Devir anuncia Biblioteca Will Eisner, com obras clássicas do autor

Por Samir Naliato
Data: 1 outubro, 2019

Devir voltará a publicar um dos autores mais influentes dos quadrinhos com a coleção em dois volumes Biblioteca Will Eisner, que reunirá os materiais lançados anteriormente pela editora em edições avulsas.

Biblioteca Will Eisner – Volume 1 – Um contrato com Deus (formato 16 x 26 cm, 528 páginas, capa dura, R$ 165,00) já está em pré-venda na Amazon Brasil com uma sobrecapa/diorama exclusiva com personagens para montar num cenário inspirado na obra de Eisner.

Este primeiro volume reúne histórias baseadas nas experiências do autor sobre vida, morte e a luta interminável de pessoas comuns que decidem sobreviver às adversidades do destino mesmo quando tudo parece perdido. São elas:

Um contrato com Deus (1978) – Publicada timidamente em seu lançamento, ajudou a definir o termo graphic novel e inspirou toda uma geração de novos “artistas sequenciais” no mundo inteiro. Essa obra semi-biográfica captura os dramas da cidade de Nova York e de seus habitantes. Passando-se em cortiços do bairro do Bronx, o mesmo cenário de Avenida Dropsie, as histórias examinam o mundo dos imigrantes na cidade durante a década de 1930 através do olhar único de um dos maiores autores de quadrinhos de todos os tempos. Na trama que dá título ao volume, um judeu muito bom e devoto se torna um investidor voraz depois de perder sua filha adotiva, Rachele, o que considera uma quebra de um contrato firmado com Deus em sua infância.

A força da vida (1988) – As vidas e os sonhos, as esperanças e os temores de personagens comuns que perseveram e sobrevivem à Grande Depressão econômica dos anos 1930. Em meio a essa luta diária, a ascensão da Alemanha de Hitler projeta sua longa sombra sobre os moradores de um cortiço na Avenida Dropsie. Assim, nos atropelos do quotidiano e sem que percebam, suas vidas serão mudadas para sempre neste conto sobre o que leva uma pessoa a continuar enfrentando as adversidades do destino mesmo quando tudo parece perdido.

Avenida Dropsie (1995) – A Avenida Dropsie era uma vizinhança agradável e familiar. Gerações de pessoas cresceram e viveram suas vidas naquela rua. Mas, com o tempo, ela foi desaparecendo, até que, um dia, passou a ser pouco mais que um campo cheio de entulhos. Como isso foi acontecer? Uma fábula urbana que retrata a metamorfose histórica de uma única rua de Nova York e seus moradores, de uma Nova Amsterdam colonial até o arco-íris étnico do início do Século 21.

O segundo volume apresentará Um sinal do espaço, Pequenos milagres e Assunto de família.

Biblioteca Will Eisner - Volume 1 - Um contrato com Deus

Biblioteca Will Eisner - Volume 1 - Um contrato com Deus

Diorama de Biblioteca Will Eisner - Volume 1 - Um contrato com Deus

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Gonçalo

    Que coisa fantástica!!! Vou torcer para que lancem Spirit também.

  • Anthony Cattaneo

    Adorei, só não entendi porque duas imagens

    • Samir Naliato

      Uma é a capa da edição, a outra é a sobrecapa.

      • Anthony Cattaneo

        Muito obrigado.

  • Samir Naliato

    Não sei. Talvez por receio de não vender. Spirit é longo, a coleção Spirit Archive que saiu nos EUA tem 27 volumes. Mas podia rolar pelo menos umas coletâneas.

    • VAM!

      Olha não sabia dessa longevidade toda Samir.

      Mas você tem razão, uma coletânea como aquela lançada pela L&PM no passado e que hoje custa os olhos da cara, MAS com novos arquivos digitalizados, já estava de bom tamanho.

      Grande abraço,
      VAM!

  • Emerson

    Um dos grandes lançamentos do ano. Tem muita coisa boa boa saindo nesse trimestre, pena que não há condições financeiras pra tudo.

  • Fazem “capa dura” só pra inflacionar. Triste.

    • Carlos Silvério

      Nem. Se existe algum material que merece sair em capa dura, é esse.

  • Alexandre Floquet da Rocha

    Eu queria o Spirit. Será que a Devir tem interesse em publicar?

  • KEMO SABAY

    Sempre esperei que The Spirit fosse lançado no Brasil na sua cronologia completa. Mas nas últimas décadas, nem histórias avulsas foram publicadas. Uma pena! Quem sabe a DEVIR não muda esse cenário