Marvel rompe com o Selo do Código de Ética?

Por Sérgio Codespoti
Data: 8 maio, 2001

Comics Code AuthorityEm abril, o Comics Code Authority (o selo do código de ética) vetou a publicação de X-Force #116, por considerar que algumas coisas contidas na edição não eram apropriadas para os leitores. A Marvel discordou da decisão e resolveu lançar a revista sem mudanças ou cortes, e sem o selo na capa.

Por isso, a pergunta que ficou é: será que esse selo de “censura” ainda é realmente necessário nos dias de hoje?

Parece que, para a “Casa de Idéias”, não. “Internamente, decidimos que se o selo já serviu a um propósito valioso, hoje não serve mais”, disse Bill Jemas, presidente da Marvel. “No momento, ele não nos ajuda. Nós ainda queremos falar com mais algumas pessoas antes de tomar uma decisão final”.

Segundo ele, o selo aplica as mesmas regras para publicações totalmente voltadas ao público infantil e outros títulos para adolescentes e adultos. “Há coisas que não são apropriados para Riquinho, mas que funcionam perfeitamente para o Homem de Ferro”, explica.

O editor-chefe Joe Quesada pensa parecido. “Rejeitaram quatro dos nossos títulos que estavam prontos para serem impressos, porque um personagem em cada revista dizia a palavra sucked (algo como ‘merda’ ou ‘que saco’, em português). Eles não gostam desse termo, mas o escuto em vários desenhos animados para crianças, no sábado de manhã. Poderíamos mudar a palavra, mas não o faremos. Lançaremos assim mesmo”.

A Marvel pode até mesmo criar seu próprio sistema de controle, em substituição ao selo do Código de Ética. “Seria mais lógico. Teríamos três tipos de avaliação: para crianças, adolescentes e adultos. A maioria das nossas publicações seria para adolescentes. Ainda não montamos todos os padrões, mas imagino que uma revista para criança pode incluir tudo o que eu diria na frente da minha avó. Nós podemos nos policiar, sabemos o que estamos fazendo”, afirmou Quesada.

Holly Koenig, do Comics Code Authority concordou em encontrar os editores da Marvel, DC Comics e Archie Comics para uma reunião, no dia 10 de maio, para discutirem mudanças no selo. “Sabemos que o selo precisa ser atualizado, e faremos isso”, disse ela. “Por isso, fiquei surpresa que a Marvel esteja pensando em romper conosco. A editora teve cinco revistas mensais rejeitadas, mas não apenas pela linguagem. Numa delas havia um ménage a trois (nota do UHQ: sexo entre três pessoas)”.

Em resposta a Holly, Quesada disse. “Não sei se três pessoas em uma tina de água quente constituem um ménage a trois“. A cena está em X-Force #116, que não terá o selo. “Tinham também vários personagens fora da tina, talvez eles estivessem fazendo uma orgia?”. O editor-chefe ainda não decidiu se irá à reunião acima citada.

Roger Fletcher, vice-presidente da distribuidora Diamond, disse que, sem o selo, as vendas podem ser um pouco afetadas em loas especializadas. Já Tom Levy, diretor de uma revista de negócios, teme que algumas lojas, como Wal-Mart, não aceitem vender as revistas sem o selo.

• Outros artigos escritos por

.

.

.