Jim Starlin decide sair da Marvel por diferenças com editor

Por Samir Naliato
Data: 21 dezembro, 2017

Thanos: The Infinity SiblingsO escritor e desenhista Jim Starlin, criador do vilão Thanos, anunciou que deixará de trabalhar para a Marvel devido a diferenças com o editor Tom Brevoort.

Nos últimos anos, Starlin vinha produzindo uma série de histórias estreladas pelo personagem, como uma minissérie com a participação do Hulk e novas graphic novels, algumas já publicadas no Brasil, como Revelação Infinita, Relatividade Infinita e Final Infinito.

O mais recente projeto será lançado em 2018. É a trilogia Thanos – The Infinity Siblings, ao lado do artista Alan Davis, que acabará por seu o último trabalho na editora.

Nesta história, o Titã conseguiu tudo o que sempre quis, mas satisfação não é algo que está em seu vocabulário. Quando uma distorção temporal atrai a sua atenção, ele encontra um novo propósito: salvar a si mesmo.

Um velho inimigo espreita em um futuro distante, e serão necessárias as perspicácias combinadas de Thanos, do seu irmão Eros e do viajante do tempo Kang para impedi-lo e salvar o Multiverso. Mas há outras peças nesse tabuleiro cósmico, e Thanos pode acabar sendo superado.

A razão do desentendimento de Starlin e Brevoort foi a similaridade desta história com a que a equipe criativa da revista mensal do personagem está desenvolvendo.

“Por muito tempo, tive o privilégio de determinar o destino de Thanos. Mas ele é propriedade da Marvel Entertainment e, com os filmes, está prestes a se tornar um ícone cultural, um personagem maior que os quadrinhos, escritores e artistas que o conceberam. A equipe editorial da Marvel deixou bem claro que querem novas abordagens para Thanos. Quem sou eu para discordar?”, analisou Starlin.

“Para deixar bem claro: a Marvel não me demitiu. Apenas deixaram claro que não estavam interessados em ter meu trabalho em futuros projetos. Apesar de eu ter tentado escrever a revista mensal do Thanos por duas vezes, essa tarefa foi dada a outros autores, o que é um direito deles”, explicou.

“O que eu contestei, e agora me impede a fazer outros trabalhos para a editora, foi Tom Brevoort aprovar uma história para a série regular que é basicamente a mesma que eu e Alan Davis estamos trabalhando já há um ano. Tom tinha 200 páginas de roteiro e 100 páginas de artes deste projeto quando aprovou a outra história. A revista mensal sairá antes das graphic novels. Então, para evitar spoilers e o prazer da leitura de ambas as aventuras, não entrarei em detalhes”, afirmou o autor.

Ainda de acordo com ele, o editor teria dito que o outro roteiro não tinha sido aprovado, o que se provou falso. “As justificativas e promessas de mudanças duraram um mês, mas nada foi feito, e a produção já estava bastante avançada para algo ser feito. Pior para mim. Então, decidi sair. A Marvel Entertainment tem me tratado muito bem. Deles, eu gosto”.

Starlin visitou as filmagens de Vingadores – Guerra Infinita e disse ter tido atenção de todos os responsáveis pelo longa, desde a equipe de produção até o elenco. E assegurou que os fãs não se decepcionarão.

Clique na galeria abaixo para ampliar um preview de Thanos – The Infinity Siblings.

.

Thanos: The Infinity Siblings

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Alexandre Pinto Harich

    Mais um que sai. Logo vão ter que por o Stan Lee para trabalhar. 😁

  • ninguém

    É uma indústria que podia muito bem se renovar pelas ideias e pela potencialidade de transmigração para diferentes mídias. Entretanto, algumas posturas editoriais espúrias atrasam essa era de ouro. Parabéns, campeões!!!

  • Canoa Furada

    A Marvel vive requentando ideias, só de mega saga repetida nos últimos anos teve Guerra Civil, Guerras Secretas; então o editor tá é querendo aparecer.

    Histórias repetidas a mais ou a menos em um mês não fariam a menor diferença pro leitor. Na verdade é até bom pra Marvel Comics o leitor achar que é história requentada, porque as “novidades” que tem apresentado estão ruins de dar dó.

  • marcelo miranda

    É mais um de quem a Marvel puxa o tapete por aparente ambição desmedida. Starlin merecia mais consideração e um pedido público de desculpas por parte da editora.

    • Moroni Machado

      A série mensal está muito boa. E o Thanos do Jim não se encaixa na cronologia atual. Acho que podem ficar com um ótimo novo talento e Jim ao menso tempo (já que este tem carta praticamente branca e o novo não)

  • Elias Sandes

    Só sei que essa galera (Kevin Feige,Marvel,Mickey Mouse,fãs) tem mais é que agradecer a Starlin por ter criado um personagem que hoje estão comparando como o próximo ”Darth Vader” dos cinemas…

  • luciano l. Silva

    Da uma lida: Em suas frases mais famosas do filme, Lex Luthor cita uma
    referência filosófica, mas que você pode não ter entendido.
    “Se Deus
    é todo poderoso ele não pode ser de todo bom e se ele é de todo bom
    então não pode ser todo poderoso e você também não pode!”
    Eupicuro argumentava que um deus não pode ser ao mesmo tempo onisciente, onipotente e benevolente.

    A lógica do paradoxo proposto por Epicuro toma três características do
    deus judaico, omnipotência, onisciência e onibenevolência como, caso
    verdadeiras aos pares, excludentes de uma terceira. Isto é, se duas
    delas forem verdade, excluem automaticamente a outra. Trata-se,
    portanto, de um trilema. Isto tem relevância pois, caso seja ilógico que
    uma destas características seja verdadeira, então não pode ser o caso
    que um deus com as três exista.
    Enquanto onisciente e onipotente,
    tem conhecimento de todo o mal e poder para acabar com ele. Mas não o
    faz. Então não é onibenevolente.
    Enquanto omnipotente e
    onibenevolente, então tem poder para extinguir o mal e quer fazê-lo,
    pois é bom. Mas não o faz, pois não sabe o quanto mal existe e onde o
    mal está. Então ele não é omnisciente.
    Enquanto omnisciente e
    omnibenevolente, então sabe de todo o mal que existe e quer mudá-lo. Mas
    não o faz, pois não é capaz. Então ele não é omnipotente.
    Uma outra curiosidade é que na trama do filme Lex arma um plano com o Superman com essa mesma filosofia.

    Ele teria que matar o Morcego, para salvar sua mãe, o que define que
    não é omnipotente, e tendo o conhecimento que Lex é o vilão e também
    tendo o poder para acabar com ele então ele não é totalmente bom.

    Ele tambèm teria o poder de acabar com o Lex e seria bom fazendo isso,
    mas ele não tem como salvar sua mãe, e não sabe outra forma de fazer
    isso, só entrando no plano do Luthor, o que não o torna omnisciente.

    Superman teve de optar em ser dois dos 3, não sendo o outro, o que
    prova que ele é uma farsa. Chantagem emocional usada por Lex. Esse filme é muito f#d@

  • Márcio dos Santos

    A Marvel acabou quando saiu o Jim Shooter.

  • Marco Antonio Cardoso

    Nova (sic) Marvel só fazendo merda… os medelhões tem mais é que cair fora mesmo.