Todos sofrem em A Corrente do Bem

Por Beth Andalaft
Data: 28 março, 2001

A Corrente do Bem“Desgraça pouca é bobagem”, diz a sabedoria popular. E o ditado foi seguido ao pé da letra em A Corrente do Bem, com roteiro de Leslie Dixon, baseado no romance de Catherine Ryan Hyde, e dirigido por Mimi Leder (de Impacto Profundo).

Tudo o que poderia acontecer de ruim aos seus protagonistas explode na tela. O filme apela demais na tentativa de emocionar o espectador. Apesar disso, a produção tem algo positivo: confirma o talento de Haley Joel Osment, o garoto que comoveu as platéias em O Sexto Sentido. Ele está ótimo e pode ser o motivo para gerar uma boa bilheteria, já que ela será revertida em prol de projetos sociais.

Nem mesmo dois atores vencedores do Oscar conseguem segurar a produção. Kevin Spacey (melhor ator por Beleza Americana) e Helen Hunt (melhor atriz por Melhor é Impossível) são os protagonistas de A Corrente do Bem. Ela é Arlene, mãe de Trevor (Haley), alcoólatra que tenta ser livrar do vício e, para se manter, trabalha em dois empregos. Kevin é Eugene, que possui terríveis queimaduras pelo corpo e é professor do garoto.

No início do período letivo, Eugene pede a seus alunos que pensem em algo que realmente ajude as pessoas e que, depois, eles o façam para outras três pessoas. Assim, o benefício social se propaga.

Boa índole – Trevor é aquele garoto maravilhoso, de boa índole, que mesmo criado num ambiente terrível, não se contamina. Ele leva a sério a proposta do professor e logo a coloca em prática. Por mais incrível que pareça, a idéia pega. Do bairro pobre de Las Vegas, onde o menino mora, se estende aos mais variados pontos dos Estados Unidos, atraindo a atenção de um repórter. E a história chega à televisão.

O problema de A Corrente do Bem está no fato de que apenas pessoas com grandes dramas são sensíveis e pensam em ajudar os outros. Os normais, saudáveis, bem estabelecidos, não se sensibilizam com nada.

O elenco conta ainda com o astro do rock Jon Bon Jovi (U-571 – A Batalha do Atlântico), como o pai de Trevor; James Caviezel (Alta Freqüência), no papel de uma das três pessoas escolhidas por Trevor para ser beneficiada; e Chris Chandler (Jerry Maguire – A Grande Virada), o repórter que apura a história.

A Corrente do Bem também conta com a presença da veterana Angie Dickinson, da série Police Woman, no papel de uma sem-teto. No final, ainda mais apelativo, descobre-se que há ligações mais fortes entre esses personagens.

Nota

2,5

Links Sugeridos:
Corrente do Bem – Site Oficial

• Outros artigos escritos por

.

.

.