Confira os projetos selecionados no ProAC 2017

Por Marcelo Naranjo
Data: 15 setembro, 2017

Diário Oficial divulgou hoje, dia 15 de setembro, os projetos que serão contemplados pelo ProAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, no Concurso de Apoio a Projetos de Criação e Publicação de Histórias em Quadrinhos no Estado de São Paulo, em 2017.

ProAC

Este ano, o número de contemplados subiu para 14 projetos (em 2016, foram 12), sendo no mínimo 7 de outras cidades do Estado de São Paulo, sem contar a capital.

Além disso, foi determinado pelo regulamento que 8 dos proponentes selecionados fossem estreantes (pessoas que nunca tivessem publicado uma HQ), sendo 4 do interior e 4 da capital.

Cada projeto contemplado ganhará 40 mil reais para o material ser publicado. São eles, sem qualquer ordem classificatória:

Projetos vencedores da capital – Não estreantes

O maestro, o cuco e a lenda, de Wagner Willian Menezes de Araújo;

O último assalto, de Daniel Esteves Macedo Pereira;

A irmandade bege, de Rogerio da Cruz Kuroda.

Projetos vencedores de outras cidades do Estado – Não estreantes

Djanira, de Luiz Carlos Fernandes, de Santo André;

Adágio, de Felipe Prado Gonçalves Cagno, de Barueri;

O crime do restaurante chinês, de Edevilson Fonseca Guilherme, de Holambra;

O segredo de Baba Ganush, de Caio de Paula Souza, de Valinhos.

Projetos vencedores da capital – Estreantes

The end, de Marcelo Amélio de Castro;

Duas lâminas, de Bruno Marques Freire;

Ökami, de Patricia Keiko Kawati.

Projetos vencedores de outras cidades do Estado – Estreantes

Nobre/Lobo, de João Gabriel Gallo Martins Carreteiro, de Cosmópolis;

Reino vazio, de Claudio Alves Gomes Sampaio, de Diadema;

Procissão, de Vinicius França Velo, de Piracicaba;

The Guardian: Em busca da luz, de Gustavo Piacentini, de Piracicaba.

Vale frisar que os projetos selecionados só receberão a verba após a análise da documentação, que também foi enviada no momento da inscrição. Caso haja algum impedimento, o candidato perde a vaga, que é herdada por um dos suplentes. Este ano, foram indicados 14 suplentes (descritos abaixo por ordem de classificação), para o caso de algum titular ser desclassificado.

Projetos suplentes da capital – Não estreantes

Roseira, medalha, engenho e outras histórias, de Jefferson Ferreira Costa;

Divino mundanismo, de Ronaldo Silva Nonato Filho;

Cyberpink, de Aluísio Cervelle Santos.

Projetos suplentes de outras cidades do Estado – Não estreantes

Jambocks! – Sentando a pua na Itália, de Celso Oliveira Menezes, de Itanhaém;

O lobo do homem, de Marcos Leandro de Oliveira, de São Carlos;

O cramulhão e o desencarnado, de Gilmar Machado Barbosa, de Santo André;

Tate-Rei – Revolta em Paty, de Eduardo Vetillo, de Barueri.

Projetos suplentes da capital – Estreantes

A casa da lua cheia, de Natália Guimarães Serrano;

O ouro do dragão, de Victor Tuzi Negreiro ;

Odisseia naftalina, de Marcel Camargo Melfi.

Projetos suplentes de outras cidades do Estado – Estreantes

O andarilho, de Alexandre Costa, de São José do Rio Preto;

Pantanal, de Welton Santos, de Santo André;

Enxerto, de Beatriz Linhares Machado Marchi, de Campinas;

Ratos de estação, de Ellen Gabriel Rodrigues, de Santo André.

A comissão deste ano foi presidida por Hernando Lima dos Santos (da Secretaria de Cultura de São Paulo),Gustavo Fernochi (também da Secretaria), o quadrinhista Wilson André Filho, mais conhecido como Will, Sidney Gusman (editor da Mauricio de Sousa Produções e editor-chefe do Universo HQ) e Lilia Olmedo Monteiro.

• Outros artigos escritos por

.