Coleção Super-Heróis traz alguns dos maiores personagens da Marvel e DC

Por Marcelo Naranjo
Data: 26 abril, 2016

Dividida em sete volumes, a Coleção Super-Heróis detalha a criação dos personagens da Marvel e da DC nos quadrinhos e os principais fatos de suas carreiras até os dias atuais.

A coleção foi produzida pelas responsáveis pela revista Mundo dos Super-Heróis, com parte do material publicado nos dossiês, reportagens aprofundadas sobre personagens, artistas e editoras, reeditadas e incluindo textos inéditos.

Cada livro tem formato 19,4 x 25,4 cm, 96 páginas e é dividido entre um herói da Marvel e outro da DC. O primeiro número traz o Homem-Aranha e o Flash. Confira a coleção completa:

Volume 1: Homem-Aranha e Flash (já disponível)

Volume 2: Batman e Homem de Ferro (Junho de 2016)

Volume 3: Capitão América e Lanterna Verde (Agosto de 2016)

Volume 4: Superman e Thor (Outubro de 2016)

Volume 5: Hulk e Aquaman (Dezembro de 2016)

Volume 6: Mulher-Maravilha e Wolverine (Fevereiro de 2017)

Volume 7: Demolidor e Arqueiro Verde (Abril de 2017)

A coleção está à venda em bancas e livrarias. Cada exemplar custa R$ 49,00, mas assinando a série completa o valor total diminui – o preço de cada livro passa a ser R$ 36,00 e o total pode ser parcelado, com frete gratuito. Confira clicando aqui.

super_herois

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Não precisa pedir direitos autorais pra fazer essas coisas?

    • Rodrigo Cazes

      Sendo uma obra de caráter informativo, não.

    • Canoa Furada

      Se não tiver os logos de Marvel e DC estampados na capa e como são lançados sob a alcunha de jornalismo, acredito que não tenha problema.

      Mas quanto a essas capas, aí sim, é passível de discussão. Tem capa especial do Demolidor pelo Alex Ross. Tem Steven McNiven. Não sei se a justificativa jornalística cabe aí também.

      Tem que fazer igual essas lojas “geeks” que utilizam artes mais pictóricas ou estilizadas em canecas, camisas e afins pra fugir do pagamento de direitos.

  • Vipo Free

    Gostava muito dos dossiês da mundo dos super-herois(principalmente os primeiros, onde eles focavam mais nas hqs do que em filmes).
    No entanto só tenho interesse nos personagens da marvel, não irei pegar essa uma vez que metade do material não me interessa.
    Acho que eles deram uma bola fora, pois precisam achar alguém que se interesse pelos dois(marvel e dc), creio que seria mais viavel dois herois da mesma editora dividirem as edições tipo: uma seria o aranha e demolidor e a outra o batman e aquaman.

    • Canoa Furada

      Na verdade parece um acerto querer acertar gregos e troianos ao mesmo tempo. Assim garante as vendas de todas as edições.

      É mais fácil encontrar quem goste de pelo menos um do que quem odeie pelo menos um.

      • Vipo Free

        Entendo que assim eles não correm o risco de encalhar as edições com herois menos famosos ou populares, mas como essa edição o preço é consideravelmente mais elevado que as edições “normais” acabo sendo um pouco mais cauteloso e criterioso com o que gastar.

    • Eu, honestamente, discordo, amigo Vipo Free. E vou dizer o motivo:

      1-É uma jogada de mestre porque existem MUITAS pessoas que gostam das duas editoras. Eu sou uma delas. Para ser honesto, em plena época dessas, é até estranho escutar alguém que se diz fã de super-heróis e faz distinção entre personagens da Marvel, DC, Image, de videogames ou até mesmo japoneses. Mas, gosto é gosto.

      2-A intenção desta coleção é exatamente mostrar pro público algo diferente: edições que NÃO fazem distinção entre heróis de uma e de outra editora. A maioria das publicações fazem o já manjado ”coleção Marvel” ou ”enciclopédia DC” e adicionam, na verdade, NADA para o público ou para a cultura pop em si. Mantendo o povo em uma zona de ”conforto”. Essa coleção é interessante por ser o inverso: Exatamente revelando que nem é necessário essa besteira de ”lado A vs lado B”, como tem espaço pra todo mundo. E, quem não conhece os heróis de uma editora ou de outra, pode aprender mais a respeito AGORA.

      É como dizer a um cara que ele pode preferir morenas, ou mulatas, ou loiras, ou ruivas ou asiáticas e, ainda assim, namorar com QUALQUER uma mulher no mundo, sem problemas. ;)

      Sempre achei necessário MAIS desse tipo de iniciativa. Mas, como disse acima: gosto é gosto. Respeito quem achar que não é interessante a proposta. Só não concordo em dizer que não existe apelo ou demanda nisso, porque é o inverso: o que afasta a maioria das pessoas de lerem hq’s de uma editora ou de outra é falta de informação ou de (desculpem me dizer) frescura de grande parte do público. Que julga sem conhecer. Essa coleção já é um antídoto interessante pra esse tipo de coisa.

      • Transeunte

        Alguém que tem só interesse em uma, ao invés de dois, normalmente é bazingueiro bitolado na rivalidades Warner e Disney.
        Quem é fã de quadrinhos, pouco se importa com essas coisas.

        • Verdade.

        • Vipo Free

          Então, leio hqs a 20 anos, muuuuiiiitooo antes de começar essa rivalidade que tem hoje.
          Pela sua logica quem gosta de futebol de campo tem que também gostar de futebol de salão?! Já que na sua ótica são quase a mesma coisa?
          Gosto é gosto, por favor evite julgar os outros e iniciar discussões desnecessárias e ofensivas, dei minha opinião sem criticar ninguém.

          • Transeunte

            “normalmente”
            E a comparação entre futebol de salão com o de campo, não tem muita lógica, comparado a editoras de quadrinhos de super heróis.

      • Vipo Free

        Na verdade, se eles apostassem em edições separadas teriam mais chances de acertar os dois publicos, pois quem gostasse compraria os 2.
        Sobre a questão de alguém ler só uma editora existem vários fatores: não ter tanto tempo ocioso para ler 50 hqs, falta de dinheiro, identificação maior com algum personagem e etc.

        • Eu compreendo, mano Vipo Free. Mas, ainda assim, dividir a coleção em Marvel e DC, como eu já tinha dito, seria mais do mesmo e pouco adicionaria ao repertório do fã de quadrinho ou para a cultura pop em geral. A ideia da coleção é exatamente derrubar essa barreira. Se o comprador só quer personagens de UMA editora ou UM herói de sua predileção isso JÁ ocorre em outras publicações: incluindo os próprios dossiês que saem todos os meses.

          Sobre o tempo necessário para ler 50 revistas: concordo que a galera nem tem tempo e nem grana pra fazer isso. O negócio é selecionar. Mas, por conta dessa limitação, é que muita gente acaba por NÃO conhecer boas histórias de personagem ou editora A, B ou C.

          Identificação é um elemento plausível. Claro. Mas, o que torna a identificação maior entre um comprador e o personagem, muitas vezes, é só falta de oportunidade ou propaganda. Homem de Ferro, Demolidor, Guardiões da Galáxia e outros personagens eram conhecidos e queridos apenas por poucas pessoas: na escola, a galera tirava onda comigo por ”gostar de heróis tão toscos que nem tem bonecos a venda”. HOJE, basta ter saído um filme que qualquer um é super fã desses personagens, que os mesmos nunca leram (e nem leem).

          Ou seja, numa dessas, o cara compra a coleção por conta de UM personagem ou editora e fique reclamando. Mas, após ler o material completo, começa a pensar ”poxa..até que é legal”. Foi assim comigo quando criança: eu detestava a DC por causa do seriado do Batman cuecão de couro e dos Superamigos. Só curtia Superman, Batman, Aquaman, Nuclear e Cyborg por conta do visual e o filme do Christopher Reeve. Fui ler ”Crise nas Infinitas Terras” e mudei de opinião. Essas coisas acontecem. Basta a ocasião favorecer.

  • Heberton Arduini

    Se achar uns encalhes por preço menor quem sabe arrisco. Com tanta coisa nas bancas definitivamente não entra na minha lista de prioridades.

  • Eli Ramos

    As edições são lindas, mas o conteúdo é para fanboys de 13 anos e as combinações das “duplas” não faz o menor sentido.

    • Isabela Cristina

      São histórias em quadrinhos ou informativos sobre a marvel e a dc? Fiquei na dúvida.

  • Jonas Lobato

    Essa coleção pode ser boa para pré-adolescentes que descobriram os super-heróis com esses novos filmes. Para qualquer leitor de quadrinhos mais velho, com alguma bagagem razoável de leitura, é uma coleção até bonita graficamente, mas totalmente inútil e/ou redundante. Dos “dossiês” que eu li na revista, nunca encontrei nada que fosse bombástico, do tipo, “Meu Deus, leio gibis há mais de 30 anos e não sabia disso!”. Além do quê, a MSH virou um verdadeiro “press release” da Marvel e da DC: sem críticas, só elogios. Ou melhor: críticas, só para as histórias e produções (filmes, animações) clássicas. O que é novidade, mesmo aberrações criativas como os maledettos “Novos 52” são incensadas. Melhor pegar esses R$ 49,00 e gastar em um sebo.