Editora Abril muda o foco e aposta em coleções de luxo da Disney

Por Samir Naliato
Data: 28 novembro, 2017

Quadrinhos sempre foram destaque na Editora Abril, e ajudaram a forjar o que viria a se tornar um dos principais grupos de comunicação do Brasil, com alcance internacional. Fundada em 1950 por Victor Civita, a editora apostou na nona arte desde o início, lançando Pato Donald #1.

Com o passar das décadas, diversos materiais saíram com o selo da Abril, incluindo Disney, Turma da Mônica, Marvel, DC, Image, HQs nacionais, europeias e japonesas, de diferentes gêneros.

O início dos anos 2000 trouxe mudanças significativas. As revistas dos heróis da Marvel e da DC foram para a Panini, causando uma reformulação na editoria de quadrinhos. A Disney permaneceu, e Mickey, Tio Patinhas, Zé Carioca, Pato Donald e companhia continuaram sendo publicados mensalmente, juntamente com os almanaques e edições temáticas.

E o quadro assim permaneceu por alguns anos. Até 2014.

Dragon Lords - O Reino dos DragõesOs 80 anos do Pato Donald

Com a publicação de Dragon Lords – O Reino dos Dragões e O Mistério dos Signos, ambos em janeiro daquele ano, começava um movimento que se fortaleceu: edições em capa dura e acabamento de luxo de quadrinhos da Disney. Não que volumes com esse acabamento fossem inéditas. A primeira, Cinquentenário Disney, saiu em 1973.

“Acredito que se trata de uma tendência mundial, tanto nos Estados Unidos, quanto na Europa. Esse modelo foi muito bem recebido no Brasil, no gênero super-heróis, bem como nos quadrinhos Disney“, explica Sérgio Figueiredo, diretor da redação de quadrinhos da Abril, ao Universo HQ. “Sempre se falou que as vendas de gibis passariam por uma transição devido à mudança de perfil do comprador de banca. Talvez, desta vez, a transição ocorra de forma mais aguda, com mais leitura digital e mais assinaturas de avulsos, mais lojas especializadas (comic shops no estilo do seriado The Big Bang Theory) e mais venda de encadernados (e-commerce e livrarias). Não podemos cravar com 100% de certeza, mas há indicadores fortes que apontam para isso.”

Agora, esses materiais, além de serem distribuídos em bancas, aumentam a presença da marca também em livrarias físicas e digitais, ganhando destaque em sites de vendas como a Amazon, com diversos volumes disponíveis. E possuem apelo para o lado colecionador dos leitores.

Em 2015, isso se fortaleceu e foram lançados Os 80 anos do Pato Donald, Era uma vez na América, A saga do Tio Patinhas, Contos de Natal, Disney Cinema, História e Glória da Dinastia Pato e Um brasileiro chamado Zé Carioca.

Já em 2016 vieram Ducktales – Os caçadores de aventuras, Escoteiros Mirins, A Espada de Gelo, As grandes aventuras de Mickey, Iniciativa Super-Heróis, Mickey Mystery, Maga & Min, Pateta Repórter e os manuais (como os do Escoteiros Mirins, AutoramaMagirama, Vovó Donalda e Mickey).

A saga do Tio PatinhasA Espada de Gelo

O resultado animou a editora, que decidiu ampliar o catálogo, chegando ao ápice neste ano de 2017.

Além das edições temáticas em capa dura (como Pateta faz história, Tesouros DisneyTio Patinhas 70 anos e Huguinho, Zezinho e Luisinho – Os 80 anos dos sobrinhos do Donald), a Abril tem três coleções em andamento, com uma frequência que chamou a atenção dos leitores.

Pato Donald por Carl Barks começou ainda em 2016, e teve oito volumes publicados até agora: Perdidos nos Andes, O segredo do castelo, Em busca do unicórnio, A cidade fantasma, O papagaio contador, O vil metal e os vilões, A noite das Bruxas e Natal nas montanhas.

Depois, veio a coleção Os anos de ouro do Mickey, que em poucos meses ganhou 12 volumes: Mickey na ilha misteriosa, Mickey no circo, O mistério do castelo assombrado, Os piratas, Uma aventura no oeste, O terror dos mares, Mickey na legião estrangeira, A ilha no céu, O monarca de Medioka, Mickey contra o Mancha Negra e Lá no rancho grande e Na Idade da Pedra.

A coleção de luxo mais recente foi lançada em setembro deste ano: Biblioteca Don Rosa – Tio Patinhas e Pato Donald, com quatro volumes já disponíveis: O filho do SolVolta a QuadradópolisO tesouro na bolha de vidroO último membro do clã Mac Patinhas.

Como têm acabamento de luxo, esses materiais evidentemente saem mais caro para o bolso. “Os leitores dessas edições são, de fato, mais maduros e têm maior poder aquisitivo. Muitos deles costumavam comprar edições avulsas, pararam de ler há algum tempo e voltaram agora, para acompanhar as novas versões. Alguns são casados e hoje apresentam aos filhos esses volumes de luxo com as histórias que os cativaram no passado”, conta Figueiredo.

Pelo andar das coisas, não vai parar por aí. Apesar de não revelar ainda, a Abril tem mais planos para 2018, e um deles deve ser a coleção Créations originales, da editora francesa Glénat, que reúne aventuras inéditas criadas por grandes autores europeus, seguindo os mesmos moldes das Graphic MSP e Spirou de.

Pato Donald Por Carl BarksBiblioteca Don Rosa - Tio Patinhas e Pato Donald

Os anos de ouro do Mickey

• Outros artigos escritos por

.

  • Benício Ernesto

    Essa da Glènat é com certeza os lançamentos mais esperados, mas nunca mais falaram nada.

    • Matheus Vitorino Machado

      Quais são os títulos dessa coleção?

      • Não sei dizer, mas acho q já tem uns cinco. Um mais bonito q o outro. A “coleção” não tem um formato padrão!

    • Falaram no Face. As negociações dos direitos autorais estão muito difíceis com a Glenat. Parece q envolve os autores também! Já era pra ter saído em 2017, mas sabe-se lá quando ou se…

      • Pedro Bouça

        Diferente de todo o resto do material Disney, os autores levam royalties nessa coleção – e a Abril não está habituada a pagar esse tipo de coisa. Eventualmente ela vai acabar cedendo, senão outra editora pega…

  • andrefbr

    “Os leitores dessas edições são, de fato, mais maduros e têm maior poder aquisitivo.”

    Bota poder aquisitivo nisso! Só tô acompanhando a coleção do Barks e uma ou outra edição temática. E olhe lá!

    • Kaio

      É só ter paciência, comprei as capa duras do carl e rosa por 50% ou menos durante a BF. E sempre rola uma promoção na amazon.

      • Liney Rodrigues

        Onde vc achou? Na Amazon nao vi muita coisa…

        • Kaio

          Paguei menos de 30 em 3 edições do carl barks e 40 em 2 edições Don Rosa.
          Foi durante a black, agora aumentou o preço. Mas só ficar de olho que aparece promoção.

          • Em pré-venda na amazon, os volumes de R$69 ou R$79 saem até vinte reais mais baratos…

          • Luiz Oliveira

            Comprei uma edição do Pateta Faz História por R$27,90, sendo que o preço de capa é R$69,90. O Amazon é a minha salvação.

        • Disney teve muita promoção na Amazon, nessa Black Friday! Carl Barks com 60%, Don Rosa e Mickey com 50%… Comprei três capas duras!

        • Victor Vitório

          Se você buscar agora vai encontrar alguns Barks por 37 e Don Rosa por 48. E isso nem é necessariamente promoção específica. Cheguei a comprar “A Cidade Fantasma” por 26,00. Tem q ficar de olho, mas é muito comum encontrar vários capa-dura a 50%.

      • Sempre que alguém reclama do preço, vem um espertinho falando que sempre compra em promoções, que tem que esperar, que tem que garimpar, fala que quem compra na hora é besta.

        Besta é o consumidor que é obrigado a se arrastar pela internet pra TENTAR A SORTE e poder comprar algo com o preço próximo à realidade do país. Compra algo que saiu por 90 reais pela metade do preço, sem se dar conta que ainda está caro.

        • Kaio

          Pelo contrario consumidor que busca o melhor preço não é besta, besta é quem aceita qlqr valor apresentado.

  • Na verdade, o nome correto é “Filão das Capas Duras”, pra pegar os viciados em ostentação de estante nas redes sociais.

    O problema é que algumas coisas banais e MUITA coisa já publicada mil vezes está sendo servida em bandeja de prata, a preços exorbitantes.

    Mas eu fui como uma gazela saltitante comprar o encadernado da Espada de Gelo. :D

    • Paulo Fernando Ribeiro

      “Mas eu fui como uma gazela saltitante comprar o encadernado da Espada de Gelo”!! kkkkk. Rindo até 2018…

    • Samuka

      Acho essa coleção Biblioteca Don Rosa, maravilhosa, mas poderia ter saído em capa cartão e preço mais convidativo!

      • André C S Tomazini

        Não. A edição é de chorar. Tinha que ser assim. Mas 80 pila é demais por edição tem que pegar em pré-venda ou esperar uma black fraude da vida pra comprar por preço +- justo.

    • Diego Berlezi Ramos

      A Espada de Gelo era imperdível. Se for por isso, eu pulei que nem um fauno quando vi que iriam ser lançada! :D

    • Dyel Dimmestri

      Eu também teria ido como uma gazela saltitante… Mas, devido à grana curta,fiquei parado como um elefante…

  • Fabiano Fabricio de Lima

    Se o projeto do podcast Confins do Universo seria legal fazer um programa com o Sérgio Figueiredo contando a sua história com os hqs na editora Abril. Agora sobre o podcast pensei em algo que poderiam fazer um dia, dependendo da disponibilidade dos membros em especial em lançamentos de filme como o agora Liga da Justiça em vez de fazer um podcast poderiam realizar uma live no youtube, com a possibilidade da participação dos fãs e com superchat, abrindo a a possibilidade de realizarem doações a vocês e por fim uma pergunta ao Samir se você assistiu a versão estendida do Batman vs Superman e se mudou avaliação sobre o mesmo.

  • Hugo Samsa

    Essas Créations originales da Glénat é cofre certo.

    • Aguardo ansiosamente!

    • Mas já anunciam essa coleção no BR há quase dois anos e nada… Ansioso.

      • Hugo Samsa

        Com a ascensão da publicação de HQs no Brasil, e a Abril ficou atenta à isso, quem sabe agora vai. se ela não publicar, bem q a SESI-SP podia pegar. será q a Abril tem exclusividade ?

        • André C S Tomazini

          Tem.

        • André C S Tomazini

          Sem bem que achava que Marvl /dc era exclusivo da PANINI e taí a SALVAT.

  • 0-Drix

    Compro um ou outro destes especiais de luxo e mesmo assim, já gastei dinheiro à toa com alguns deles, como o “Tes(ouro de tolo) Disney” e “Cinema”. Mas estou colecionando a série do Carl Barks, que tem um formato/tamanho bem legal para ler –
    mas preferia uma capa cartonada, que ocupa menos espaço de armazenamento, torna a letura ainda mais prática e o preço final menor.

  • Marcelo Pinheiro de Vasconcell

    Nunca colecionei nada da Disney. Mas essa coleção em capa dura é muito bonita. Estou comprando tudo.

  • Eu não diria que a Abril mudou o foco, mas que está investindo em um mercado alternativo que complementa o trabalho que ela já vinha fazendo com os formatinhos. Ela apenas enriqueceu o seu catálogo, com mais opções para os leitores! Os formatinhos continuam nas bancas! São 8 formatinhos mensais (Disney Especial voltou em 2016 e Almanaque Disney em 2017) e 1 bimestral.

  • José Sérgio Scalcon

    Eu faço parte do público alvo. Voltei a comprar quadrinhos em 2013, sou casado, quero apresentar pro meu filho. Sobre o poder aquisitivo, a Amazon tem me salvado kk

  • Uma das coleções q mais estou gostando é Os Anos de Ouro de Mickey. Fora o capricho gráfico, o Mickey nos seus primórdios, por Gottfredson, é excelente. Histórias super divertidas e arte cheia de detalhes. Carl Barks dispensa apresentações, o cara é mestre! Pateta Faz História tb é excelente. Arte bem detalhada e com ctz, a série mais engraçada e bem adaptada do universo Disney. Não à toa, já teve várias republicações ao longo das décadas. Don Rosa divide opiniões mas é amado pela grande maioria. Das edições de luxo, A Espada de Gelo e Pateta Repórter, estão entre os melhores. E pra quem quiser ver um Mickey alternativo com histórias e arte mais sérias, no estilo noir, Mickey Mystery é uma boa!

    • Kaio

      Mickey mystery é muito bom, pena que não tem nem previsão para lançar a 2º ed (conclusão da saga). Acho que está esquecido pela Abril.

      • Na verdade o editor disse no Face que o segundo volume sai em 2018! Espero q não mudem os planos!

    • Wilson Sacramento

      Se tivesse lido antes esta matéria e seu comentário Jefferson, teria assinado na promoção de 60% estas do Mickey.Sou meio ‘pé atrás’ com o camundongo, e assinei os encadernados e manuais. Como leio de tudo um pouco, e parei com os Mega e Jumbo, estas novas aquisições Disney serão diversão garantida.

      • Wilson, Mega e Jumbo foram cancelados em 2015. As edições dos anos de Ouro do Mickey estão sempre em promoção na Amazon, por cerca de R$ 28 cada edição!

  • Bruno Lima

    alguém poderia me dizer se Don Rosa teve algum problema relacionado a royalties pelo uso de seu nome, ou está tudo ok ? grato !

    • Kaio

      Essa coleção é oficial, assinada pelo próprio mestre.

  • Tadeu Olivetti

    “Os Anos de Ouro de Mickey” e “Pato Donald por Carl Barks” são compras obrigatórias para mim. Gottfredson e Barks são gênios pioneiros dos quadrinhos; valem muito a pena!!!

  • Diego Berlezi Ramos

    A minha principal restrição com estes encadernados é que, comparado com edições anteriores mais simples, faltam mais textos explicativos. A Saga do Tio Patinhas em três volumes tinha muito mais material agregado do que o volume de luxo, ao meu ver. Foi decepcionante não ver os textos introdutórios de cada história e não ter os “spin-offs” no volume único. Como fiz a coleção OMD do Barks anos atrás nem me preocupei com esta em capa dura – creio que a coleção anterior tenha mais conteúdo, se o padrão se repetir.

  • Dyel Dimmestri

    Pelo que eu soube, estes álbuns da Glenat seriam lançados este ano…
    Mas foram adiados para 2018,com o propósito de fazerem parte do ciclo de comemorações dos 90 anos do Mickey Mouse.

  • Sou contra essas publicações em capa dura, acho que destoam demais do nosso poder aquisitivo. Isso pode ser legal para colecionadores, mas é o tipo de material que seria para distribuição em livrarias, e não em bancas.