Cumbe, Deus aos domingos e Aleister Crowley são os próximos lançamentos da Veneta

Por Samir Naliato
Data: 14 março, 2018

A editora Veneta tem três novidades confirmadas para os meses de março e abril.

Todas elas já estão disponíveis em pré-venda na Amazon Brasil. Clique nos respectivos links e imagens abaixo.

O primeiro deles é o relançamento de Cumbe (formato 16,4 x 23,6 cm, 192 páginas, capa cartonada, R$ 54,90), publicado originalmente em 2014. Com o sucesso de Angola Janga, no ano passado, a editora relança a graphic novel anterior de Marcelo D’Salete.

A história retrata a luta dos negros contra a escravidão no Brasil colonial. O livro traz contos emocionantes, protagonizados por escravizados, mostrando a resistência contra a violência das senzalas brasileiras. Cumbe, a palavra banto que dá nome à obra, é rica em sentidos: é o Sol, o dia, a luz, o fogo e a maneira de compreender a vida e o mundo. Também é um sinônimo de quilombo. Esta segunda edição traz novo posfácio do autor e desenhos inéditos.

Cumbe

Outro título que chega às livrarias em março é Deus aos domingos (formato 16 x 23 cm, 96 páginas, capa cartonada, R$ 39,90), de Rafael Campos Rocha.

Esta versão de Deus criada pelo autor foi publicada no caderno Ilustríssima, da Folha de S.Paulo; na revista Piauí e na Vice. E provoca muita polêmica, porque Deus é uma mulher negra que gosta de dar risada e de sexo. Em 2012, a Companhia das Letras também lançou uma edição da personagem, chamada Deus, essa gostosa.

Deus aos domingos

Por fim, em abril será lançado Aleister Crowley (formato 17 x 24 cm, 160 páginas, capa dura, R$ 53,90), de Martin Hayes e‎ R.H. Stewart.

A vida e a obra de uma das personalidades mais controversas e influentes do Século 20 é retratada em forma de quadrinhos neste livro. Ocultista, poeta, escritor, espião, entusiasta do amor livre e das drogas, Crowley ajudou a moldar a cultura pop contemporânea. Ele está na capa do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, e é citado por artistas das mais diversas áreas, dos mais diversos gêneros. De Led Zeppelin, David Bowie, Jay Z e Raul Seixas a Fernando Pessoa, William S. Burroughs, Alan Moore, Neil Gaiman e Paulo Coelho.

Sua famosa frase “Faze o que tu queres, há de ser o todo da lei”, que está no Livro da Lei (Chave, 2017) virou hino na voz de Raul Seixas, na clássica Sociedade Alternativa (que adaptou a tradução para “faça o que tu queres, pois é tudo da lei”). Sua influência também se espalha por todo o ocultismo ocidental, do neopaganismo wicca à popularização de práticas espirituais como a yoga.

Neste livro, os autores mostram o seu nascimento em uma rica família de fanáticos religiosos, a sofrida infância e adolescência nas escolas de elite, a descoberta da magia e a vida de escândalos que o transformaram em uma das maiores celebridades de seu tempo e o alvo favorito dos tabloides ingleses que o definiram como “O homem mais perverso do mundo”.

Esta obra é uma parceria da editora Veneta com o selo Chave, que já publica a edição brasileira de O Livro da Lei, clássico de Crowley.

Aleister Crowley

 

• Outros artigos escritos por

.

.

.