Zumbi dos Palmares ganha HQ de luxo, pela Marques Saraiva

Por Sidney Gusman
Data: 22 novembro, 2002

Por Sidney Gusman, sobre o press release

Zumbi - A Saga de PalmaresA editora fluminense Marques Saraiva está fazendo sua estréia nos quadrinhos. E em grande estilo! Logo na primeira empreitada, aproveitando o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), está lançando, nas melhores livrarias e comic shops do País, o álbum Zumbi, a Saga de Palmares (formato 21 x 29 cm, 48 páginas coloridas, papel couché 115g, R$ 25,00), com roteiro de Antonio Krisnas e desenhos do competente Allan Alex.

A escassa literatura sobre Zumbi dos Palmares foi o incentivo para que o escritor, artista plástico e músico Antonio Krisnas se empenhasse em estudar sobre o herói negro. O resultado das suas pesquisas e da parceria com o desenhista Allan Alex é este livro, que foi lançado na semana dedicada a Zumbi, que morreu há 307 anos.

A idéia do livro é popularizar a história de Zumbi, da escravidão negra no Brasil e do surgimento do quilombo de Palmares, por meio de quadrinhos dinâmicos e arrojados.

Krisnas destaca Décio Freitas, Maurício Goulart e Abdias Nascimento como suas principais referências bibliográficas de pesquisa sobre a história da escravidão negra no Brasil, a partir dos primórdios da África, berço da civilização humana.

Nos quadrinhos, Zumbi aparece como um guerreiro musculoso e invencível, ao estilo dos super-heróis. Para o autor do livro, essa caracterização e o dinamismo das cenas de combate desenhadas por Allan Alex deverão atrair principalmente o público jovem, entre 12 e 18 anos, já fã dos quadrinhos. Krisnas espera, também, que a edição possa ser adotada como literatura paradidática nas escolas.

Para Krisnas, o racismo velado no Brasil cria uma “síndrome de Casa Grande & Senzala” que mantém, ainda hoje, o negro marginalizado. Contar a história da luta de Zumbi pela liberdade serviria como instrumento de conquista de espaço pelos excluídos de hoje.

A parceria do escritor com o desenhista Allan Alex é antiga, tem cerca de 10 anos. Em Zumbi, a Saga de Palmares, porém, houve um trabalho de equipe, ao estilo dos grandes estúdios de quadrinhos americanos, como a Marvel, onde se designa cada etapa do processo produtivo a um profissional.

O resultado é a qualidade superior dos desenhos, desde o traço inicial de Allan Alex até o colorido final dos desenhos, com crayon.

Zumbi, a Saga de Palmares é apresentado pelo historiador Joel Rufino dos Santos, e traz um comentário final assinado por Nei Lopes, duas referências intelectuais da cultura negra. “A obra de Antonio Krisnas e Allan Alex é de excelente qualidade. Historicamente irrepreensível, impressiona tanto pela narrativa textual, quanto pelas imagens”, destaca Joel Rufino.

Mas a melhor notícia é que Zumbi, a Saga de Palmares é a primeira, mas não a última investida em quadrinhos, da Marques Saraiva. No dia 29 de novembro será lançado o álbum O Segredo da Jurema, de Carlos Patati, que narra a aproximação entre índios e portugueses na época do descobrimento e a distinção do Brasil como espaço multirracial.

Os dois álbuns (e outros que devem vir) fazem parte de uma série chamada Brasileiros, e tem o louvável objetivo de retratar fatos da história do nosso País em quadrinhos e, claro, abrir espaço de trabalho para artistas nacionais. Que este exemplo seja seguido!

• Outros artigos escritos por

.

.

.