Escritores da Marvel falam sobre seu trabalho

Por Sérgio Codespoti
Data: 23 agosto, 2002

Mark WaidDurante a Comic-Con International, roteiristas que atualmente estão fazendo algum projeto para a Marvel se reuniram para falar sobre seu trabalho: escrever histórias em quadrinhos.

“A parte mais divertida para mim é o descobrimento, a jornada. Eu tenho a idéia de como terminar as histórias, e uma vaga noção do que quero fazer. Mas, freqüentemente, à medida que vou escrevendo, acabo indo a um lugar completamente diferente”, disse Mark Waid. “Para períodos maiores, penso nos personagens. Onde quero que eles estejam daqui a seis meses ou um ano”.

“É o trabalho mais ‘enfurecedor’ do mundo”, resume Greg Rucka. “As pessoas chegam perto, vêem você sentado lá e dizem ‘Oh, gostaria de ter esse trabalho’. Aí tenho que virar e dizer ‘Eu estou escrevendo aqui!’. Mas acabo fazendo muito do meu trabalho no chuveiro ou na academia”.

Waid concorda. “É verdade. Trabalho muito no chuveiro e quando estou dirigindo, quando estou completamente relaxado. Não sei se isso também acontece com outras pessoas, mas minhas melhores idéias surgem quando estou mijando”, ironizou.

Eles também falaram sobre os personagens.

J. Michael Straczynski“Morro de medo de escrever o Super-Homem agora, porque não me sinto à vontade”, disse Rucka. “Batman é fácil para mim. Elektra demorou um pouco, porque o Miller fez seu trabalho, e a Marvel queria ver o que outros escritores poderiam fazer com a personagem. A essência da Elektra, para mim, pode não ser para outras pessoas que trabalharam com ela antes”.

Mas se Rucka não gostaria de trabalhar com o Homem de Aço no momento, o mesmo não pode ser dito de J. Michael Straczynski. Ele voltou a afirmar que quer escrever o herói um dia, e, por várias vezes, relatou como as pessoas acham que ele é muito poderoso, e que nada de novo pode ser feito. O roteirista citou a história O que Aconteceu com o Homem de Aço?, de Alan Moore, como a essência do Super-Homem. “Enquanto o corpo do Super-Homem é indestrutível, seu coração não é”, analisou.

Mark Waid, que atualmente está envolvido num projeto com o herói, fez coro com Straczynski. Greg Rucka revelou que gostaria de trabalhar com o Capitão América, Mulher-Maravilha e Kitty Pryde.

Os roteiristas optaram por não responder qual personagem gostariam de ver morto, dizendo que, se não gostam do herói, preferem não escrevê-lo.

• Outros artigos escritos por

.

.

.