Nova série da Bonelli será no Japão Feudal

Por Leonardo Fraga
Data: 18 setembro, 2017

Na última segunda-feira, 11 de setembro, Roberto Recchioni (roteirista e atual editor de Dylan Dog) anunciou, em sua página do Facebook, que está trabalhando com o desenhista Andrea Accardi em uma nova série para a Sergio Bonelli Editore.

O projeto é baseado em duas histórias publicadas na revista Le Storie, que publica sempre graphic novels fechadas: A Redenção do Samurai e Flores do Massacre. Ao todos, serão 12 edições e se passa no Japão feudal.

Em entrevista ao site Fumettologica, Accardi diz que o feedback positivo nas vendas das duas primeiras histórias foi um dos fatores para que a série fosse aprovada. “Roberto propôs trabalhar em algo que fosse no Século 17, com um bom protagonista. Fizemos as duas histórias e continuamos desenvolvendo o projeto. Roberto pensou em uma minissérie com uma narrativa certa e autossuficiente, e nosso entusiasmo contagiou o editor Mauro Marcheselli, que aprovou a ideia”, explicou.

Para Recchioni, o novo personagem é a sua própria versão de Tex, usando uma katana (espada samurai). “Haverá um grupo de personagens, alguns já apresentados nas primeiras histórias, que experimentarão fabulosas aventuras no Japão Feudal. Assim como os filmes de samurai de Kurosawa e filmes spaghetti italianos de Sergio Leone. Cada volume trará tramas fechadas, com começo, meio e fim. Mas, ao concluir os 12 volumes, teremos uma imagem geral e ampla de uma grande aventura”.

A ideia é que a série esteja pronta em dois anos. “Para ser otimista”, disse Recchioni.

.

• Outros artigos escritos por

.

  • Alessandro Souza

    Me lembra o Shimamoto!!!

  • Daniel Pereira de Souza

    Minha primeira lembrança foi na saga (Onimusha PS2)…
    Bom, espero que seja espada/magia. de roteiro e arte acredito que estará bem servido.

  • Dimas Mützenberg

    Não é porque a história se passa num Japão feudal que ela necessariamente tenha a pretensão de ser um mangá. Além de que (aproveitando o citado Sérgio Leone), veja o que os italianos fizeram ao retratar a cultura americana em seu cinema. Criaram todo uma estética própria e por incontáveis vezes se engrandeceram sobre a fonte. Não sei se vai ser o caso dessa HQ, mas acho que a gente pode esperar para ver o resultado antes de julgar o livro pela capa (literalmente).

  • Alexandre Pinto Harich

    Eu tenho vontade . Não leio uma série deles desde Nathan Never.

  • Leonardo Campos

    Li a primeira história “A Redenção do Samurai”, é achei excelente… espero que vingue na Itália, porque até lá a crise chegou…

  • Isaura Luiza Machado dos Santo

    Helio, tu gosta de Lobo Solitário? ou então já viu algum filme de samurais do Akira Kurosawa?
    Pois bem, as citadas obras possuem muito em comum com cinema de faroeste italiano, se existe algum lugar fora do Japão ao qual as chances de gibi de samurai acertar, sãos os fumetti italiano.
    À proposito, recomendo e muito que veja a abertura da animação de mil novecentos e sessenta e poucos Sabu & Ichi, dirigida pelo mestre Rin Taro baseado na obra do mestre Shotaro Ishinomori (tem no youtube) a música de começo se parece muuuito com as músicas dos western e Enio Morricone.
    Pode ser que eles não acertem, mas, pra julgar, será necessário ler.