Conheça o projeto online Sombras do Recife

Por Marcelo Naranjo
Data: 31 maio, 2017

Roberta Cirne trabalha com HQs desde a infância, e já participou de obras como Passos Perdidos, Historia Desenhada, Heróis da Restauração e, por último, Afro HQ, contando a história do continente Africano do ponto de vista dos Orixás.

Há 19 anos, ela criou o projeto Sombras do Recife, uma série em quadrinhos que roteiriza e desenha, e que é publicada online. A intenção é contar tramas de horror representando graficamente a capital pernanbucana e com elementos que muitos recifenses desconhecem, passando pelas ruas, pontes e praças locais, sem desconfiar de toda a história que elas carregam.

Costumes que entraram em desuso, monumentos demolidos e desaparecidos, roupas, personagens pitorescos, doces, coisas que só Recife tem são referências para as tramas.

A HQ em andamento no momento é Boca de Ouro, sobre um condutor de bonde de burro na Recife de 1913, que está passando pelas reformas e mudanças de transportes urbanos. Humilde e com os dentes estragados, ele sonha em ficar com a mulher que ama, mas que é casada. O protagonista é demitido, e resolve entrar para o jogo do bicho, que acabou de chegar na cidade. Torna-se o maior bicheiro local, coloca uma dentadura de ouro e casa-se com a mulher amada, após assassinar o marido dela. O que ele não sabe é que a história tomará um rumo inesperado e terrível.

A trama é centrada na lenda do boca de ouro, que aparece às pessoas nas ruas de Recife como uma espécie de zumbi e, como pano de fundo, nas reformas da cidade em 1911/1913, na demolição do porto e na vida noturna dos cafés da praça do Diário, com o surgimento do jogo do bicho e a boêmia do início do Século 20.

Outra lenda urbana local adaptada é a HQ A Lenda do Palhaço do Coqueiro do Janga, que narra a história de um palhaço que, não conseguindo fazer ninguém rir, enlouquece e sai matando pessoas que não o acham engraçado.

Além das HQs, o leitor confere textos adicionais, ou glosas, que podem ser lidos juntos ou em separado e que aprofundam a experiência da aventura. Os textos são paradidáticos e contam a história da cidade.

Confira a página do projeto, o site oficial e o Instagram da obra.

• Outros artigos escritos por

.