Kodama mobilizou fãs e imprensa do Distrito Federal

Por Rafael Baldo
Data: 21 maio, 2004

Público chega ao eventoApesar
de a presença de público não ter atingido a meta dos organizadores (eram esperados
cinco mil visitantes, mas compareceram mil a menos), a terceira Kodama
– Konvenção De Animê e Mangá
, no Distrito Federal, alcançou ótimos
resultados, pois nunca foi tão divulgado na região, com destaque para
a presença dos principais veículos de imprensa, inclusive rádio e televisão.

A organização, porém, falhou em alguns pontos. Os erros ficaram mais evidentes
na coordenação das palestras, na manutenção dos horários do cronograma
e na divulgação dos cursos. Muitas vezes, faltava público para as aulas
ou as palestras eram resumidas. Mas, no final, essas foram questões menores
de um evento que se firmou no calendário cultural da região.

No primeiro dia, aos gritos de “Abre, abre, abre”, os portões do SESC
Taguatinga Norte
foram abertos com 35 minutos de atraso. Os fãs avançaram
nos estandes, principalmente para comprar quadrinhos. Além das lojas especializadas
da região, estavam presentes a Animangá, de São Paulo, e a Editora
Linhas Tortas
, do Rio de Janeiro.

CosplayCom
essa demora, o cronograma ficou atrasado em mais de uma hora. A sala de
Animekê, por exemplo, só foi usada no domingo. Enquanto isso, os fanzineiros
expunham o trabalho e tentavam vendê-lo. Christiane Tokiko veio de Vitória,
Espírito Santo, e estava pela primeira vez em uma convenção do gênero,
como representante do grupo Carpe Diem. “São quatorze pessoas que
produzem o fanzine”, explica.

De repente, os visitantes começaram a ser aglomeram na arquibancada à
frente do palco. O motivo: uma palestra sobre Holy Avenger, com
Fran Briggs, Erica Awano e Petra Leão.

Awano adiantou algumas novidades. O processo de desenho de personagens
de Holy Avenger para animação está em pleno vapor. Algumas adaptações
serão feitas, principalmente nas roupas da elfa Niele, famosa pelas tiras
de couro mínimas que vestia na revista.

Petra e Fran, roteiristas da futura minissérie Mercenário$, disseram que a minissérie é da Talismã, mas que no entanto isso pode mudar. Perguntadas a respeito de outras publicações, disseram que não faziam objeção em fazer trabalhos para outras editoras. A palestra seguiu com dicas para desenho e roteiro e foi animada pelo dublador Guilherme Briggs.

Após um bate-papo com os editores Sérgio Peixoto, Wagner Pratt e Eddie
Van Freu, a platéia se agrupou para assistir a um show de artes marciais.
Logo depois, começou o concurso de cosplay. O público se espremia
na arquibancada e nos corredores para assistir à performance dos concorrentes.

Dubladores dão autógrafosForam
quarenta cosplays individuais e dez grupos. A apresentação foi
o clímax do dia, que se encerrou com uma exibição de animês no telão do
estádio.

No segundo dia, uma brisa fria pela manhã e um dia de céu nublado afastou
os visitantes. A palestra sobre a história em quadrinhos Alcatéia
acabou sendo realizada em uma sala, devido à falta de público nas arquibancadas.
À tarde, o tempo melhorou e o público começou a comparecer.

Os desenhistas Eduardo Müller (Mangá Tropical), Erica Awano (Holy
Avenger
), Daniel HDR (Dungeon Crawlers) e Carolina Mylius (Alcatéia)
tiraram as dúvidas dos fãs e comentaram sobre os próximos projetos.

Logo depois, aconteceu a disputa do Animekê, mas o ginásio só voltou a
ficar cheio quando a palestra dos dubladores começou.

AnimekêDepois
de uma bateria de perguntas, Guilherme Briggs (Freakazoid), Luciana
Baroli (Shun, de Cavaleiros do Zodíaco), Thiago Longo (Enrol, de
Sakura Card Captors), Élcio Sodré (Shiryu, de Cavaleiros do
Zodíaco
) e Marco Antônio Costa (Suzako, de Yu Yu Hakusho) encenaram
confrontos entre seus personagens.

Entre as mais engraçadas e empolgantes vale ressaltar o duelo entre Buzz
Lightyear e Frekazoid, os dois dublados por Briggs. Élcio Sodré perdeu
as contas de quantos “Cóleras do Dragão” berrou no evento. E Plucky Duck
(Marco Antônio) entrou em uma discussão hilária com Babão (Briggs, novamente).

Após uma longa sessão de autógrafos, foram divulgados os vencedores dos
concursos de cosplay, animekê e ilustração. A Kodama foi
encerrado com a exibição de um documentário sobre animês e mangás no Brasil,
que foi projeto de graduação da jornalista Ana Cláudia da Costa.

• Outros artigos escritos por

.

.

.