Devir importa 21 álbuns europeus, promete Métal Hurlant e mais lançamentos nacionais

Por Sérgio Codespoti
Data: 29 agosto, 2002

Por Sérgio Codespoti

Classificados, de LaerteEntre os lançamentos da Devir, ainda para este ano, estão duas figurinhas carimbadas do quadrinho nacional: Laerte e Paulo Caruso.

Laerte volta com Classificados 2, continuação do álbum Classificados, que reúne tiras publicadas originalmente no jornal Folha de S. Paulo.

Chico Caruso estréia na editora com um histórico álbum de charges sobre o governo de Fernando Henrique Cardoso e a era do Real. Nele serão republicadas charges que saíram diariamente, durante oito anos, na capa do jornal carioca O Globo. O título, ainda provisório, é A história do Brasil 1994-2002 – Era uma vez FH.

Chiclete com Banana #1, edição portuguesaA editora está importando, de sua divisão portuguesa, os primeiros números da revista Chiclete com Banana. Não se trata de uma republicação da extinta revista brasileira, mas sim de uma coletânea de suas melhores histórias.

A edição portuguesa seleciona materiais de Angeli e Laerte, lançados entre 1984 e 1990. São histórias de personagens como Mara Tara, Osgarmo, os Piratas do Tietê, Fagundes, os Skrotinhos e o Síndico.

Também de Portugal chegam 21 álbuns importados. Das Edições Polvo, a Devir trouxe: Pano Cru, de Pedro Brito; Malitska, de Francisco Oliveira e Miguel Rocha; A Filha do Caranguejo, de Rui Lacas; Loverboy: A faculdade são dois ou três livros; Loverboy (…) muda mas fica igual (…), de Marte (pseudônimo de Marcos Farrajota) e João Fazenda; e Eduarda, trabalho premiado de Miguel Rocha. Todos já vendidos inicialmente pela Fnac.

MalitskaLoverboy: a faculdade são dois ou três livrosOutros álbuns das Edições Polvo, mas ainda não distribuídos: Loverboy, o rebelde, de Marte e João Fazenda; Época Morta e (à suivre), de Carlos José Fernandes (autor de Coração de Arame) e a Pior Banda do Mundo, ambos já distribuídos no Brasil); Tu és a mulher da minha vida, ela é a mulher dos meus sonhos, de Pedro Brito e João Fazenda; Entorpecidos pelo Frio, Maria Björklund; Que Podemos Fazer?, Felipe H. Cava e M. Brouillard.

Loverboy: o rebeldeDo selo Primata Comix, também das Edições Polvo, chegam: Magic Boy, de James Kochalka; Batatas, de Matthias Lehmann; Alô?, de Filipe Abranches; Dédalo, de Miguel Rocha.

Além disso, já foram importados O Terceiro Testamento, (capa dura, volumes I: Lucas ou o Sopro do Touro, II: Mateus ou a Face do Anjo e O Terceiro Testamento  IIIIII: Marcos ou o Despertar do Leão), de X. Dorison e A. Alice, publicado pela Witloof Edições; e Lua de Guerra, de Hermann e Van Hamme; Memórias do Eterno Presente, de Schuiten e Peeters; e Crossroads, de João Ramalho, Miguel Lameiras e José Carlos Fernandes, todos da editora Baleia Azul.

Este material deve ser oferecido a quase mil pontos de vendas, que incluem não só comic shops, mas revistarias, livrarias e lojas de conveniência de todo o País.

Mas a grande surpresa desse pacote é a publicação da Métal Hurlant! Isso mesmo, a revista que originou a americana Heavy Metal, deve, finalmente, chegar ao Brasil. Apesar do projeto ainda estar sendo desenvolvido, o contrato já está assinado.

Loverboy: (...) muda mas fica igual (...)A revista Métal Hurlant surgiu em 1974, das mãos de artistas como Moebius, Dionnet, Druillet e Farkas. A revista é hoje publicada bimestralmente pela editora Humanoïdes Associes.

A decisão de publicar a Métal Hurlánt, e não a versão americana, se deve ao maior número de páginas por edição e À ausência de cortes, ou censura “branca”, na qual balões são posicionados para tapar cenas de sexo.

Em suas últimas edições, a revista trouxe histórias de Alexandro Jodorowsky, Marc Riou, Mark Vigouroux, Parel, Buziek, Pierre Wazem, Fred Beltran, Portela e Das Pastoras, Geoff Johns, Horacio Altuna, Eduardo Marini e até mesmo Travis Charest.

O Terceiro Testamento II Lua de Guerra O Terceiro Testamento I

• Outros artigos escritos por

.

.

.