Escritor Gary Friedrich faleceu aos 75 anos

Por Sérgio Codespoti
Data: 31 agosto, 2018

O escritor Gary Friedrich, cocriador do Motoqueiro Fantasma, faleceu aos 75 anos, em virtude dos efeitos da doença de Parkinson. Ele sofria desse mal havia anos. O óbito foi divulgado por Roy Thomas e Tony Isabella.

Friedrich nasceu em 21 de agosto de 1943, em Jackson, Missouri, nos Estados Unidos. Ele e Roy Thomas se conheciam desde a infância, muito antes de ambos iniciarem suas carreiras nos quadrinhos.

O autor começou como jornalista. Quando o jornal local fechou, fez alguns bicos e logo se mudou para Nova York, por sugestão de Roy Thomas.

Seus primeiros trabalhos foram HQs românticas, criadas para a Charlton Comics. Em pouco tempo, Friedrich estava escrevendo super-heróis como Capitão Átomo e Peter Cannon, e até diálogos para alguns das primeiras aventuras do Besouro Azul, de Steve Ditko.

Gary Friedrich

Além disso, passou a escrever títulos de faroeste para a Marvel Comics, como Kid Colt, Outlaw, Two-Gun Kid, Rawhide Kid e Ghost Rider, o Cavaleiro Fantasma (posteriormente, o personagem teve o nome modificado para Phantom Rider, para desfazer a confusão com o Motoqueiro Fantasma).

Seu primeiro título de relevância na Marvel foi Sgt. Fury and the Howling Commandos. Ele lançou duas outras séries de guerra: Captain Savage and his Leatherneck Raiders, publicada entre 1968 e 1970; e Combat Kelly and the Deadly Dozen, lançada em 1972 e que durou apenas 9 edições.

Friedrich escreveu história para The X-Men, Captain America, Captain Marvel, Daredevil, Nick Fury – Agent of S.H.I.E.L.D., as aventuras da Viúva Negra em Amazing Adventures, Monster of Frankenstein e The Gunhawks. Ele é o cocriador do Motoqueiro Fantasma, com Mike Ploog; Phantom Eagle – um herói aviador da Primeira Guerra Mundial –, com Herb Trimpe; e Daimon Hellstrom, o Filho de Satã, também com Trimpe.

No fim da década de 1970, ele abandonou os quadrinhos, fazendo apenas alguns trabalhos ocasionais.

Em 4 de abril de 2007, Friedrich entrou com um processo contra a Marvel Enterprises, a Sony Pictures, a Hasbro e outras companhias envolvidas com a produção do filme do Motoqueiro Fantasma e o merchandising baseado na película, com relação aos diretos autorais do personagem.

Inicialmente, a Marvel ganhou o argumento, mas perdeu um apelo e o caso voltou aos tribunais, até que finalmente, em setembro de 2013, as partes envolvidas chegaram a um acordo amigável.

Friedrich recebeu o Prêmio Inkpot em 2007.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Marcelo Bondioli

    2018 está sendo um ano terrível para os fãs de quadrinhos…