Novos títulos nos títulos da Vertigo programados para o mês de julho

Por Marcelo Naranjo
Data: 18 julho, 2017

Confira os lançamentos do selo Vertigo, da Panini Comics, programados para este mês de julho.

Unfollow – 140 tipos (formato 17 x 26 cm, 144 páginas, R$ 23,90), nova série do escritor Rob Williams (A Realeza) e do artista Mike Dowling (Death Sentence), com arte também do desenhista convidado R.M. Guéra (Escalpo), penetra na criptografia acumulada da civilização para hackear a sociedade até o seu cerne.

Larry Ferrell inventou uma rede social revolucionária que conecta a vida de milhões de pessoas – e que o tornou um dos homens mais ricos do mundo. Mas o recluso fundador da Headspace está morrendo e decidiu doar a fortuna que acumulou para 140 usuários aleatórios.

Saídos dos mais diversos recantos do globo, os vencedores da maior loteria da História foram levados até a ilha privativa de Ferrel para conhecer os perturbadores termos de sua nova riqueza: os 18 bilhões foram divididos igualmente entre todos, mas, se qualquer um deles morrer, o dinheiro será redistribuído entre os sobreviventes.

E assim começa o último e mais ambicioso projeto de engenharia social de Ferrel, um vasto experimento feito para revelar a verdadeira natureza da humanidade. E com ele também se inicia a contagem regressiva da vida de 140 pessoas.

A Realeza – Mestres da Guerra (formato 17 x 26 cm, 144 páginas, R$ 22,90) é uma HQ criada por Rob Williams, Simon Coleby, Gary Erskine e J.D. Mettler.

Por muitos séculos, famílias reais governaram o mundo. O direito divino deles de comandarem o povo manifestou-se não por meio de coroas e tronos, mas também na forma de fantásticos e mortíferos superpoderes contra os quais exército mortal algum seria capaz de fazer frente.

Então vieram as revoluções. Democracia, indústria e comunismo se espalham pelo globo, a força do crescimento deixa a realeza insegura e uma nova geração de governantes faz votos de nunca usar os poderes em batalha outra vez.

Enquanto a Segunda Guerra se desenrola e os bombardeios assolam Londres, Leningrado e Pearl Harbor, esses votos são testados até o limite – e, provocados pelas ações dos mimados herdeiros do rei da Inglaterra, os gigantes adormecidos ao redor do mundo começam a se mexer.

Tom Strong – Nos confins do mundo (formato 17 x 26 cm, 160 páginas, R$ 25,90) reúne as HQs publicadas originalmente em Tom Strong # 31 a # 36.

Aventuras piratas, encontros com antigos inimigos de perto e de longe e explorações ao interior do corpo humano são um mero prefácio ao maior desafio do herói até agora: o fim do mundo.

Este encadernado, o sexto e último da série, reúne ao lado de Alan Moore os criadores Michael Moorcock, Joe Casey, Steve Moore, Peter Hogan, Chris Sprouse, Jerry Ordway, Ben Oliver e Paul Gulacy.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Rogerio Araujo Ferreira

    Há um erro no texto sobre o Tom Strong, na capa se lê “Nos Confins do Mundo” e no texto está: “O Fim do Mundo”

  • Samuka

    Cadê Escalpos?

  • Samuka

    E Escalpo?

  • Sarah Oliveira

    Alguém já leu Unfollow? E A Realeza? Valem a pena?

    • Rodrigo Oliveira

      Realeza é razoável, uma história interessante e só.

      • Sarah Oliveira

        De 0 a 10?

        • Rodrigo Oliveira

          um 6.

  • James Howllet

    Dúvidas:

    Por favor, alguém aí saberia responder se há problemas em ler este último encadernado de “Tom Strong” antes do encerramento de “Promethea”?

    • Rimos muito

      Melhor ler antes Tarzan, Papai Supimpa, depois o primeiro capítulo de Tom Strong, depois Capas e Gravatas e então Os Invisíveis, para poder então ler o restante de Tom Strong.

      Se não fizer isso, fica por sua conta e risco.

      • James Howllet

        Muitíssimo obrigado!

  • 0-Drix

    Seria melhor se a Panini ampliasse os títulos antigos da Vertigo em terras brazilis, como The Dreaming e Chiaroscuro. Estes títulos novos, eu passo.

  • Silvio César

    “Royals” é muito bacana. Li no Comixology. Vale a pena. Tom Strong sem Alan Moore é bacaninha. Mas vale para completar a coleção. Essa “Unfollow” eu não conheço. Presta?

  • Rimos muito

    No aguardo da retomada de Starman de James Robinson, a melhor hq de linha dos anos 90.

  • Rodrigo Oliveira

    De acordo!

  • LOBO_O_Maioral

    E a continuação de Hellblazer???

  • Juliano

    E terminar Promethea que é bom, NADA!

  • MJ Bondius

    Realmente aquela foi uma cagada fenomenal da Panini. E o pior, numa época em que 62 reais seriam o equivalente hoje a 120 reais!

  • Wellington Rodrigues

    Sugiro um podcast sobre o mercado editorial de HQs no Brasil, dada a quantidade de pedidos (alguns mal-educados) do tipo “reedita isso, lança aquilo”. Algumas pessoas podem achar que editoras são ONGs, do que discordo, por isso gostaria de ouvir a opinião dos redatores deste site.

  • Pablo Leite

    Lançaram um encadernado de demoníaco agora e relançaram dois da fase Delano.