Resenha: Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o filme

Por Samir Naliato
Data: 14 janeiro, 2016

Em 2012, a 20th Century Fox anunciou a aquisição dos direitos cinematográficos de Peanuts, famosa tira de quadrinhos criada em 1950 por Charles Schulz (1922 – 2000) e mais conhecida no Brasil pelo nome do cãozinho Snoopy.

Para a empreitada, a produção aconteceria com a Blue Sky Studios, parceira da Fox em sucessos como A Era do Gelo e Rio.

Esta é a primeira vez que os personagens aparecem em um longa-metragem e, como costuma acontecer, houve muita desconfiança dos fãs, pois em tempos atuais é comum descaracterizar obras para torna-la mais atrativa ao grande público. Isso sem falar na dúvida de como a animação seria feita para respeitar o clássico traço de seu criador.

O filme estreou em novembro do ano passado nos Estados Unidos, mas apenas agora chega ao Brasil. E quem estava preocupado pode respirar aliviado, pois Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o filme é uma adorável história que respeita o material original.

Snoopy & Charlie Brown - Peanuts, o filmeSnoopy & Charlie Brown - Peanuts, o filme

A trama gira em torno do azarado a atabalhoado Charlie Brown, que se apaixona por uma menina ruiva que acabou de se mudar para a casa em frente à dele. O tímido garoto precisa agora fazer com que ela não só preste atenção nele, mas que causa uma boa impressão. Para ajudá-lo na tarefa, conta com a ajuda do confiante e esperto Snoopy, seu cão de estimação.

O resto da turma aparece nesse contexto, incluindo Linus, Lucy, Patty Pimentinha, Marcie, Chiqueirinho, Sally, Schroeder e Woodstock. Não há muito tempo de tela para desenvolver todos os personagens, mas houve a preocupação de deixar evidente as famosas características de cada um deles.

O filme mostra, por exemplo, a paixão de Schroeder pelo seu piano e Beethoven; Linus sempre acompanhado do inseparável cobertor; Lucy bancando a psiquiatra e Charlie Brawn com suas inseguranças e dúvidas existenciais.

Da mesma maneira, cenas famosas das tiras e desenhos animados também estão presentes, como a do futebol americano, as conversas no muro, as crianças dançando na festa e o grande adversário de Snoopy: o Barão Vermelho.

Aliás, são justamente as sequências envolvendo o Barão Vermelho que destoam um pouco. Apesar de bem feitas, a narrativa principal é mais interessante e o ritmo da história acaba sendo quebrado para inserir as aventuras áreas de Snoopy, às vezes demasiadamente longas. Passa a impressão de um interlúdio do filme.

Snoopy & Charlie Brown - Peanuts, o filmeSnoopy & Charlie Brown - Peanuts, o filme

Visualmente, a produção acertou em cheio. A mescla do traço de Charles Schulz com a modernas técnicas de animação por computador resultou em um belo trabalho. O início e final da projeção é marcado na transformação da arte de Schulz para a o novo visual animado e vice-versa.

Os responsáveis também se atentaram para homenagear a mídia original de Peanuts, inserindo características próprias dos quadrinhos, como o uso de onomatopeias. E incluíram ainda animações em preto e branco e 2D em momentos específicos, como as divagações de Charlie Brawn, remetendo às tiras de jornal.

Todas as vozes são feitas por crianças, tanto na versão original quanto na dublada em português. E se você espera ouvir algum adulto falando, pode desistir: apenas os conhecidos múrmuros indecifráveis, deixando claro que o foco é o mundo das crianças.

Não chega a ser uma surpresa total a preocupação em respeitar a obra original, uma vez que a Charles M. Schulz Creative Associates, empresa com o objetivo por cuidar dos interesses da propriedade e de seus responsáveis, trabalhou de perto no projeto.

No final das contas, o filme tem uma história sensível e simpática, com momentos singelos e engraçados, o que deve agradar tanto às crianças quanto os adultos que assisti-lo.

Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o filme
Duração: 88 minutos
Estúdio: 20th Century Fox e Blue Sky Studios
Direção: Steve Martino
Roteiro: Bryan Schulz, Craig Schulz e Cornelius Uliano
Elenco vocal original: Noah Schnapp (Charlie Brown), Anastasia Bredikhina (Patty Pimentinha), Rebecca Bloom (Mercie), Alexander Garfin (Linus), Hadley Belle Miller (Lucy), Mariel Sheets (Sally), Noah Johnston (Schroeder), Bill Melendez (Snoopy e Woodstock).

• Outros artigos escritos por

.

  • VictorMex

    Bela análise… como sempre UniversoHQ com seu profissionalismo bem afiado e na mosca.

  • Rogério Olivieri

    Assisti ele essa semana (ahhh internet abençoada) e simplesmente adorei. Extremamente cuidadoso do começo ao fim, o filme respeita muito o clima das tiras e animações das décadas de 60/70 que alegraram nossa infância, aproveitando a tecnologia atual sem descaracterizar em momento algum o “feeling” original. Certamente comprarei esse filme pra colocar ao lado da coleção de animações que já tenho da Turma do Minduim.

  • Thiago Garcia

    Estava com muito medo desse filme ser “babaquisado” para os pequenos igual fizeram com o Garfield. Fico muito feliz que tenham respeitado tanto a obra original…..domingão estarei lá !!! :D

  • James Franklin

    Achei o filme ótimo. Ótimo não. Excepcional. Não posso negar que as “ambições” de Charlie Brown jamais alcançadas nas tirinhas e nas séries animadas, me davam uma certa sensação de “impaciência”. Chega um momento, que você não aguenta mais ver o personagem sempre na derrota… É desestimulante! Considerei o filme uma espécie de apoteose de Charlie! Devíamos isso a ele! A Catarse de todo esses anos de sofrimento do garoto. Afinal de contas, não teria mesmo graça fazer um filme com “mais do mesmo” sempre prendendo o personagem nas suas eternas limitações! E o que dizer do final? Simplesmente magnífico. Adorei!