas faltou esse desconecto em B vs S. E se a Liga da Justiça tiver as explicações da trama desconecta de B vs S, o filme terá que consertar muita coisa.
    Só uma notinha: Que Lex Luthor (Jr.) versão Coringa ruim de mais gente!!! Se a DC é ótima e tradicional com os vilões, falhou nesta parte.
    Mais umazinha: Apesar da falha, vida longa a DC Comics, vida longa ao DCEU!!!