Conheça mais sobre o alemão Flix, que estará no FIQ 2013

Por Manoella Barbosa
Data: 11 novembro, 2013

FlixUm cara que tem humor e genialidade suficientes para ser um dos convidados do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte. É dessa forma que Félix Görmann, um dos 18 convidados internacionais do FIQ, é apresentado no site do evento, cuja oitava edição acontecerá entre os dias 13 e 17 de novembro.

O convite foi uma “grande alegria e uma forma de escapar do frio outono alemão”, diz Félix Görmann, mais conhecido como Flix, um premiado cartunista em seu país natal. O desenhista e ilustrador free-lancer é o responsável pela adaptação para as HQs do grande clássico da literatura alemã Fausto, de Goethe; e já conhecia o FIQ de nome: “Me falaram que é o maior festival de quadrinhos do mundo”.

Flix mora em um bairro descolado, cheio de cafés e de vida cultural intensa, chamado Berlim Mitte, no meio de Berlim. É também ali que trabalha o autor de 13 livros, alguns deles já traduzidos para cinco idiomas, inclusive o português.

Em 2011, a editora independente Tinta Negra, do Rio de Janeiro, lançou sua festejada HQ Quando lá tinha o muro… Lembranças daqui e de lá. Com 124 páginas, o livro narra em 30 histórias curtas os anos de divisão da Alemanha devido ao Muro de Berlim, todas relatadas por pessoas do seu círculo de amizade.

Conhecido pelo tom autobiográfico e muito pessoal de suas HQs, não será a primeira vez que Flix vem ao Brasil. Em 2010, ele já havia sido convidado pelo Instituto Goethe a participar de uma leitura de seus quadrinhos em Curitiba e no Rio de Janeiro.

Flix programou uma estada curta nesta viagem para a América do Sul. “Sou pai de primeira viagem, minha filha ainda é muito pequena. Logo após o FIQ, volto direto para Berlim”, explica.

Ainda assim, ele avisa aos visitantes do evento: “Irão se deparar com um cartunista alemão bem-humorado e que assinará qualquer coisa que aparecer na sua frente”, referindo-se à mesa de autógrafos de que participará no sábado, dia 16.

Quando não está empurrando o carrinho de bebê pelas ruas de Berlim, Flix gosta de fazer ioga e de ler HQs. As prediletas do momento são os três volumes de Blast, do ilustrador francês Manu Larcenet.

Perguntado sobre a cena brasileira de quadrinhos, Flix assume não conhecê-la bem. Laerte, por exemplo, o quadrinhista homenageado no FIQ e um dos maiores nomes brasileiros na área, ainda não é conhecido para o alemão. Mas ele não se preocupa com isso: “Procure-me depois de novembro; eu certamente terei muito o que contar sobre HQs no Brasil.”

Confira abaixo a programação de Flix durante o FIQ 2013.

Dia 16/11 (sábado)

11h30min: painel Autobiográficos, na companhia de Boulet, Cris Eiko, Flix e Paulo Crumbim, com mediação de Paulo Ramos, no auditório Gutemberg Monteiro.
14h: sessão de autógrafos, na Praça Mauro Martinez.

Dia 17/11 (domingo)

13h30min: Conversa em Quadrinhos com Flix, com mediação de José Aguiar, no auditório Gutemberg Monteiro
14h: Conversa em Quadrinhos com Duke e Flix, com mediação de Lucas Libanio, no auditório Gutemberg Monteiro

Quando lá tinha o muro...

.

Manoella Barbosa é jornalista, vive em Hamburgo, Alemanha, e mantém o blog jornalístico Schreiben.

• Outros artigos escritos por

.

.

.