Novo volume de Hellboy – Edição Histórica chegará às livrarias em novembro, pela Mythos

Por Samir Naliato
Data: 23 outubro, 2018

A Mythos Editora lançará o novo volume de Hellboy – Edição Histórica no próximo mês de novembro, continuando a coleção que começou há 10 anos, em 2008.

Hellboy – Edição Histórica – Volume 9 – Krampusnacht e outras histórias (formato 17 x 26 cm, 180 páginas, capa dura, R$ 74,90) já está em pré-venda na Amazon Brasil.

O criador do personagem, Mike Mignola, retorna com artistas convidados e uma história que lhe rendeu o seu 13º Eisner Award. A edição é quase inteiramente formada por aventuras inéditas, e marca a estreia de dois grandes autores no universo de Hellboy: Adam Hughes ilustra Krampusnacht, aventura que valeu a ele e a Mignola o prêmio. Já Gary Gianni ilustra Mar Silencioso.

E mais renomados ilustradores fazem parte desta edição, como Tim Sale, Michael Avon Oeming e Richard Corben.

Hellboy - Edição Histórica - Volume 9 - Krampusnacht e outras histórias

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Jairzinho Sposito

    Essas histórias são inéditas?

  • Relancem o volume 01, pelo amor de Deus!

  • Moroni Machado

    Otima pedida

  • Nunca li Hellboy e tenho muita vontade de ler. Se a Amazon fizesse uma promoção boa das 8 primeiras Edições Históricas eu era capaz de fazer a loucura de comprar.

  • João Dôu

    “serão os seguintes:
    1) HELLBOY EDIÇÃO HISTÓRICA Volume 9, contendo:
    Hellboy: Krampusnacht (inédita)
    Hellboy: Into the Silent Sea HC (inédita)
    Hellboy: Being Human (republicação)
    Broken Vessel from Hellboy Winter Special (inédita)
    Mood Swings from Hellboy Winter Special (inédita)
    — Sei que alguns vão espernear pela republicação da história Ser Humano, mas não temos opção. Essa história foi lançada originalmente sob permissão especial na edição brasileira HB: A Casa dos Mortos-Vivos. Depois, a Dark Horse republicou A Casa dos Mortos-Vivos em Hellboy no México, e agora ela deve ser mantida como parte integrante desse título (até por isso, quando chegar o momento de republicar A Noiva do Demônio, essa edição não terá mais a primeira aventura do Hellboy no México). Tendo expirado o contrato original, somos obrigados a transferir Circo da Meia-Noite e Ser Humano para a coleção HB Edição Histórica, caso contrário, ambas ficariam fora de catálogo.

    2) HELLBOY EDIÇÃO HISTÓRICA Volume 10, contendo:
    O Circo da Meia-Noite (como acima explicado)
    A Capela de Moloch
    O Vigarista”

    Resposta do editor Fernando Bertachini no fórum MBB

    https://www.mbbforum.com/mbb/archive/index.php/t-29270-p-20.html

  • Opa, bom saber. Mas procurei o volume 1 e não achei em nenhum lugar.

  • João Dôu

    Segundo o editor Fernando Bertachini, no fórum MBB:

    http://www.mbbforum.com/mbb/showthread.php?29270-Mythos-Editora-Novidades-e-lan%E7amentos&s=484a54ab33bb351f7446c6434283c31a&p=4033232&viewfull=1#post4033232

    “Em todo caso, ao menos está definido que serão os seguintes:
    1) HELLBOY EDIÇÃO HISTÓRICA Volume 9, contendo:

    Hellboy: Krampusnacht (inédita)
    Hellboy: Into the Silent Sea HC (inédita)
    Hellboy: Being Human (republicação)
    Broken Vessel from Hellboy Winter Special (inédita)
    Mood Swings from Hellboy Winter Special (inédita)

    — Sei que alguns vão espernear pela republicação da história Ser Humano, mas não temos opção. Essa história foi lançada originalmente sob permissão especial na edição brasileira HB: A Casa dos Mortos-Vivos. Depois, a Dark Horse republicou A Casa dos Mortos-Vivos em Hellboy no México, e agora ela deve ser mantida como parte integrante desse título (até por isso, quando chegar o momento de republicar A Noiva do Demônio, essa edição não terá mais a primeira aventura do Hellboy no México). Tendo expirado o contrato original, somos obrigados a transferir Circo da Meia-Noite e Ser Humano para a coleção HB Edição Histórica, caso contrário, ambas ficariam fora de catálogo.

    2) HELLBOY EDIÇÃO HISTÓRICA Volume 10, contendo:
    O Circo da Meia-Noite (como acima explicado)
    A Capela de Moloch
    O Vigarista”

    • ninguém

      Essa tradução de “The Crooked Man” é bem tabajara, hein?
      Talvez ainda dê tempo de consertarem isso, retraduzindo para “O Homem Torto” e deixando mais condizente com o folclore inglês.

      • Faltou conhecimento antes de criticar. De onde você tirou essa “tabajariana” conclusão de que se trata do mesmo mito?

        • ninguém

          Eu não disse que era o mesmo mito, disse, ó campeão de interpretação de texto? O que disse acima é que a tradução é tabajara, porque confundiu CROOKED – “torto” em inglês – com CROOK, “vigarista”.

          • Escreveu besteira de novo. Crooked tem vários significados, dentre eles “curvo, torto, tortuoso, dobrado, arqueado, desonesto, fraudulento, falso, mesquinho, avarento ou vigarista”, portanto, não “confundiram” tradução nenhuma. Ao contrário, o erro é inteiramente seu, pois no seu Google Translator a única tradução seria “torto”. Provavelmente porque você viu filminho de terror classe B e, de repente, acha que se tornou tradutor profissional.

            Mignola se baseou no folclore dos Montes Apalaches e criou um personagem com o nome “Crooked” no sentido de mesquinho, avarento, traiçoeiro, daí a adaptação do nome pra Vigarista.

            A sua “interpretação de texto” é que também deve ser limitada a emoticons, caso contrário não insistiria em criticar sem ter a menor noção do que está dizendo. Errar é humano, assuma a sua crítica absolutamente infundada, pois insistir no erro já é outra coisa…

          • ninguém

            Queimaste no golpe, Bertacchini? Passa pomadinha aí…

            Segundo meu “Google Translator” usado principalmente para documentos oficiais da República Federativa do Brasil, meu entendimento de “Crooked” é que se trata de um adjetivo qualificativo, que é diferente do adjetivo especificativo, “Crook”.

            Eis aí a confusão que aludi: usaram o primeiro para significar o segundo, desprezando que a semântica do primeiro pode ser tanto denotativa quanto conotativa. O que não ocorre com o segundo que, por ter natureza especificativa, só admite o sentido denotativo.

            Nesse caso, Mignola pode ter usado crooked com significação múltipla, seja para estabelecer um paralelo entre o personagem que criou e o mito britânico – que, aliás, também tem um pé nos EUA via Revolução Americana -, seja para qualificar a entidade como tortuosa de caráter, assim como de sinistra aparência.

            Duvido que ele teria usado Crooked apenas para especificar que seu personagem seria só um escroque, pois o autor não é dado a literalidades. Caso fosse assim, teria ele usado o singelo nome de “bent-necked man”. Guarde o resto do seu veneninho para os fracos, meu caro. Aqui, a velha máxima do que vem de baixo, realmente não me atinge, valeu? Beijo.