Autores fazem paródias de super-heróis em projetos no Catarse

Por Samir Naliato
Data: 12 abril, 2016

Dois projetos atualmente disponíveis no site de crowdfunding Catarse usam do humor e da paródia para brincar com o conceito de super-heróis e as peculiaridades do gênero. Veja abaixo mais detalhes.

Mais cuecas por cima das calças (formato 21 x 14,8 cm, 100 páginas), de Rafael Koff. Este é o segundo volume do livro que reúne tiras nas quais o autor subverte o cotidiano dos famosos seres superpoderosos dos quadrinhos. A edição anterior foi lançada em 2013, também por meio de financiamento coletivo. Para mais informações sobre o projeto, as recompensas disponíveis (que incluem trabalhos anteriores de Rafael) e colaborar, clique aqui.

Profissão Super-Herói (formato 22 x 12 cm, 90 páginas), de Filipe Coelho e Rodrigo de Freitas. Uma coletânea das tiras satirizando os super-heróis, disponibilizadas toda sexta-feira no site Barba do Bardo, desde 2014. Além disso, algumas serão inéditas para o livro, mostrando o que os heróis fariam para arrecadar algum dinheiro durante a crise e um especial com crossovers inusitados. Para mais informações sobre o projeto, as recompensas disponíveis e colaborar, clique aqui.

Conheça outros projetos no Catarse acessando a página especial do UHQ que mantém uma lista atualizada de campanhas ativas.

Mais cuecas por cima das calças

Profissão Super-Herói

• Outros artigos escritos por

.

  • Marco1964

    Perguntar não ofende: como ficam os direitos autorais nesse caso?

    • keep Calm Guys

      Ia te dar uma resposta contrária, mas agora eu vi que eles usaram mesmo, toda a simbologia. Se ferraram. kkkkkkkk

    • Roberval

      Paródia não precisa pagar direito autoral.

    • Rafael Koff

      Oi! É permitido se fazer paródias. O que não dá pra se fazer é reproduzir ou copiar algo tal como foi feito. É por isso que o Family Guy ou South Park podem utilizar versões satirizadas de personagens, por exemplo…Ou uma camiseta do Threadless pode ter um conteúdo parodiando algo….Pelo menos é o que alguns advogados que consultei sempre me disseram. Não deixa de ser meio nebulosa essa área. Até agora não enfrentei nenhum problema do gênero e já fiz livrinhos independentes parodiando outros temas e personagens. Um abraço!