Akira ainda pode virar filme

Por Samir Naliato
Data: 14 fevereiro, 2014

AkiraAkira é uma mangá muito famoso. Criado em 1982, por Katsuhiro Otomo, a saga foi publicada até 1990, depois coletada em um total de seis volumes e ganhou um animê, de igual sucesso, em 1988.

A saga se passa em Neo-Tóquio, cidade reconstruída depois que Tóquio foi arrasada por uma explosão e segue os passos de Kaneda e sua gangue de motoqueiros. Quando o amigo de Kaneda, Tetsuo, encontra uma estranha criança com poderes, é preso por agentes do governo e submetido a experiências.

Ele acaba desenvolvendo poderes incontroláveis, comparados ao do lendário Akira, responsável pelo fim de Tóquio, e caberá a Kaneda ajudar a impedir que a tragédia volte a acontecer.

O sucesso mundial da obra levou a Warner Bros. a comprar os direitos cinematográficos. Desde 2008, o estúdio trabalha no projeto, sem sucesso. Inicialmente, a saga seria dividida em dois filmes e estrelados por Leonardo DiCaprio e Joseph Gordon-Levitt. A história seria toda adaptada para acontecer nos Estados Unidos, na cidade de Neo-Manhattan.

Com o tempo, os planos foram mudando. Troca de roteiristas, diferentes diretores e muitos atores foram cotados para o projeto, como Keanu Reeves, Garrett Hedlund, Michael Fassbender, Chris Pine, Justin Timberlake, Joaquin Phoenix, Morgan Freeman, Gary Oldman, Ken Watanabe.

Keanu Reeves esteve muito tempo atrelado ao longa-metragem, mas deixou a adaptação em 2011. No mesmo ano, o diretor Jaume Collet-Serra assumiu o comando, mas o orçamento de US$ 180 milhões foi considerado alto pela Warner, que queria um máximo de US$ 90 milhões.

Aparentemente, isso havia sido resolvido e as filmagens começariam em 2012, mas, então, o filme voltou ao limbo.

Agora, Collet-Serra revelou que ainda continua envolvido na adaptação.

Durante entrevistas para seu novo filme, Sem Escalas, ele comentou como está o desenvolvimento. “Ainda estou trabalhando em Akira. É ótimo que o estúdio esteja esperando por mim. É um projeto difícil, porque é preciso respeitar o material original. O próprio Otomo adaptou para animê, que é completamente diferente do mangá, mas, ainda assim, genial. A única maneira de fazer um live-action é pegar o espírito da história. Será tão diferente quanto o animê é do mangá”, revelou em entrevista ao site Coming Soon.

“Não se pode fazer um filme como Akira e achar que todos irão entender. É preciso fazer três ou quatro filmes em um só. Se você é um fã, já sabe do que se trata e reconhecerá aquele mundo, mas tentar simplificá-lo é um erro”, ponderou.

“Espero apresentar personagens fortes. No material original, não acho que os personagens principais são os protagonistas. Quero me focar nisso. Ninguém é interessante no mangá. Tetsuo só é interessante por causa das esquisitices que acontecem com ele e Kaneda é bidimensional. Isso é parte da cultura japonesa, eles nunca têm personagens fortes e todos são usados como meio para assuntos filosóficos”, analisou o diretor.

Ele afirmou ainda que, se for bem-sucedido, espera que o filme tenha continuações. “Eu e muitas outras pessoas adoram aquele mundo. Então, por que não nos aprofundarmos nele?”

Akira

• Outros artigos escritos por

.

.

.