Exclusivo: Editora Figura anuncia Ernie Pike, clássico quadrinho de guerra de Oesterheld e Hugo Pratt

Por Samir Naliato
Data: 8 julho, 2020

No episódio do Confins do Universo que foi ao ar hoje (07/07), Rodrigo Rosa, editor da Figura, revelou em primeira mão que a editora adquiriu os direitos de publicação de Ernie Pike para o Brasil.

O programa foi focado nas editoras de pequeno porte e sua estrutura de trabalho, o planejamento envolvido, logística, orçamento, aquisições de direitos e outros assuntos.

Ernie Pike, do argentino Héctor Germán Oesterheld e do italiano Hugo Pratt, será publicado pela primeira vez por aqui, e chega em uma edição com 34 histórias e mais de 300 páginas com extras, reunindo todas as aventuras produzidas pela dupla na série.

A campanha no Catarse começará em setembro próximo.

Este é considerado um dos melhores quadrinhos sobre guerra já produzidos. Lançado em 1957, na revista Hora Cero Mensal, a grande novidade da série foi sua abordagem realista e humanista sobre o tema bélico, sem maniqueísmos de bons contra malvados: nos roteiros de Oesterheld, o verdadeiro mal é a guerra.

O personagem que dá título à série é uma homenagem ao repórter de guerra norte-americano Ernie Pyle, que cobriu a Segunda Guerra Mundial, ganhando o Prêmio Pulitzer, em 1944. Seus artigos ganharam destaque porque Pyle costumava dar protagonismo aos dramas vividos pelos soldados rasos e as pessoas do povo. Ele morreu no campo de batalha, em 1945, durante a ofensiva em Okinawa, no Japão.

Apesar do personagem dos quadrinhos homenagear ao jornalista, Pratt retratou-o com a fisionomia de Héctor Oesterheld.

Ernie Pike

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Pedro Bouça

    Fica a dúvida se vão publicar também as aventuras pós-Pratt.

    • HUgo

      Se vender bem, quem sabe..

  • Rédi Bortoluzzi

    Esse é CERTO eu apoiar!

  • Adriano deSouza

    espero que alguma editora também traga pra cá o mitológico SARGENTO KIRK.

  • Rapha84

    Grande lançamento! Aliás, com os recentes Mort Cinder, Sherlock Time e o Eternauta 69, finalmente temos por aqui um catálogo à altura do gênio Oesterheld. Como alguém comentou, acredito que o próximo seja o Sgt. Kirk, tenho duas edições portuguesas da Bertrand e as histórias são ótimas.

  • sergio reis

    Essa irei apoiar, independente do valor…

  • ARQUEIRO VESGO

    Falou em gibi de guerra, falou comigo.

  • Pop Art’s

    Tenho a impressão e espero não estar errado ,que nosso mercado finalmente esta amadurecendo
    Por todos os lados vejo grandes obras da america latina,europa e asia. Sendo lançada por aqui
    Claro que pelas pequenas
    Os grandes grupos ainda carecem de visão e conhecimento para tal
    Mas é saudavel ter obras iconicas de bernet,trillo,oesterheld,breccia pai e breccia filho,jerome charyn e muitos outros. Que nunca pisaram o pé aqui

    Nao me interpretem mal
    Gosto do pipocao americano ,me divirto com super heroi e tal .
    ,mas o troço ja saturou até a medula
    Sou lojista
    Tenho dezenas de clientes que cresceu lendo mangà e outras com livros
    E nao tem nenhuma atração por supers
    Grande parte pula fora dos quadrinhos por não ter o que ler
    As editora menores estão fazendo um òtima trabalho
    O que precisam agora é um sistema que faça seus produtos chegar ao alcançe do leitor
    Dai o céu é o limite

    • william viali

      Perfeito! É preciso que o “grande público”, especialmente aqueles que leem apenas livros, percam o “preconceito” com quadrinhos.. e para isto, somente através do contato com grandes obras como essas

    • Adorei seu comentário. Um salve às pequenas editoras que realmente estão ARRASANDO nos últimos lançamentos, estão trazendo uma qualidade e variedade incrível ao mercado. Infelizmente a realidade bate no bolso e não dá pra adquirir tudo, mas reconhecer esse rumo positivo basta 😅❤️

  • William

    Olhei rápido a imagem e pensei que era a Cassandra Nova

  • Fiquei sabendo da notícia pelo Instagram Fora do Plástico. Não conhecia a obra e nem o autor, mas pesquisando sobre ambos a vontade de ter esse quadrinho bateu forte. Quando surgir o projeto no Catarse espero poder apoiar!