Morreu o escritor Harlan Ellison

Por Sérgio Codespoti
Data: 29 junho, 2018

Harlan EllisonO escritor Harlan Jay Ellison faleceu no último dia 27 de junho, aos 84 anos de idade. Segundo o jornal The New York Times, ele morreu enquanto dormia, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Nascido em 27 de maio de 1934, em  Cleveland, Ohio, nos Estados Unidos, Ellison escreveu mais de 50 livros ao longo de sua carreira, dentre eles A Boy and His Dog, e centenas de artigos, ensaios e roteiros de TV. Além disso, ele é o autor de dezenas de roteiros para HQs e teve diversas de suas histórias adaptadas para os quadrinhos.

Ele escreveu roteiros para seriados como Outer Limits, Batman, Viagem ao fundo do mar e a série original de Star Trek. Seu episódio A cidade à beira da Eternidade (City on the Edge of Forever) é considerado um dos melhores da série.

Nos quadrinhos, escreveu para a maioria das editoras, começando com a EC Comics, na década de 1950. Ele foi o criador de Jarella (junto com Roy Thomas e Herb Trimpe), personagem da revista Incrível Hulk; fez enredos para Demolidor, Vingadores entre outros heróis da Marvel Comics.

Também criou tramas para Batman e Detective Comic, escreveu para Creepy, da Warren, e para as várias versões de Heavy Metal.

A Dark Horse Comics tem uma longa colaboração com o autor, que escreveu HQs para a revista Dark Horse Presents. A editora publicou, na década de 1990, a série Harlan Ellison – Dream Corridor, que adaptava diversos contos e ensaios do escritor.

A IDW lançou, em 2010, Phoenix without Ashes, uma adaptação de um dos romances de Ellison.

Naquele mesmo ano, Ellison colaborou com a DC Comics, na revista The Spirit. Em 2013, a editora lançou Harlan Ellison’s 7 Against Chaos, uma graphic novel em capa dura, com arte de Paul Chadwick e cores de Ken Steacy.

Um de seus trabalhos mais famosos nos quadrinhos é a grahic novel O Demônio da Mão de Vidro, uma adaptação do roteiro do episódio homônimo para o seriado The Outer Limits, publicada pela DC, em 1986, com arte de Marshall Rogers. Essa obra foi lançada no Brasil pela Editora Globo.

Ellison não era uma pessoa de convívio fácil. Briguento, cheio de opiniões e teimoso, durante sua carreira moveu diversos processos contra indivíduos, editoras e estúdios de cinema e TV.

Independentemente de seu temperamento, ele era uma figura respeitada por seu talento e por sua obra. Ellison foi agraciado oito vezes com o Prêmio Hugo. Além disso, recebeu dezenas de outros prêmios, dentre eles: Writer’s Guild of America, Nebula, Jupiter, Bram Stoker, Bradbury, British Fantasy, Edgar Allan Poe etc.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Olavo Nogueira

    Esse cara escreveu “Não tenho boca e preciso gritar” um dos melhores, e mais perturbadores, contos de FC que eu já li. R I P.

    • Chefe O’Hara

      O jogo de computador baseado nesse conto também é bastante elogiado e, ao que parece, contou com a participação efetiva dele na elaboração do enredo e dos quebra-cabeças. Lembro de ter lido um artigo numa revista que Ellison queria inicialmente que o jogo fosse impossível de vencer, deixando os personagens eternamente vagando pelos labirintos criados pelo computador. Então, cientes de que um produto assim iria deixar jogadores sem fim furiosos e custar à produtora uma fortuna em devoluções, os programadores demoveram o autor de seu intento.

      • Olavo Nogueira

        kkkk Não sabia desse jogo.

  • Dyel Dimmestri

    Um GRANDE NOME da Sci-Fi que se vai… Meus Pêsames.
    Uma curiosidade: Harlan Ellison faz uma “Participação Especial” na cultuada Graphic Novel “O Cavaleiro Das Trevas”,de Frank Miller,em 1986. Ele é entrevistado por uma repórter de TV e fala o que aconteceria com a humanidade no caso de um conflito nuclear entre as duas Superpotências da época( os EUA e, a hoje extinta,União Soviética). nós vemos apenas o balão de fala. Seu rosto não é mostrado. Para facilitar a busca: Ele “aparece” ali no livro 4,”A Queda do Morcego”.

  • Beto Magnun

    Grande escritor. Vale ressaltar que a Mythos lançou a versao em quadrinhos do episódio “Cidade à beira da eternidade”, que é mais fiel ao roteiro original do Ellison. O roteiro que foi filmado teve alterações feitas pelo Gene Rodenberry, D.C Fontana e mais um outro roteirista da série.
    O conto dele “A boy and his dog”, ganhou uma ótima adaptação para o cinema em 1975, e nos anos 80 em parceira com grande Richard Corben, publicou “Vic and Blood” continuação do conto e filme.
    O conto “Não tenho boca, mas preciso gritar”, é fantástico e fácil de achar online. Fica a dica pra quem quiser conhecer mais desse grande nome da ficção científica.

  • Marcos

    Lembro de uma história do Demolidor que ele escreveu na época da saudosa Super Aventuras Marvel, da Abril. Não vou me lembrar qual edição agora sem revirar o Baú, mas um put@ HQ onde o Homem sem Medo tá numa casa cheia de armadilhas e uma menininha bomba… acho que era as edições 49 e 50 de SAM. Enfim, RIP.

    • FINASTERIDO

      lembro nitidamente desta história. Desenhada pelo mazzuchelli. Mas acho que apenas a primeira parte teve roteiro dele.

  • XdrixManiac

    Se não engano, Ellison escreveu uma das melhores tramas do Demolidor, A Noite Mais Longa de Minha Vida, publicada numa edição da saudosa Superaventuras Marvel,da Abril. E também foi quem inspirou a hq Dias de Um Futuro Esquecido e a franquia do Exterminador do Futuro. Vida eterna a esse genial escritor onde quer que esteja no céu.