Morreu o quadrinhista João Carpalhau

Por Sidney Gusman
Data: 27 julho, 2018

Faleceu no dia 26 de julho, vítima de um ataque cardíaco fulminante, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, o quadrinhista, ilustrador e promotor cultural João Carpalhau. Ele tinha 38 anos. Nascido em 17 de julho de 1980, desenhava desde a infância e, mais tarde, passou a publicar tiras em seu blog.

Em 2013, Carpalhau fundou o coletivo Capa Comics, com artistas como Alex Genaro (Valkíria), Cristiano Ludgerio, Hamilton Kabuna, Luciano Cunha (Doutrinador) e outros. A ideia era incentivar a cultura local por meio de narrativas de autores da Baixada Fluminense ambientadas em sua própria realidade.

Além disso, realizava atividades em escola para a valorização do quadrinho nacional, como palestras, oficinas e debates, como forma de tornar o acesso à cultura mais viável e como forma de utilizar os quadrinhos como ferramenta educacional.

João Carpalhau

No Capa Comics (cujo nome é inspirado na lenda local do Homem da Capa Preta, em referência a Tenório Cavalcanti, político da região), criou personagens como Detrito, um professor que sofre um atentado e é deixado para morrer no Rio Sarapuí, mas, devido à poluição, ressurge como uma criatura monstruosa para combater criminosos. O personagem chegou a ganhar um curta-metragem de animação dublado por Ricardo Juarez, conhecido pelas vozes de personagens como Johnny Bravo e Capitão Átomo.

Carpalhau também foi o idealizador da Gibiteca Adail José de Paula, fundada em 2016 na Biblioteca Pública Leonel de Moura Brizola, no Centro de Duque de Caxias. Criada em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo do município, ela conta com um acervo de mais de 2 mil títulos disponíveis ao público.

O local já recebeu a visita de figuras ilustres, como Ziraldo e até do britânico David Lloyd, que manifestou suas condolências aos familiares de Carpalhau pelo Facebook

Em abril de 2016, João Carpalhau lançou a Gibizeira, feira de quadrinhos independentes para promover o trabalho de artistas locais (e alguns de outras partes do País), na qual eles vendiam suas obras sem ter que pagar pelo espaço. A atração já foi realizada em diversos shoppings do Rio de Janeiro e até em importantes eventos literários, como o LER – Salão Carioca do Livro e a Bienal Internacional do Livro.

Recentemente, Carpalhau participou da coletânea Despacho, da Editora Draco, com Victor Freundt, Alessio Esteves, André Martuscelli, Samuel Sajo, Rafael “Abel” Vasconcellos, Raphael Fernandes, Juliano Kaapora, André Oide, Airton Marinho, Tiago P. Zanetic, Bruno Soares e Eder Santos.

Sempre presente em eventos de quadrinhos pelo Brasil, Carpalhau era de um entusiasmo contagiante. Um batalhador dos quadrinhos, que adorava citar o bordão de Stan Lee: Excelsior!

O corpo do autor será velado na Câmara Municipal de Duque de Caxias, e o sepultamento será no Cemitério do Corte 8 (ainda sem horário definido). João Carpalhau deixa esposa e filho.

* Agradecimento especial a Antonio Carlos Lemos, pelas informações adicionais para a elaboração desta notícia

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Essa notícia é muito triste, principalmente por ele ser jovem pra caramba. Nos resta trabalhar para que todo o trabalho dele continue através de nossas ações.

    Fará muita falta!

  • Verdadeiramente impactante essa notícia. O João era uma das pessoas mais espetaculares e emblemáticas que Eu conhecia. Uma identidade forte e personalidade ímpar, um parceiro e eterno lutador pela causa do quadrinho nacional. O mundo aqui vai ficar um pouco mais chato e a Luta pelos quadrinhos e quadrinistas do Brasil, perdeu um ícone… Mas a eternidade ganhou desenhos e um olhar atento de quem sabe retratar até os anjos. Vamos em frente, sabendo que um dia desses a gente encontra OCarpa por lá.

  • Romulo Miranda

    Recebi essa notícia de forma totalmente inesperada hoje pela manhã.
    Sem dúvidas, foi uma perda enorme para a cultura e para os quadrinhos brasileiros.
    =(

  • João Cláudio Fidelis

    Eu conheci pessoalmente o Carpalhau! Grande amigo e super atuante aqui no Rio de Janeiro, era super atuante na cena! Todos aqui estão muito tristes. Vai em paz xará! Você vai fazer muita falta! Excelsior!

  • Cesar Custodio

    estou muito triste por perder um grande amigo que sempre me ajudou e cooperou no quadrinho nacional uma pessoa espetacular que deus esteja contigo <3

  • Juliano Kaapora

    Grande perda para o quadrinho nacional. Tive a oportunidade de conhecê-lo no FIQ e depois junto de Carlos Patati na entrega do Angelo Agostini de 2017. Infelizmente, ambos nos deixaram em 2018. Hoje, os quadrinhos estão mais tristes.

  • Octavio Aragão

    Uma perda de verdade para o cenário carioca e nacional. Um guerrilheiro dos quadrinhos, explosivo, franco, positivo e incomparável. Era a figura dele que agregava a todos. Fica um buraco na vida cultural da cidade.

  • Levi Trindade

    Realmente uma perda lamentável. Um prolífico autor e defensor dos quadrinhos. Tão jovem e com tanto ainda a contribuir. Que sua família possa ser confortada nessa hora difícil e que não nos esqueçamos de seu trabalho.

  • Jotape Ferreira

    Apenas 38 anos? Que Descanse em Paz.