Resenha: Guardiões da Galáxia mantém o pique dos ótimos filmes da Marvel

Por Marcelo Naranjo
Data: 31 julho, 2014

A Marvel perdeu a noção.

Pegar personagens obscuros, totalmente desconhecidos do grande público, gastar um dinheirão para fazer um filme e ainda querer emplacar como blockbuster bem no final das férias escolares? Sendo que um dos principais personagens é um guaxinim?

Perdeu?

Perdeu nada. Acertou a mão novamente, isso sim.

A verdade é que a “Casa das Ideias”, desde o lançamento do primeiro filme do Homem de Ferro, conseguiu dar coesão ao seu universo cinematográfico, e sabiamente foi jogando pistas aqui e ali, em especial nas cenas pós-créditos – para delírio dos fãs. Afinal, confesse aqui qual leitor de quadrinhos nunca olhou para aquelas pessoas que saem antes do final dos letreiros dos filmes Marvel e pensou “sabem de nada, inocentes!”.

Ainda sobre essa coesão, com elementos esparsos pelo diversos filmes de heróis e que vão se encaixando, tudo está em pleno andamento, e pelo visto o ápice será a terceira película dos Vingadores. Porém, como já foi anunciado o segundo filme dos Guardiões da Galáxia, tudo é possível.

Guardiões da Galáxia

Guardiões da Galáxia, com direção de James Gunn, traz como protagonista o Senhor das Estrelas (Chris Pratt), um terráqueo – ou quase isso – que se torna saqueador de planetas. Ao roubar uma esfera metálica em um planeta abandonado, ele se envolve numa grande encrenca, já que terríveis seres estão atrás do objeto.

Com a cabeça colocada a prêmio, ele é caçado pela assassina Gamora (Zöe Saldaña) e pela dupla de caçadores de recompensas Rocket Raccoon (voz de Bradley Cooper) e Grood (voz de Vin Diesel). Depois de uma grande confusão, todos acabam numa prisão espacial, na qual conhecem Drax, o Destruidor (Dave Bautista – ex-lutador de MMA, perfeito no papel).

Mais que tudo, Drax anseia por vingar-se de Ronan, o Acusador (Lee Pace), vilão que busca o objeto roubado pelo Senhor das Estrelas, o que coloca todos em rota de colisão. Ao lado de Ronan está Nebulosa (Karen Gillan), meia-irmã de Gamora, ambas criadas pelo terrível Thanos (numa rápida e assustadora participação – esse personagem promete!).

Ao tentar vender a esfera metálica para o Colecionador (Benício Del Toro), os Guardiões acabam despertando forças incontroláveis e, por consequência, colocando o planeta Xandar em perigo. Lar da Tropa Nova, a última esperança de vida de toda uma população está nas mãos de um grupo de bandidos idiotas. Imbecis. Babacas. Os Guardiões da Galáxia.

Imagem do filme Guardiões da Galáxia

Com ritmo incessante de aventura, permeado de boas piadas, Guardiões da Galáxia é quase que uma daquelas matinês irresistíveis de outrora, recheada de ótimos efeitos especiais, cenários, maquiagens e interpretações pra lá de convincentes – além do protagonista algo canastrão, quem chama mesmo atenção é a dupla formada pelo esquentado guaxinim, que com suas invenções e tiradas rouba algumas das cenas, e, principalmente, seu amigo homem-planta Groot, candidato desde já a um dos melhores e mais carismáticos personagens da Marvel a dar as caras na tela grande em todos os tempos.

Propositadamente, o Senhor das Estrelas lembra aqueles heróis das décadas de 1970/1980, inclusive com direito a uma (ótima) trilha sonora da época, o que provoca algumas das melhores piadas do filme, já que o protagonista adora ouvir seu walkman.

Como sempre, com o devido perdão para os simples mortais, o filme tem seus atrativos a mais para os leitores de quadrinhos, com detalhes que somente eles poderiam captar. Mas que não atrapalham em nada quem não entende do assunto. Além disso, a tradicional participação de Stan Lee não poderia deixar de estar garantida, em outra ótima gag.

Guardiões da Galáxia

Mais infinito do que as poderosas gemas tão desejadas por Thanos são as incríveis possibilidades que a Marvel tem para oferecer em suas películas. Com gente que realmente sabe o que faz montando o divertido quebra-cabeças formado por toda essa leva de filmes, é certeza de que os próximos anos prometem ótimas novidades na tela grande para os fãs, que agradecem o melhor momento dos super-heróis na história do cinema.

Infelizmente, muitos não concordam que isso abranja a DC – como um amigo comentou, em tom de galhofa: “A DC quer fazer crer que é tudo real. Já a Marvel está na base do ‘Que se dane. Coloca um guaxinim como super-herói no próximo filme’ ”. Pois é, colocaram. E deu certo.

Curioso é pensar que, décadas atrás, nos quadrinhos, a DC pendia principalmente para o lado da fantasia, enquanto a Marvel fazia sucesso justamente por humanizar seus super-heróis… (Nota do Universo HQ: o autor deste texto também gosta dos filmes de super-heróis da DC. Tirando Lanterna Verde, lógico).

Enfim, a melhor maneira de concluir um texto sobre Guardiões da Galáxia é com a seguinte afirmação: “I am Groot”. Quem não sabe do que se trata, que corra para ver esse ótimo filme. Tudo será esclarecido.

Guardiões da Galáxia
Duração: 121 minutos
Estúdios: Marvel Studios
Direção: James Gunn
Roteiro: James Gunn e Nicole Perlman
Elenco: Chris Pratt (Star-Lord), Zoe Saldaña (Gamora), Bradley Cooper (Rocket Raccoon), Vin Diesel (Groot), Dave Bautista (Drax), Lee Pace (Ronan), Djimon Hounsou (Korath), Benício Del Toro (Taneleer Tivan, o Colecionador), John C. Reilly (Rhomann Dey), Glenn Close (Nova Prime), Karen Gillan (Nebula), Michael Rooker (Youndu), Laura Haddock (Meredith Quill), Ophelia Lovibond (Carina), Gregg Henry e Josh Brolin (Thanos).

Guardiões da Galáxia

• Outros artigos escritos por

.