Guará Entretenimento passa por mudanças e lança nova revista na CCXP 2019

Por Samir Naliato
Data: 5 dezembro, 2019

A Guará Entretenimento, estúdio que lançou quadrinhos de personagens como O Doutrinador, Pérola, O Santo e Os Desviantes, está passando por mudanças e uma reestruturação editorial.

Em comunicado oficial, o estúdio anunciou a saída de Luciano Cunha, criador do Doutrinador, que deixa a empresa e leva consigo seu vigilante mascarado caçador de políticos corruptos que virou filme e série de televisão.

Já como parte da nova fase, a Guará lança na CCXP 2019 a revista Eu sou Lume (formato 17 x 26 cm, 108 páginas, capa cartonada, R$ 42,00), com roteiro e arte de PJ Kaiowá, cores de Natália Marques, Fabi Marques e Ler Pusti, e letras de Alex Genaro.

Cria da comunidade Esperanza, Ludmila Gonçalves já carrega em sua história uma verdadeira batalha pela vida. Ela é sobrevivente do que ficou conhecido como “Escândalo das Clínicas”, em que moradores da comunidade morreram ou desapareceram após consultas em clínicas populares financiadas por entidades filantrópicas particulares. A vida de Mila fica ainda mais conturbada quando, diante de uma criatura chamada Trevaz, seus poderes eclodem.

O que era mantido em segredo começa a ser revelado. Entidades públicas e privadas se articulam para abafar a situação. E, como no jogo pelo poder a vida não vale nada, Ludmila só tem uma escolha: revelar a todos quem é de verdade. Mila dá lugar a Lume e assume a missão de trazer luz para um mundo que insiste em nos manter na escuridão.

A publicação está à venda no estande da Chiaroscuro Studios.

Eu sou Lume

Veja abaixo o comunicado oficial assinado por Gabriel Wainer, na íntegra, sobre a reestruturação interna da Guará Entretenimento.

Caros amigos e parceiros da Guará,

O ano de 2019 está chegando ao fim; portanto, queremos dividir nossas conquistas e apresentar algumas novidades para o ano que vem.

Este ano foi muito importante para nós, pois lançamos nossas primeira histórias: Santo, Pérola e Desviantes. Todas foram um sucesso!

Como talvez saibam, os três projetos já estão em desenvolvimento para o audiovisual. Todos em parceria com a produtora Glaz Entretenimento, o que já seria um sucesso em si. O melhor de tudo foi o desbravamento do mundo com a distribuição dos títulos nas bancas de jornal.

Em vários pontos do Rio de Janeiro, nosso polo teste, vendemos mais que a Marvel e a DC, o que nos permitiu partir para as outras praças do Sul e Centro-Oeste, São Paulo, Brasília e Minas Gerais e, logo depois, vamos para o Nordeste e Norte.

Entre acertos e erros, o que importa (de verdade) são os aprendizados. Embora não tenhamos conseguido entregar de cara as continuações das histórias desses personagens, estamos preparando algo muito mais interessante e maduro para 2020.

Em primeiro lugar, temos a substituição do editor Luciano Cunha. Por motivos de divergência editorial, sai da empresa, junto com seu personagem: O Doutrinador. Acreditamos já termos contribuído o suficiente para o personagem se tornar o primeiro filme de super-herói nacional, uma série de TV e também produtos licenciados. Um feito para uma editora de primeira viagem.

Com isso esperamos uma linha editorial mais familiar, alegre, aventuresca e fantasiosa, com um propósito de mercado mais definido e maduro.

Também temos um enorme prazer de anunciar a entrada de Rapha Pinheiro como editor-chefe da Guará. Pós-graduado em quadrinhos pela École Européenne Superieure de l’Image em Angoulême (França) e Mestre em Mídias Criativas pela ECO UFRJ, Rapha é autor de Os Tomos de Tessa, Salto, Silas e Mesa 44. Sua presença trouxe para a Guará uma visão estratégica e um profissionalismo claro e fundamental para conquistarmos nosso universo. Bem-vindo ao time, Rapha Pinheiro! Arrebenta!

Por fim, vamos lançar almanaques mensais com três histórias a partir de junho de 2020. Também pretendemos fazer promoções, abrir um campo de diálogo mais efetivo com o leitor, priorizar a conexão com o nosso público e amadurecer a estratégia de distribuição.

Colocando os dois pés na porta nessa mudança na direção editorial da Guará, estamos lançando  neste mês  a graphic novel Eu sou Lume, de PJ Kaiowá. Trata-se da primeira aquisição de fora, de um autor parceiro, mas que está completamente alinhada com o que pensamos como conteúdo e como mercado.

Eu sou Lume é uma história emocionante, repleta de representatividade e emoção e que encantará leitores de toda as idades. Quem for na CCXP pode adquirir um exemplar diretamente com o autor no estande da Chiaroscuro. A Guará estará nas mesas H1 e H2.

Em nome da Guará, desejamos a todos um excelente final de ano e um 2020 cheio de plenitude e conquistas!

Um abraço fraterno,
Gabriel Wainer

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Ricardo Mendonça

    mais estranho eram os outros caras não terem percebido do que se tratava realmente a própria hq que publicaram.

    • Thais Linhares

      É que só agora o autor perdeu a vergonha de mostrar a cara. Precisou de ‘abertura oficial pra prática da barbárie tosca’ pros hipócritas se revelarem é a favor da brutalidade e elogio da ignorância.

  • EmersonLopes

    Olha, conheço o Luciano pessoalmente e nunca tive problemas com ele, ao contrário. Mas quem meteu nome de políticos na situação foi ele, não a editora.

  • Thais Linhares

    Pensei que era por ele propagar práticas fascistas e violência no mundo real, ignorância política e alienação social, além, é claro, dos péssimos roteiros pastiches de Justiceiro (ou seja: de quem leu Justiceiro mas não entendeu nada). Mas sou contra censura, que seja feliz vendendo pra galera do Mundo Invertido Olaviano (ainda que este seja a favor da censura de tudo mundo que desmascara suas sandices e burrices).

  • gabriel ferreira

    não sei todos os detalhes e pretendo pesquisar mais e por enquanto meu pensamento é: QUE EDITORA MAIS BURRA! tiraram logo seu personagem de maior suscesso!