Diabolik volta ao Brasil pela Editora 85 com campanha no Catarse

Por Samir Naliato
Data: 8 maio, 2018

Após publicar Dampyr por meio de campanha de financiamento coletivo, a Editora 85 anunciou seu próximo projeto: Diabolik!

A edição terá formato 12 x 17 cm, 480 páginas, e trará quatro histórias inéditas no Brasil. O projeto já está disponível no Catarse – para mais detalhes, ver todos os planos de apoio e conferir as recompensas, clique aqui.

O personagem foi criado em 1962, pelas irmãs italianas Angela Giussani e Luciana Giussani, e publicado pela editora Astorina. Dotado de uma inteligência acima do normal e de uma audácia sem limites, os poderes de Diabolik parecem sobrenaturais. É o homem dos mil disfarces e, com suas máscaras especiais feitas de plástico, consegue modificar a fisionomia de seu rosto.

Graças a uma infinidade de truques, ele é capaz dos crimes mais bem engendrados ao lado de sua fiel parceira, e não menos cruel, Eva Kant. Somente a genialidade e a tenacidade do inspetor Ginko são capazes de enfrentar Diabolik e Eva.

No Brasil, Diabolik estreou em 1981, pela editora Vecchi, com uma série que durou 12 números. Já em 1989, uma nova revista saiu pela Record, totalizando 15 edições, além de um especial.

Diabolik

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Bruno Portugal

    Só faltou dizer que ele inspirou o Paperinik, o Superpato!

    • 0-Drix

      E também inspirou o Fantomex.

  • Dyel Dimmestri

    Vale lembrar também que,ainda nos anos 1960(mais precisamente,em 1968),Diabolik ganhou um filme em Live – Action,uma produção ítalo – britânica,dirigida por Mario Bava e com trilha sonora de Enio Morricone.o filme chamava – se PERIGO:DIABOLIK (Danger:Diabolik),e o personagem – título era interpretado pelo ator John Philip Law. Este filme é parodiado pela banda de Funk/Rock Beastie Boys,no Clip da música Body Movin’. E,no começo dos anos 2000,Diabolik ganhou uma série em desenho animado,produzido pela Saban Entertainment(Power Rangers),que durou 36 episódios,exibidos no finado canal Fox Kids.

    • Olavo Nogueira

      Bem lembrado, tanto o filme quanto o clip são excelentes.

    • Enoch

      Cara, não conheço o personagem mas por eu gostar de música as curiosidades que você apontou me deixaram … curioso rs
      Não é todo dia que a gente conhece um personagem de hqs que pode ser relacionado ao Enio Morricone e aos Beastie Boys. O Diabolik me pareceu ser uma espécie de um reflexo distorcido do James Bond ou do Ethan Hunt.
      Vou ficar atento a esse título.

  • Stephan

    Podiam aproveitar e relançar Kriminal e Satanik, dois grandes personagens do Mestre Magnus e que tiveram pouquíssimas histórias publicadas aqui pela Bloch nos anos 80.

  • kriminal diabolik

    480 páginas, correr pro catarse garantir a minha.

  • marcelo miranda

    Está de parabéns a Editora 85 por esse trabalho incrível que ela vem fazendo com os quadrinhos italianos no Brasil. Um show de iniciativa e a prova de que é, sim, possível lançar quadrinhos em ótimas edições a preços pagáveis e justos. Que continue assim e conte com o apoio de quem acredita em iniciativas como essa.

    • Gustavo Nascimento

      Verdade. Dampyr ficou excelente! Não conheço nada de Diabolik mas vou apoiar o projeto para conhecer e prestigiar a editora 85

  • Gabriel

    Vale pegar esta edição sem ter lido as anteriores lançadas pela Record ou Vecchi? Se não me engano o personagem chegou a ter um filme em 1968 que nunca assisti.

    • Pedro Bouça

      A série é perfeitamente acessível. Tudo que você precisa saber é o que está no artigo do UHQ!

  • santos

    Esse quadrinho é sensacional, e as tramas dão nó na cabeça de qualquer um.