Nova revista do Capitão América altera (mais uma vez) a vida do herói

Por Sérgio Codespoti
Data: 25 maio, 2016
Aviso aos leitores: este artigo lida com fatos recentes do Universo Marvel, divulgados na mídia norte-americana, que ainda são inéditos no Brasil. Por isso, aborda acontecimentos que certamente podem prejudicar o prazer de sua leitura no futuro.

 

Captain America – Steve Rogers # 1, de Nick Spencer e Jesus Saiz, título lançado recentemente alterou de maneira significativa a vida do herói.

Ao lado do Capitão América estão Sharon Carter, que assumiu o cargo de diretora interina da S.H.I.E.L.D., no lugar de Maria Hill – que está sendo julgada por crimes de guerra; Jack Flag e Redentora (Free Spirit), antigos parceiros do Sentinela da Liberdade; e Rick Jones, que está cumprindo sua sentença auxiliando Steve Rogers – uma espécie de serviço comunitário –, depois de ter revelado segredos da S.H.I.E.L.D.

O vilão da história é o Barão Zemo, que estava foragido após os eventos do crossover Standoff, no qual Steve Rogers foi rejuvenescido com a ajuda de um cubo cósmico.

Zemo está escondido em Bagalia, um país de criminosos. Durante o confronto com o vilão, num avião, Steve Rogers joga Jack Flag para fora da aeronave e diz: “Salve a Hidra!”

Segundo o escritor, não se trata de um clone, um impostor ou de controle mental. A revista ainda mostra flashbacks da infância do herói, ligados à Hidra.

Esse tipo de virada não é novidade nos 75 anos de história do Capitão América. O Falcão, por exemplo, teve uma fase na qual ele obedecia ao Caveira Vermelha.

A revelação terá um impacto profundo para os amigos de Steve Rogers e para o Falcão, que é a estrela de sua própria revista – escrita por Nick Spencer –, na qual também atua como Capitão América.

Mas como esse novo Steve Rogers foi modificado por um cubo cósmico, sempre é possível (ou melhor, provável) que não seja o mesmo personagem que conhecemos, mas uma versão alternativa do herói.

 Steve Rogers - Captain America # 1

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Valdir Pedrosa

    Vou aguardar para analisar melhor. Achei que não iria gostar do Homem-Aranha Superior e, na verdade, até me diverti com as aventuras do Oquinho vivendo na pele do Peter.

    • Pedro Ribeiro

      Detestei… ainda bem que peter voltou a ser o aranha

  • Morfeu/Sandman/Sonho/Devaneio

    Não faz sentido, todas as vezes que ele podia ter feito a
    Hydra ganhar, e as histórias com balões de pensamento que mostram ele
    contra a Hydra?

    • Ed mundo

      Estava tudo nos seus domínios, Morfeu.

    • Pedro Ribeiro

      deve ter sido pegadinha do mallandro

  • Gladson Pendragon

    Lixo. Marvel fazendo merda pra criar polêmica. Por essas desisti das mensais.

  • Kaladin

    Nos últimos anos, a Marvel tem impiedosamente sacrificado a essência de bons personagens e boas histórias para chocar o público e com isso ter um aumento (mesmo a curto prazo) em suas vendas, repetindo a prática periodicamente para manter a liderança no mercado de HQs. Mas desta vez, eles passaram totalmente dos limites.

    Capitão America é um daqueles personagens que (mesmo quando estava nas mãos de escritores pouco competentes) serviu de bússola moral para várias gerações de leitores. Eu mesmo, quando criança, tinha neste personagem o único exemplo de comportamento virtuoso ao meu redor. E agora, por pura questão mercadológica, a editora vem com uma ideia absurda dessas que, se levada a cabo, literalmente destrói todo o legado do personagem.

    Considerando as manifestações revoltosas que tenho visto, é provável que a Marvel volte atrás nesta história dando alguma justificativa estapafúrdia daqui há alguns meses, mas ainda assim, é um absurdo.

    • Daqui a algumas edições o Mefisto aparece e diz que foi tudo um sonho.

      • Leandro Silva

        Boa hahahahah, isso mesmo! É o maravilhoso mundo encantado dos quadrinhos, onde o herói troca a esposa boazuda ruivassa pela tia velha e ainda, em vez de defender o bem, faz pacto com o coisa ruim dos infernos (isso é que é herói! isso é que é editora! hahaha)

      • Kaladin

        Olhe a que ponto chegamos… Algo tão absurdo assim é o que faria mais sentido.

        Parabéns, Marvel…

      • Pedro Ribeiro

        kkkkkkkkkkkkkkk

    • Leandro Silva

      Não poderia ter dito melhor, Kaladin, não poderia. Talvez não seja tão ruim, talvez eles desenvolvam isso de um jeito que apareça a resistência do Capitão América contra essa programação em sua mente, que o torne mais heroico ainda (com aconteceu com o Bucke ou como aconteceu ainda mais anteriormente com o Jean Paul ao substituir Bruce Wayne como Batman); mas eu vejo isso apenas como um reflexo da nosso momento e sociedade atual, com valores morais plenamente distorcidos, corrompidos, retorcidos, onde o bem é mal e o mau é bom; veja a apreciação do Superman por exemplo, seu escoteirismo já não tem vez na preferência, mas o Batman, ser sombrio é mais relevante; Capitão América tem menos apelo e preferência que Wolverine! etc…
      Vamos olhar para a sociedade! os jovens de hoje não tem metade do valor moral do que há 15 ou 20 anos atrás! É raro vermos um jovem sedendo um lugar no ônibus lotado para um idoso! Um aluno tem coragem de jogar uma cadeira na cabeça de um professor (que vai para a U.T.I., aliás) e ainda consegue praticamente sair impune, apenas expulso da escola e deixando o anteriormente chamado mestre com pânico e sem vontade de voltar a lecionar. Essa geração e essa aceitação da sociedade de agora é que aprecia valores dúbios e heróis que não mau, mas também não é bom!

      • Camilo KUFS

        Precisamos Muito de um NOVO Reino do Amanhã (Kingdom Come) para podermos resgatar o Heroísmo presente em cada um de nós!

        • Leandro Silva

          Exatamente. O duro é que é capaz de colocarem o Jim Lee pra fazer algo bem massavéio, ou um desenhista com bastante apelo popular pra vender mais e tirar os atrasos das vendas da Dc que estavam lá no chão (salvo agora por essa novo up que Rebirth está dando, mas se as histórias continuarem sendo medianas pra baixo prevejo um novo efeito Novos 52, isto é, boas vendas por 4 ou 5 meses, depois volta a humildade novamente). Acho que o mercado é que está viciado em mediocridade mesmo, junto com nossa estagnação moral de forma geral – aliás, hoje eu acabei de crer na famosa bolha dos 10 anos que os quadrinhos sempre passam, intercalando 10 anos de mediocridade com 10 anos de um salto criativo.

        • Pedro Ribeiro

          TRUE

      • Kaladin

        Sábias palavras, Leandro. Concordo plenamente com você.

        Muito do que estamos vendo na mídia é reflexo da falta de valores desta geração. E por outro lado, esta falta de valores que vemos hoje em dia é alimentada por este tipo de prática de muitos formadores de opinião em destruir ou corromper exemplos moralmente mais sólidos.

        Apesar de não haver problema algum em existir personagens como Wolverine, Deadpool e Deathstroke, é errado tentar destruir e desacreditar os “bons moços” como se tudo e todos possuíssem um “lado negro” escondido. Isto gera um ceticismo perigoso, e uma ideia falsa de que não existe mais o “bem” no mundo. Esta, na verdade, foi uma das mensagens de Batman vs Superman.

        • Leandro Silva

          Isso, Kaladin, exatamente a palavra: CETICISMO! E ainda acrescento cinismo e pessimismo!
          E nem me fala em BvS que dá um nó no estômago! Sou um dos orfãos que o Snyder deixou: meu herói de infância, aprendi a gostar de quadrinhos com o primeiro do Christopher Reeves que passou na primeiríssima “SuperCine” da Rede Globo, nos meus 09 anos de idade, um personagem que ganhou todas as características de um herói perfeito, foi incorporando valores durante mais de 75 anos para o Snyder vir e implodir o personagem. Ai, ai; tai um filme que não mudou minha vida mas vivia muito melhor sem ele rsrsrs

          • Kaladin

            Hahaha. Tem toda razão quanto ao cinismo e pessimismo.

            E apesar de ter gostado da mensagem central de BvS, também não gostei da maneira como Snyder trabalhou o Superman. O Superman interpretado por Christopher Reeves sempre foi minha referência “real” do personagem, e senti muito a diferença. O Superman dos filmes de Nolan não me convenceu porque era sombrio demais e se deixava irritar/abalar com muita facilidade.

            Agora que Geoff Johns está supervisionando as produções cinematográficas da DC, espero que em Liga da Justiça tenhamos um Superman mais altruísta e resoluto.

          • Leandro Silva

            Vai ficar a expectativa mesmo… mas vou tentar reprimir, pois quem errou a mão, uma (lanterna verde), duas (man of steel), três vezes (BvS) pode muito bem continuar fazendo merda. Particularmente o Cavil nunca me incomodou, achei ele uma boa escolha, mas a assinatura que o Snyder quis imprimir pra mim é que estragou tudo! Quando terminou “Man of Steel” parecia que o Superman iria se tornar um símbolo realmente de heroísmo, humanidade e “esperança” que o próprio filme vendeu sobre o brasão no peito, mas tudo o que esse Superman simboliza aqui é DESCONFIANÇA e MEDO. E sabe de uma coisa? já cansou essa história de “ah! no próximo filme será explicado” ou “ah! no próximo filme isso será melhor desenvolvido” ou pior ainda “ah! no próximo filme isso ou aquilo fará mais sentido”, enfim, todos os filmes da DC tem se tornado mancos, capengas, sempre dependendo de outras coisas, ou seja o próximo filme, ou seja um quadrinho específico intermediário, e a bela experiência que é no verdadeiro laboratório que é NA SALA DE CINEMA no aqui e agora, está ficando pra trás.
            E, não sei, mas essa ambientação destrutiva e vazia tem se tornado tão frequente nos quadrinhos, como vemos nessa situação do capitão, que HQs não são mais para entretenimento e diversão, são sim para passar raiva e aflição! rsrs

    • Pedro Ribeiro

      Com certeza… atitude muito pequena da editora… ridículo

  • Acacio Rocha

    Thor é Jane Foster, Hulk é Frank Cho, Nova é Sam Alexander, Wolverine é X-23, Capitão América é Falcão, Capitão Marvel é Carol Danvers, Senhor das Estrelas é Kitty Pryde, Vespa é Nadia Pym, Jean Grey é uma contraparte do passado, entre tantas presepadas, como mudanças de grupos, membros do Quarteto Fantástico e X-men espalhados em outras revistas e agora mudanças drásticas das personalidades dos personagens como o Capitão América/Rogers e Ciclope, que parece mais vilão hoje em dia que o próprio Magneto. Me pergunto: o que deu na Marvel? Não tenho vontade de ler basicamente mais nada.

    • Pedro Ribeiro

      kkkkkkkkkkkk DC n está diferente, amigo

  • Depois os caras reclamam da história dos filmes. KKKKK

  • Leandro Silva

    Opa, parando agora de ler Marvel e a partir de então me dedicando exclusivamente à DC…
    Mas, isso é um reflexo dos tempos de agora, da filosofia e do pensamento humano em nosso momento, que convive com o mal, o aceita e o justifica dizendo que afinal deve haver algum motivo para que o mal seja mal. Vemos em nossa política e sociedade no Brasil, onde o bandido tem seus privilégios e toda uma proteção que o trabalhador não tem; bolsa família vale mais do que trabalhar; e os heróis e anti-heróis violentos tem mais preferências do que os “heróis escoteiros” que presam pela pureza e pelo valor do respeito! É puro reflexo do nosso tempo! E reflexo também dos filmes, que aos poucos são incorporados aos quadrinhos; já que a SHIELD era da Hidra no filme, por que não…
    Ha, mas de novo essa situação se repetindo: primeiro um Homem-Aranha que não é Homem-Aranha, é só um clone; daí é o vilão que se transforma em Homem-Aranha; agora isso… Ai, ai, que saudades das bobas histórias do Shazam e da família Marvel (sou eu contemplativo, sentado, fazendo posição de “O Pensador” agora)!

    • Kaladin

      Penso exatamente da mesma forma, e a pouca vontade que ainda me restava em voltar a ler algo da Marvel caiu por terra.

      E considerando que a DC está empreendendo um forte esforço em retomar seu legado, no qual heróis são realmente heróis, minha atenção também está agora totalmente voltada para Superman e companhia.

      • Pedro Ribeiro

        DC tb tem altas ideias ruins

    • Matheus Vitorino

      Gostaria de me contrapor a sua perspectiva Leandro.
      A filosofia produziu sim uma certa relativização da moral e ética, o que não vale dizer porém, que esta relativização é um advento moderno. Ela provém, sobretudo, do filósofo Nietzche, que o faz ainda no final do século XIX. Ainda assim, o século XX e o século XXI viveram vários momentos de ressurgimento de valores morais e éticos rígidos, no Brasil da Ditadura Militar por exemplo, onde os valores cívicos vinham de maneira a consolidar uma ideia de nacionalismo, a reboque de disciplinas como filosofia e sociologia.
      Agora da relação dos Quadrinhos com a esse relativismo Moral, devemos sempre lembrar que essa relação não é linear e tão pouco “ruim” ou “boa”. Um dos maiores escritores de Quadrinhos de todos os tempos, Alan Moore, se valeu completamente de um relativismo moral para desconstruir o mito do herói e construir obras onde o heroísmo é um ideal, e não uma prática. Vale sempre lembrar que Miracleman começa com uma citação de assim falava zaratustra, do já citado Nietzche. Mas ele o fez na já longínqua década de 80, e surpreendentemente, posterior a isso tivemos um movimento que tentava reavivar o lado otimista dos nossos queridos heróis. Mark Waid em Reino do Amanhã produziu um genial comentário como subtexto a cerca do Niilismo crescente dos heróis. Para Waid, sempre saudoso de uma época mais simples, vale mais a compra de ideais valorosos e altruístas (e a leitura de Reino do Amanhã revelam que esses ideais devam ser cristãos) do que aqueles niilistas. Waid escreve Reino do Amanhã no final da década de 90, ao mesmo passo que Warren Ellis escrevia o super niilista e ácido Stormwatch. Então não, essa pretensa desvalorização dos valores Morais não é de hoje, e sua adoção ou oposição geram boas histórias, a medida que bons escritores as fazem. Apesar disso tudo, não gosto da ideia de um capitão américa da Hidra (apesar de achar que seja uma versão alternativa), porque acho a ideia manjada. Mas dou o benefício da dúvida, pois me surpreendi positivamente pela última ideia ruim mas bem executada da Marvel, Homem Aranha Superior.
      Ah, e apenas um adendo, programas de assistência social como o Bolsa Família também são antigos, e tem sua origem nos países de Estado de Bem Estar Social, bem longe do cenário cínico e niilista que marcariam por exemplo, os anos 90.

    • Hermes Luiz

      Nada haver isso é a esquerda tentado destruir todos os valores americanos. Excluir Steve e emplacar o falcão como o Capitão definitivo.

      • Pedro Ribeiro

        Seria isso um plano de Obama??????

  • Leandro Silva

    Ah! e daqui a pouco o bom e velho Superman se descobre que é pedófilo tbm.

    • Kaladin

      Felizmente, ele é um personagem da DC…

      • Stephan

        Infelizmente, nenhuma editora está a salvo das “geniais” idéias dessa nova geração de roteiristas, inclusive a DC.
        Depois taxam de chatos e retrógrados os leitores veteranos…

        • Kaladin

          É verdade, você tem razão quanto a isto. Vimos como a DC pode chegar ao fundo do poço com os Novos 52. Contudo, acho que nunca vi algo tão grotesco e sem propósito quanto o que a Marvel acabou de fazer com seu maior ícone moral.

      • Henrique Valle

        Lanterna verde destruiu a cidade no crepúsculo esmeralda.
        Batman do Frank Miller usa armas.

        • Kaladin

          Entendi seu ponto, mas Hal Jordan fez coisas horríveis enquanto estava louco, e o Batman de Frank Miller representava algo alternativo, não oficial. Além disso, nenhuma destas ações destruiu o legado e a essência dos personagens como o que a Marvel acabou de fazer com o Capitão América. O equivalente seria revelar, por exemplo, que os Lanternas Verdes na verdade exigiam tributo em troca da “proteção” que davam e se vingavam de quem não os pagasse, ou que Batman na verdade financia os vilões de Gotham para exercer controle sobre a cidade.

    • Pedro Ribeiro

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • 0-Drix

    Se o Steve Rogers é mesmo membro da Hydra, eu não sei. Mas esse escudo aí mostra que ele é botafoguense!

    • Pedro Ribeiro

      credo

  • 0-Drix

    Esperando pelo momento em que a Marvel vai revelar que Tony Stark é, na verdade, o tio Ben,

    • Pedro Ribeiro

      kkkkkkkkkkkk

  • Gente… como um plot desses pode ser noticia? A história tá na metade…. a gente não sabe o porque de nada ainda. É como se alguem parasse de ler alice no pais das maravilhas qnd ela cai no buraco e saísse falando que ela morreu.

  • Mario Latino

    Mais uma boa razão para não mais torrar minha grana com quadrinhos de banca. Os sebos saem ganhando com isso…

  • Pedro Ribeiro

    Não vou me alongar, por isso digo: VERGONHA! Roteiristas medíocres, que não conseguem criar nada interessante, vem com essa ideia barata… PONTO NEGATIVO PRA MARVEL!!!! Não dou um real

  • Pablo Leite

    Por essas e outras, estou abandonando os Super-Heróis. Eu cresci, eles, regridem.

  • Marcelo Franco

    Que sábia a decisão a minha, de parar de comprar esta incrível quantidade de porcarias que lançam todos os dias nas Bancas e me dedicar a escolher, a dedo, encadernados e graphic novels. Saudade de quando a MARVEL era a casa (das boas) idéias.

  • Gladson Pendragon

    Sabe outra coisa que não faz sentido nesse ‘novo’ Capitão? Rogers ficar com o escudo-brasão-do-Botafogo F.C. enquanto o Sam fica com o escudo redondo. E não estou dizendo pela importância de cada personagem, pois na atualidade o Sam tem muito mais importância como símbolo da América que o Steve. Mas o único cara que arremessa o escudo de forma magistral é o Steve. Sam, Bucky, John Walker, nenhum deles conseguiu repetir o arremesso de Steve Rogers, então pensando racionalmente, o próprio Sam naturalmente deveria entregar o escudo ao Steve e dizer a ele que só ele poderia usá-lo, pois não é o escudo que faz o Capitão.

  • Pedro Ribeiro

    Que vergonha, Marvel

  • Pedro Ribeiro

    kkkkkkkkkkkkkkkk Boa