Death Note provoca a prisão de jovens nos Estados Unidos

Por Marcus Ramone
Data: 17 janeiro, 2008

O mangá Death Note, de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, continua dando o que falar nos países onde é publicado. Os motivos de tanto burburinho, entretanto, nem sempre passam pela qualidade das histórias.

A exemplo do que aconteceu recentemente na China, onde jovens se inspiraram na trama do mangá e escreveram em um caderno os nomes de pessoas que gostariam de ver mortas, nos Estados Unidos estão sendo registrados muitos casos semelhantes.

Seja uma brincadeira de mau gosto ou pura fantasia juvenil, a verdade é que há pais, educadores e autoridades preocupados com esses incidentes.

Banir Death Note do país foi a solução encontrada na China. Nos Estados Unidos, estudantes que fizeram uma “lista negra” de colegas foram suspensos ou expulsos da escola em algumas cidades.

Mas esses já não parecem ser os únicos meios de inibir possíveis intenções homicidas dos jovens que seguem a cartilha de Death Note.

No mês passado, a polícia da cidade de Milford, Massassuchets, nos Estados Unidos, prendeu um garoto e uma moça, respectivamente de 12 e 13 anos, que criaram um “caderno da morte” contendo os nomes de 33 colegas de sua escola.

Os dois jovens foram indiciados na Corte Juvenil de Milford por ameaça de assassinato e distúrbio escolar e aguardam julgamento.

No Brasil, Death Note é publicado desde julho de 2007, pela editora JBC, sem qualquer tipo de polêmica.

Death Note

• Outros artigos escritos por

.