Exposição em São Paulo apresenta o trabalho de J. Carlos

Por Marcelo Naranjo
Data: 11 novembro, 2019

José Carlos de Brito e Cunha (1884-1950), conhecido como J. Carlos, foi o autor de uma das mais poderosas crônicas visuais do Brasil na primeira metade do Século 20. Sua ampla produção é apresentada na exposição J. Carlos – Originais, que o Instituto Moreira Salles – Paulista (Avenida Paulista, 2424), em São Paulo/SP, apresenta até o dia 26 de janeiro de 2020.

A mostra, que foi exibida na sede carioca em 2017, reúne cerca de 300 itens, dentre desenhos e publicações, selecionados pelos curadores Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires.

J. Carlos produziu uma obra variada, que inclui caricaturas, charges, cartuns, alfabetos tipográficos, publicidade, enfim, todo o universo gráfico das primeiras revistas ilustradas do País.

Estreou na imprensa em 1902, aos 18 anos, e trabalhou ininterruptamente pelos 48 anos seguintes. Acredita-se que tenha publicado mais de 50 mil desenhos.

A mostra apresenta instantes decisivos dessa trajetória, em obras selecionadas dentre os cerca de mil originais que integram a coleção de Eduardo Augusto de Brito e Cunha (filho de J. Carlos), sob a guarda do Instituto desde 2015.

O acervo reunido por Eduardo também inclui coleções encadernadas das publicações em que J. Carlos atuou, como Careta, Para Todos…, Fon-Fon! e Almanaque do Tico-Tico.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Rogerio Araujo Ferreira

    J. Carlos foi um gênio em todos os aspectos, traço extremamente elegante e original. Deveria ter muito mais reconhecimento no Brasil do que tem. Loredano começou a publicar uma série de livros de arte com a obra dele mas não deu continuidade talvez pela falta de interesse do público.