Morreu Kazuo Koike, um dos criadores do Lobo Solitário

Por Sérgio Codespoti
Data: 19 abril, 2019

Kazuo Koike o escritor de obras como Lobo Solitário, Crying Freeman e Lady Snowblood, faleceu no dia 17 de abril, aos 82 anos de idade, vítima de pneumonia. Ele estava hospitalizado havia vários dias.

O autor nasceu em 8 de maio de 1936, na cidade de Daisen, província de Akita – na ilha de Honshu –, no Japão.

No começo de sua carreira, trabalhou como assistente de Takao Saito, o criador de Golgo 13.

Em 1970, com o desenhista Goseki Kojima – falecido em 5 de janeiro de 2000 –, Koike criou a série Lobo Solitário (Kozure Okami), que foi lançada na revista Weekly Manga Action, em setembro daquele ano.

Nessa HQ, Itto Ogami é o executor do shogun Tokugawa. Ele e sua família se tornam vítimas de uma trama do clã Yagyu, cujos assassinos, a mando de Retsudo Yagyu, matam sua esposa. Ogami, então, se torna num ronin e, com seu filho Daigoro, viaja pelo Japão em busca de vingança.

Kazuo Koike

A série foi um grande sucesso, sendo adaptada para diversos idiomas e outras mídias, como filmes e seriados de TV.

Tomisaburo Wakayama estrelou seis filmes (na série conhecida como A Espada da Vingança) como Itto Ogami. O principal seriado de TV do personagem teve duas temporadas de 27 e 26 episódios e foi exibido no Brasil, pelo SBT, na década de 1980, com o nome O Samurai Fugitivo.

No Brasil, Lobo Solitário foi publicado por diversas editoras, como Cedibra, em 1988, e Nova Sampa, em 1990. Mas a única que publicou a obra completa foi a Panini Comics, a partir de 2004. Atualmente, a editora está relançando todos os volumes.

Ainda em 1970, Koike assumiu os roteiros da revista Hulk – The Mangá, ilustrada por Yoshihiro Morifuji. O título teve curta duração, e foi cancelado em janeiro de 1971.

Em 1972, colaborando com o desenhista Kazuo Kimimura, Koike criou a série Shurayuki-hime, lançada no Brasil pela editora Conrad, com o título Yuki – Vingança na Neve. Essa HQ é conhecida internacionalmente como Lady Snowblood.

Esse também é o título do filme de 1973, adaptando a série, dirigido por Toshiya Fujita e estrelado por Meiko Kaji. A película foi uma grande influência para Quentin Tarantino na criação de Kill Bill.

Outro título de Koike publicado em 1972 foi Samurai Executor (Kubikiri Asa), também com arte de Goseki Kojima. A trama narra a história de Yamada Asaemon, um samurai responsável por testar espadas para o shogun e conhecido como Decapitador Asaemon. A curiosidade é que esse personagem se encontra com Itto Ogami, na série Lobo Solitário, no capítulo 27.

O mangá foi lançado no Brasil em 2007, pela Panini. Esse encontro também foi adaptado para o seriado de TV e Asaemon foi interpretado por Go Wakabayashi.

Lobo Solitário

Koike e Gojima voltaram a colaborar em Caminho do Assassino (Hanzo no Mon), série estrelada pelo personagem Hattori Hanzo, um mestre ninja que viveu no século 16.

A primeira colaboração de Koike com o desenhista Ryoichi Ikegami aconteceu em 1983, com a série Kizuoibito (inédita no Brasil e traduzida para o inglês como Wounded Man).

Os dois voltariam a trabalhar juntos em Crying Freeman (Kuraingu Furiman), publicado no Japão entre 1986 e 1988. Yo Hinomura é um ceramista recrutado à força pela organização criminosa Os 108 Dragões e se torna o seu principal assassino e, posteriormente, o líder do grupo. A obra foi publicada no Brasil pelas editoras Nova Sampa, em 1990, e Panini, em 2007.

A Toei Animation adaptou a HQ como uma série de animação em seis episódios, lançados entre 1988 e 1994.

Em 1995, Crying Freeman foi adaptado como um longa-metragem, por Christophe Gans. O elenco dessa produção franco-canadense inclui Mark Dacascos no papel principal, Julie Condra e Tchéky Karyo.

Em 2003, Koike escreveu uma história para a revista X-Men Unlimited # 50, em parceria com o roteirista Kengo Kaji. A edição tem capa de Katsuya Terada e arte de Paul Smith. A HQ tem 24 páginas e é estrelada por Wolverine.

No mesmo ano, Koike lançou uma continuação para Lobo Solitário, Shin Kozure Okami, com arte de Hideki Miri Mori, que está em publicação no Brasil pela Panini.

Kazuo Koike recebeu diversos prêmios durante sua carreira, em países como Japão (Shogakugan, em 1981), Estados Unidos (Eisner, em 2001; Harvey, em 2001 a 2003; e Inkpot, em 2006), Espanha (Haxtur, em 2004 e 2006) e França (Prêmio especial do Júri na Japan Expo, em 2008).

É difícil medir a influência do trabalho do autor, mas vale lembrar que a série Lobo Solitário foi uma enorme influência sobre Frank Miller, durante sua fase no Demolidor, na criação de Ronin e Sin City.

Outro autor estadunidense que admite a influência de Koike é Max Allans Collins, autor de Estrada para Perdição.

A morte de Koike ocorreu menos de uma semana após o falecimento de outro artista japonês, Monkey Punch (pseudônimo de Kato Kazuhiko), o criador de Lupin III.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • stefanobahia

    Luto !! o universo da arte sequencial perdeu 1 grão-mestre.

  • Um dos maiores gênios dos quadrinhos. Que descanse em paz…

  • Stephan

    E a Nona Arte perdeu dois de seus maiores expoentes no mundo em menos de uma semana:(
    Mesmo para aqueles que não são muito chegados em Mangá, Lobo Solitário é uma obra indispensável, pois ela vai além do mero entretenimento.
    Sayonara, Kazuo Koike e Monkey Punch, suas obras jamais perecerão!

  • Daniel Lima

    mestre

  • FabioRT

    Adeus mestres ! Muito obrigado por tudo !

  • oneiros

    Só nos resta agradecer por tudo o que esse mestre produziu. Descanse em paz!

  • Jotape Ferreira

    Vá em Paz, Velho Guerreiro.

    Outro autor japonês que faleceu recentemente foi o criador de Lupin III, Kazuhiko Katō, mais conhecido como Monkey Punch.

    Que Descansem em Paz.

  • Algumas fontes dizem que o Kazuo Koike roteirizou dois episódios de Spectreman.

  • Koike lamentou o falecimento do Monke Punch e lembrou um mangá que fizeram juntos, achei na internet sobre isso. O tweet está aqui https://www.crunchyroll.com/pt-br/anime-news/2019/04/19/lone-wolf-and-cub-manga-writer-kazuo-koike-passes-away-at-82 O mangá: https://archive.is/3gwNR

  • Gabriel Bergamaschi

    Imensa perda para a nona arte. Que descanse em paz.

    OBS:
    Mestre Kazuo Koike merecia ter mais de suas obras publicadas aqui no Brasil.
    Além do clássico absoluto Lobo Solitário, existem diversas outras obras do autor (inclusive em parceria com o parceiro Goseki Kojima) que ainda são inéditas no Brasil.

  • Fabio Negro

    A qualidade de texto do Codespoti está em outra categoria, mesmo! Que bom que voltou a escrever com frequência por aqui! ♥

    • codespoti

      Valeu!

      • Fabiano G. Souza (Nerdmor.com)

        Notícia bem completa e contextualizada!

  • Koike merece um podcast.

  • Cristiano Camacho

    Morre uma lenda