A incrível história de Herbert Richers vira livro sobre a dublagem no Brasil

Por Marcelo Naranjo
Data: 24 abril, 2014

Quem assistiu TV nos últimos 50 anos, certamente ouviu incontáveis vezes a expressão “Versão Brasileira: Herbert Richers”, no começo de cada desenho, série ou filme.

A lista de programas que Richers dublou em seus estúdios, no Rio de Janeiro, é difícil de ser dimensionada. Inclui desenhos como, por exemplo, As Aventuras de Tintim, Batman, Caverna do Dragão, Esquadrilha Abutre (Dick Vigarista & Muttley), Digimon, Digimon 2 e Digimon Tamers, He-Man, Os Smurfs e Scooby-Doo. Ou séries nostálgicas como Alf, o ETeimoso, A Gata e o Rato, As Panteras, Barrados no Baile, Casal 20, Dallas, Família Dinossauro, Friends e O Incrível Hulk. Sem contar milhares de filmes.

Embora fosse um dos nomes mais lembrados na memória dos brasileiros, Richers era avesso a publicidade. Em 1998, no entanto, por ser leitor do jornal Gazeta Mercantil, topou dar uma longa entrevista ao jornalista Gonçalo Junior, que a incluiu no seu livro Pais da TV, lançado pela Conrad, em 2001. Nasceu, então, uma relação de amizade e confiança que durou 11 anos, até a morte do empresário, em 2009. Richers confiou a Gonçalo escrever sua biografia, que revisava quando estava doente – ele morreu sem concluir a leitura.

Versão Brasileira – Herbert Richers (R$ 59,00) conta a vida do produtor, com aspectos pouco conhecidos do cinema e da televisão no Brasil. Ele produziu mais de 78 longas-metragens, alguns dos mais importantes da história do cinema nacional, como Assalto ao trem pagador, de 1962. Foi também um desbravador no segmento de cinejornais, nas décadas de 1940 e 1950, e, de certa forma, ajudou a eleger o presidente Juscelino Kubistchek. Mas ficou conhecido mesmo pela dublagem, mercado que liderou por cinco décadas.

Sua vida foi tão espetacular quanto um grande filme ou série de televisão. Exemplo? Em 31 de dezembro de 1958, quando saía para pescar com seu barco na Baía de Botafogo, no Rio de Janeiro, por volta do meio-dia, ele viu cruzar os céus e mergulhar no mar um avião da VASP em chamas. Ele se dirigiu para o local, atirou-se na água e, enquanto a aeronave afundava, conseguiu salvar a vida de oito pessoas.

O livro é uma publicação da Criativo Editora, com lançamento previsto para a 20ª edição da Fest Comix, que começa no próximo dia 1º de maio.

Versão Brasileira: Herbert Richers

• Outros artigos escritos por

.

.

.