Conheça a Plaf, uma revista brasileira sobre quadrinhos

Por Marcelo Naranjo
Data: 31 agosto, 2017

“O mundo dos quadrinhos é o mundo todo”. É com esse mote que chega às comic shops a Plaf (formato 21 x 28 cm, 56 páginas, R$ 15,00), revista brasileira sobre quadrinhos com foco na produção autoral e na diversidade temática, abordando desde autores brasileiros até produções estrangeiras.

A cada edição, a publicação bimestral trará reportagens, entrevistas, resenhas, matérias e HQs inéditas. O número de estreia traz um ensaio sobre a representatividade LGBT nos quadrinhos hoje. A capa é da mineira Lu Cafaggi.

A Plaf nasce com a proposta de ser um veículo crítico de divulgação do atual momento da produção autoral no Brasil. Editada por Carol Almeida, Dandara Palankof e Paulo Floro, espera mostrar os quadrinhos como uma arte plural e inquieta, que dialoga com questões importantes do mundo atual.

Este primeiro número traz uma entrevista com o quadrinhista André Dahmer (Malvados), um dos autores que melhor comentam esses tempos de instabilidade política (e emocional) do Brasil, e uma análise sobre os ciclos produtivos das HQs brasileiras e seu atual cenário.

O título tem ainda um infográfico sobre as andanças de Tintim pelo mundo e uma coluna sobre Maria Aparecida Godoy, uma das primeiras roteiristas brasileiras a ganhar destaque no mercado editorial. “Nossa ideia é produzir uma revista que fale simultaneamente de como os quadrinhos contemporâneos dialogam com o mundo ao redor, sem esquecer a necessidade de preservar a memória da própria história das HQs”, declara Carol.

Dentre os interesses da publicação está a valorização da produção pernambucana e nordestina. Neste número, a Plaf traz uma reportagem sobre a Ragu, importante publicação de Recife. Criada por João Lin e Mascaro nos anos 1990, a revista trouxe inovações estéticas e experimentações.

Além disso, trará a cada edição HQs inéditas e exclusivas. Logo na estreia tem Lu Cafaggi, a brasiliense Renata Rinaldi e o pernambucano João Lin. Já Raoni Assis apresenta, ao lado de Rodrigo Acioli, uma história sobre o Ocupe Estelita, movimento que questiona a especulação imobiliária em uma área histórica do Recife. Fechando a edição, uma sátira ao nosso atual momento político, pelo quadrinhista piauiense Caio Oliveira.

A revista será vendida em comic shops no Recife, João Pessoa, São Paulo e Curitiba, mas também poderá ser adquirida na sua loja virtual e na loja online da Ugra Press. A Plaf é uma iniciativa da Revista O Grito!, site especializado em cultura pop e arte, com sede no Recife, e tem o incentivo do Funcultura – Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura, do Governo do Estado de Pernambuco.

• Outros artigos escritos por

.

  • Paulo

    No caso de quem só pode comprar pela loja online, o frete é grátis?

    • Paulo Floro

      Oi, tudo massa? Tem a opção de frete via Impresso Módico por apenas R$ 6 para todo o Brasil.

      • Paulo

        Perfeição!

  • marcelo miranda

    Muito legal a Plaf! Sou amigo da Carol Almeida e eis uma das grandes profissionais do jornalismo no país hoje. Com a união com Paulo Floro, é garantia de um projeto imperdível. Sucesso!

  • Podiam colocar na Social Comics, que nem a Mundo dos SH. Faltam revistas de HQs lá.

  • Vou ler!

  • Aster Yupio

    Diversidade temática = falar dos mesmos assuntos que ficam empurrando goela abaixo das pessoas nas revistas, jornais, portais de internet e televisão diariamente.

    • ed

      Exatamente. Só empurram agenda globalista.

    • João Paulo

      Falou tudo.

    • Não tão empurrando nada, a proposta é bem clara e só compra e lê se tiver interesse.
      No caso, já se vê que não é de seu interesse, então é só não comprar :)

    • Hayla Silva

      Que horror, tem alguém te obrigando a comprar a revista, se livra dessa pessoa. #pas

    • Alexandre Fontoura Doeppre

      Concordo, meu chapa. Hoje em dia a pauta é sempre a mesma, seja no mainstream ou no meio independente. Quem discorda acaba segregado. Estamos rumando alegremente para a unidade de pensamento que os donos do mundo querem impor.