Liga da Justiça da América: as primeiras aventuras

Por Marcelo Naranjo
Data: 14 junho, 2007

Os Justiceiros #1
A Panini Comics
anunciou que lançará, no segundo semestre de 2007, a edição Arquivo
DC – Liga da Justiça da América
, com as primeiras histórias do famoso
grupo de super-heróis.

As aventuras são de década de 1960, publicadas originalmente nas revistas
norte-americanas The Brave and the Bold (a edição # 28 trouxe a
primeira aparição da Liga, enfrentando Starro, o Conquistador) e Justice
League of America
.

Influenciado pela National Football League, o criador Gardner Fox
utilizou a palavra “Liga” para denominar seu novo grupo de heróis. O desenhista
Mike Sekowsky foi responsável pelo visual. A equipe original era formada
por Super-Homem, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Ajax, o Marciano (atualmente
chamado, corretamente, de Caçador de Marte), Flash e Lanterna Verde.

Se você não é um leitor veterano, pode achar que a maioria dessas tramas
é inédita no Brasil, certo? Ledo engano! Em 1967, a Liga da Justiça ganhou
seu primeiro título próprio por aqui: a revista Os Justiceiros,
da Ebal, que teve 28 números publicados, entre setembro de 1967
e dezembro de 1969, além de uma edição especial em cores.

Os Justiceiros #3O
primeiro
número
apresentou a aventura Crise na Terra-Um. Sim, isso mesmo.
A DC definitivamente gosta de ter suas “crises” faz tempo.

Na HQ, os heróis da Liga e da Sociedade da Justiça, de Terras diferentes,
enfrentam vilões em comum, que trocam de dimensões para enganar os mocinhos.
São eles Crono, o Alquimista, Felix Fausto (Terra-1) e Pingente, Violinista
e o Bruxo (Terra-2).

Na segunda edição, um confronto com Despero, com um visual bem diferente
do atual. O vilão também dá as caras no número # 15, na verdade sua primeira
aparição, publicada originalmente no titulo Justice League of América
# 1
(a Ebal lançou as aventuras fora de cronologia – veja no
final da matéria).

Na capa do número # 3, é possível conferir que o leitor encontrará “o
maior grupo de super-heróis já publicados em uma só revista”, com 18 heróis
listados. Curiosamente, só cinco membros da Liga participam da aventura
desta revista. O restante sumiu, ninguém sabe, ninguém viu!

Os Justiceiros #4Outra
HQ interessante é a do número # 10, na qual Zatanna (que tinha seu nome
grafado com um “n” apenas) solicita ajuda dos heróis para localizar seu
pai, o também mágico Zatara, que fará todo o possível para não ser encontrado.
O curioso título da trama é Z de Zatana e Zero Hora.

A edição # 12 trouxe a primeira história publicada nos Estados Unidos
com a Liga, na qual os heróis enfrentam a ameaça alienígena Starro, uma
espécie de estrela-do-mar que controla mentes, e só descobrem como derrotá-lo
com a ajuda de Johnny Brasa – o jovem Snapper Carr, que se tornou uma
espécie de “mascote” da equipe. O nome do personagem veio do fato de ele
ficar constantemente estalando os dedos.

A origem do poderoso andróide Amazo é narrada na edição # 13, em que a
cria do Professor Ivo mostra todo o seu poder e quase vence os heróis.
Derrotado, o vilão vira troféu no esconderijo da Liga.

A entrada do Arqueiro Verde na equipe, citada na aventura A
Busca
(Panini Comics, DC Especial # 1, 2004), teve
sua história publicada no número # 18 desta série. O herói é escolhido
para ser o novo membro da Liga da Justiça, mas é seqüestrado e, no final,
salva os companheiros com uma flecha-diamante.

Os Justiceiros
No número # 23, a origem da Liga, na qual a equipe conta para Johnny Brasa
que os sete heróis (Super-Homem, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde,
Flash, Aquaman e Ajax, o Marciano) se encontraram pela primeira vez ao
enfrentar sete alienígenas que usariam a Terra como campo de batalha,
para decidir qual seria o próximo Imperador de seu planeta.

Nas demais edições, a quase totalidade das tramas versava sobre alienígenas
que ora seqüestravam os heróis, ora tentavam conquistar a Terra. Alguns
cientistas malucos, feiticeiros, bruxos e um ou outro vilão, como o Doutor
Luz e Félix Fausto, também marcaram presença.

Os Justiceiros
Uma diversão à parte são as traduções feitas na época. Mulher-Maravilha,
por exemplo, era Miss América. E o melhor foi reservado para os vilões,
que tanto queriam derrotar os famosos heróis: Starro, o Conquistador,
chamava-se Estelo, o Conquistador. O andróide Amazo, criação do Professor
Ivo, era conhecido como Pasmo. A Liga corria risco de morrer de rir, isso
sim.

E, por falar em diversão, com o devido desconto, já que os tempos eram
outros, momentos marcantes faziam parte da rotina da equipe, como esse
carinhoso abraço entre o Lanterna Verde, Zatanna e Batman (sempre ele!),
ou esse “fora” do Homem-Morcego, preocupadíssimo com a pessoa com que
ele teve contato recentemente, como mostrado na imagem acima.

Os Justiceiros em Cores
Outra curiosidade são as cores das capas das edições. O Lanterna Verde
Hal Jordan frequentemente aparecia loiro; Ajax surgia como um homem careca,
de pele branca, uniforme azul e capa vermelha (um cover do Super-Homem)
e o uniforme de Aquaman tinha tonalidades que variavam, verde, laranja
ou amarelo. Uma brasa, mora?

As revistas, sempre com 32 páginas, apresentavam, além de uma história
da Liga, outras aventuras curtas, a maioria com o personagem Ted Múltiple,
e algumas HQs cômicas de uma página.

Além disso, vários números apresentavam, na contracapa, a seção Notícias
em Quadrinhos
, com artigos curtos sobre criadores famosos, cartas,
dúvidas dos leitores, visitas à redação da Ebal, lançamentos da
editora e até algumas novidades ao redor do mundo.

Uma ultima curiosidade: a edição Os Justiceiros em Cores # 1 apresenta
a trama Divididos são Derrotados, com roteiro de Denny O’Neil e
desenhos de Sid Greene, na qual os heróis enfrentam uma pequena e ridícula
brigada de militares que quer dominar os Estados Unidos, utilizando uma
arma que afeta a moral das pessoas. Não podia dar certo mesmo.

Os Justiceiros #13
Com a colaboração do amigo e colecionador Jesus Nabor Ferreira, confira
agora a maioria das histórias da Liga da Justiça publicada pela Ebal,
e as respectivas edições originais:

Justiceiros # 1Crise na Terra Um (JLA # 21)

Justiceiros # 2Quatro Mundos a Conquistar (JLA # 26)

Justiceiros # 3Os Bandidos do Infinito (JLA # 25)

Justiceiros # 4O Caso dos Super-Poderes Proibidos (JLA
# 28
)

Justiceiros # 5Metamorfo Diz… Não (JLA # 42)

Justiceiros # 6A Praga que Atingiu a Liga da Justiça (JLA #
44
)

Justiceiros # 7O Mistério de X – O Homem do Espaço (JLA
# 20
)

Justiceiros # 8A Ameaça do Verdadeiro ou Falso Bruxo
(JLA # 49)

Os Justiceiros #18Justiceiros
# 9
O Senhor do Tempo ataca o Século XX (JLA # 50)

Justiceiros # 10Z de Zatana e Zero Hora (JLA # 51)

Justiceiros # 11Criaturas Indestrutíveis da Ilha dos Pesadelos
(JLA # 40)

Justiceiros # 12Estelo, o Conquistador (The Brave
and the Bold # 28
)

Justiceiros # 13O Caso do Roubo dos Superpoderes (The
Brave and the Bold # 30
)

Justiceiros # 14O Desafio do Mestre das Armas (The
Brave and the Bold # 29
)

Justiceiros # 15Viagem sem Retorno (JLA # 1)

Justiceiros # 16O Segredo dos Feiticeiros Sinistros (JLA
# 2
)

Os Justiceiros #15Justiceiros
# 17
A Nau Escrava do Espaço (JLA # 3)

Justiceiros # 18A Destruição do Diamante Estrela (JLA
# 4
)

Justiceiros # 19A Gravidade Descontrolada (JLA # 5)

Justiceiros # 20A Roda do Infortúnio (JLA # 6)

Justiceiros # 21O Parque de Diversões Cósmico (JLA
# 7
)

Justiceiros # 22Vende-se a Liga da Justiça (JLA #
8
)

Justiceiros # 23A Origem da Liga da Justiça (JLA #
9
)

Justiceiros # 24Os Dedos Fantásticos de Felix Faust (JLA
# 10
)

Justiceiros # 25A Hora Final (JLA # 11)

Os Justiceiros #23Justiceiros
# 26
O Último Caso da Liga da Justiça (JLA # 12)

Justiceiros # 27O Mistério dos Robôs da Liga da Justiça
(JLA # 13)

Justiceiros # 28A Ameaça da Bomba Elektron (JLA #
14
)

Os Justiceiros em Cores # 1Divididos são Derrotados (JLA
# 66
)

Almanaque Quadrinhos 1969Cinco Justiceiros fora de Ação
(JLA # 52)

Batman e Superman em Cores # 5O Criador do Caos (JLA
# 68
)

Superboy-Bi # 19Crise na Terra-Dois (JLA # 22)

Superboy-Bi # 40Os Zangões da Rainha-Abelha (JLA #
23
)

Superboy-Bi # 41Crise em Terra-3 (JLA # 29) e
A Terra mais Perigosa de Todas (JLA # 30)

Marcelo Naranjo admira a criatividade e a capacidade narrativa desses criadores da Era de Prata. Ainda assim, acha que o traço dos personagens os deixava “gordinhos” demais. Pois é, tem gente que devia se olhar no espelho….

 

• Outros artigos escritos por

.

.

.