Afinal, por que Invencível, de Robert Kirkman, não faz sucesso no Brasil?

Por Marcelo Naranjo
Data: 28 abril, 2015

Um autor famoso e qualidade comprovada não são o suficiente para garantir regularidade na publicação do título. 

 

Uma HQ de super-heróis que tem como protagonista um jovem carismático, em meio a situações divertidas, envolventes e empolgantes, com um ótimo elenco de personagens coadjuvantes e escrita por um autor de renome.

Tinha tudo para dar certo no Brasil.

Nada feito.

Desde março de 2006, as baixas vendas têm sido o principal motivo informado pela HQM Editora para a espaçada periodicidade na publicação dos álbuns (um novo será lançado este ano) de Invencível, como segue:

Negócios de Família (2006);

Oito é Demais (2006);

Perfeitos Estranhos (2007);

O Melhor da Classe (2012);

Fatos da Vida (2015).

Na série, publicada originalmente pela Image Comics, o leitor acompanha a história da família Grayson – pai, mãe e filho. Mark Grayson é um jovem em idade escolar e filho do super-herói mais poderoso do mundo. Entre o dia a dia na escola e o trabalho num fast-food, ele descobre que seus poderes estão surgindo.

Invencível - Volume 1 - Negócios de FamíliaInvencível - Volume 2 - Oito é demais

Seu pai, o Omni-Man, é nativo do Planeta Viltrum, localizado há bilhões de quilômetros da Terra e cujos habitantes são mais poderosos que os terráqueos, tanto na força quanto pelo fato de voarem.

Viltrum alcançou a utopia e, assim, seus habitantes decidiram procurar planetas em estágio de desenvolvimento, montar defesas globais e monitorar a evolução local – ao menos, é isso que Omni-Man conta.

Enfrentando diversos supervilões, alienígenas e até professores mal intencionados, por vezes ao lado do pai, de outros jovens poderosos ou sozinho, Mark precisa lidar com a rotina de ser um super-herói, das primeiras paixões e do estudo, ou ainda almoçando em família – rotina que parece ser a coisa mais natural do mundo para a mãe de Mark, que reage a situações extraordinárias com a maior tranquilidade.

As coisas começam a se complicar quando os membros da maior superequipe do mundo, os Guardiões Globais, são friamente assassinados (não por acaso, os poderes dos integrantes são similares aos da Liga da Justiça). A solução desse crime vai virar o mundo do Invencível de pernas para o ar, de uma maneira que ele nunca esperaria.

De modo bem resumido, essa é a trama dos três primeiros volumes de Invencível. Contar mais estragaria as surpresas de quem tem o azar de ainda não conhecer o personagem.

Cada um dos volumes da série é prefaciado por alguém famoso no meio dos quadrinhos. “Largue esta revista. Fuja. Pelo amor de Deus, não vire a página”, brinca Kurt Busiek, com a certeza de que o leitor será fisgado. “Robert Kirkman é um cara e tanto. Invencível é um gibi e tanto”, escreve Erik Larsen. Já Mark Waid diz que aceitou escrever o prefácio porque não há mais emprego para roteiristas de quadrinhos, já que Kirkman está agarrando todo o serviço do meio para ele – “Eu falei que escreveria porque foi o único trabalho que Kirkman ainda não pegou”.

Robert Kirkman. Só quem vive em outro planeta não sabe que ele também é o criador de Os mortos-vivos (The Walking Dead), conhecida e elogiada série de quadrinhos também publicada pela editora, que fez surgir um seriado homônimo de sucesso retumbante.

O autor escreveu HQs como Battle Pope, Savage Dragon, Super-Patriota, X-Men, X-Force, Quarteto Fantástico, Marvel Team-Up, Zumbis Marvel, Capitão América, Mestres do Universo e muitas outras.

Invencível - Volume 3 - Perfeitos Estranhos Invencível - Volume 4 - O melhor da classe

Ele criou Invencível em 2003, juntamente com o artista Cory Walker (arte) – no segundo volume, o traço passa para Ryan Ottley. Nos Estados Unidos, o título já está no número 188 e na 18ª encadernação.

Neste universo de centenas de títulos mensais tendo os super-heróis como protagonistas, qual é o diferencial de Invencível? O fato é que Kirkman consegue escrever a série com um frescor pouco habitual nas revistas atuais do gênero, lembrando por vezes os melhores momentos do Homem-Aranha, por exemplo.

Um jovem buscando seu lugar no mundo, descobrindo que tem superpoderes e se divertindo com isso, enquanto faz o que considera certo – ser herói. Ação na medida certa, humor, uma grande valorização do elemento humano dentro do mote de seres poderosos vivendo entre nós.  E, afinal, não é esse elemento humano tão bem explorado pelo autor um dos fatores responsáveis pelo sucesso de The Walking Dead?

Talvez outro segredo para a suspensão da descrença ao entrar no mundo criado por Robert Kirkman esteja nos diálogos certeiros, em especial na figura da mãe do personagem principal:

– Acho que finalmente estou desenvolvendo superpoderes.

– Que maravilha. Pode passar as batatas?

Mas, possivelmente, a melhor definição para a qualidade do título está nas palavras do editor Tom Brevoort, autor do prefácio de um dos volumes. “Invencível mostra abertamente o amor do autor pelo gênero super-heróis, toda a sua cor, toda sua vibração e até mesmo suas tolices. É uma revista em quadrinhos que não tem vergonha de ser revista em quadrinhos”, afirma.

O Universo HQ conversou sobre a série com Carlos Costa, da HQM Editora, confira.

Universo HQ: Por que Invencível não emplacou no Brasil?

Carlos Costa: Não sabemos porque Invencível não emplacou, tanto é que foi o primeiro lançamento da HQM Editora. Não imaginávamos que The Walking Dead, por exemplo, faria mais sucesso que Invencível. Infelizmente, as vendas são mais lentas. Enquanto uma tiragem não se paga, a gente vai segurando até poder lançar o próximo volume.

UHQ: Invencível é escrito por Robert Kirkman, o criador de The Walking Dead. Isso não fez diferença nas vendas?

Carlos: Sim, fez diferença. Cremos que se fosse um autor desconhecido, as vendas seriam menores. Por ser do Kirkman, já é um ponto muito importante, mas não o suficiente.

UHQ: Há alguma possibilidade de reverter esse quadro?

Carlos: De momento, não há. Poderíamos dizer que tentaremos lançar um volume por semestre, mas não dá pra confirmar. No mínimo, um por ano. As vendas melhorando, podemos tentar lançar pelo menos um por semestre.

UHQ: Vocês têm programado mais algum lançamento da série? Caso positivo, é possível voltar a publicar com regularidade?

Carlos: Sim, o volume # 5 está previsto para o fim do primeiro semestre deste ano ou começo do segundo. Neste ano, a HQM vai focar bastante nos encadernados.

Portanto, fica a dica para os leitores que sempre arriscam comprar os títulos com personagens conhecidos e que tantas vezes apresentam HQs abaixo da crítica. Invencível não tem tanto apelo por aqui, mas apresenta o que realmente importa: boas histórias.

E ainda que boas histórias não sejam garantia de sucesso, ao menos fazem valer o tempo e investimento gastos, pois, com a enorme quantidade de quadrinhos publicados atualmente, não é nada fácil selecionar. Exceto se o leitor for mordido por um zumbi e se tornar um dos mortos-vivos de Kirkman. Porque só nesse caso isso não faz diferença alguma.

Os álbuns da série podem ser encontrados à venda na Comix Book Shop.

Marcelo Naranjo fez esta matéria para ver se a editora publica mais volumes da série, que ele está desesperado para ler. É um cara de pau. Se o pessoal do Universo HQ perceber, é bom mesmo que o cara também seja Invencível…

Invencível - Volume 5 - Fatos da vida

• Outros artigos escritos por

.

  • Rone Fideles

    É uma pena o gibi é muito bom. Não é nada original mas é muito bem escrito.

  • Alencar

    Alguem sabe um site pra que eu possa baixar invencivel?