Panini confirma Renascimento para o fim de março

Por Marcelo Naranjo
Data: 2 março, 2017

A Panini Comics confirmou a nova fase de aventuras da editora DC Comics, para o final de março. Tudo começa com a edição especial Universo DC – Renascimento (formato americano, 112 páginas).

Nesse conto sobre legado e esperança, o roteirista Geoff Johns se junta aos desenhistas Gary Frank, Ethan Van Sciver e Ivan Reis para mostrar a jornada de volta para casa de um herói que andava sumido: Wally West.

A partir da perspectiva do homem quem um dia já foi o Flash, o leitor vai então começar a desvendar quem é o grande responsável por tudo o que vem acontecendo nas 52 Terras há anos.

O especial também vai trazer conteúdo da revista DC Comics Previews, na qual são apresentadas a maioria das séries que sairão no país ainda este ano.

A nova fase também trará mudanças para as revistas mensais da editora.

• Outros artigos escritos por

.

  • Larrous

    Agora sim!!! Esperando ansiosamente por isso.

  • Eduardo Lima

    E lá vamos nós de novo!

  • Saia Jeans

    Espero que publiquem de maneira decente, foi uma baita sacanagem o que fizeram com os leitores da Marvel no encadernado Infinito.

  • Homem Simpson

    E quanto ao lançamento de INFINITO, que ficará na História, mas não para o bem da Panini? Essa editora resolveu novamente apostar suas fichas na lei do menor esforço e trouxe ao Brasil a compilação em capa dura da minissérie INFINITO totalmente “seca”, sem extras, ostentando a pior de todas as capas da minissérie e, na contracorrente do que a Marvel fez lá fora, sem os tie-ins de Vingadores e Novos Vingadores devidamente incluídos – o que facilitaria a leitura e melhoraria compreensão da saga para quem não a seguiu anteriormente.

    Depois de tomar diversas decisões questionáveis (ué… V de Vingança em capa dura, mas sem o conteúdo da edição definitiva?), já estava na hora de toda frustração represada do leitor em relação às práticas da Panini extravasar. O diferencial são os modos escolhidos para canalizar essa insatisfação. Se antes a Panini Comics do Brasil impunha suas escolhas como “estratégia editorial”, apostando na incapacidade de o leitor se fazer ouvir ou reclamar, essa ação já manjada perde força a partir de agora.

    Gigantes do e-commerce, como a Amazon, permitem que seus consumidores comentem na própria página dos produtos que compram, dando-lhes notas sobre sua qualidade. Eis, portanto, a História sendo feita: https://www.amazon.com.br/I… o link para o produto da Panini, vendido na sucursal brasileira da Amazon, mostra a quantidade de notas baixas que essa publicação está ganhando na loja virtual, por só incluir a série principal no encadernado e pelo seu preço exorbitante. Se isso deverá prejudicar suas vendas e forçará a editora a dar ouvidos a seus leitores, ao invés de não consultá-los e continuar a lhes impor suas escolhas, é algo que merece ser acompanhado de perto!

    • Anônimo

      Infinito só foi compilado com os volumes de Vingadoers e Novos Vingadores muito tempo depois de ter saído os trade paperbacks normais nos Estados Unidos. Foi ruim ter saído antes do volume 4 e 2 das outras? Sim. Mas a Panini já confirmou que eles também vão ser lançados normalmente, só houve algum problema no cronograma. Não entendo a choradeira. Vocês deveriam estar reclamando do preço, não da ordem de lançamento. Pelo menos ainda podemos conseguir comprar pela Amazon com descontos MUITO bons. Incluindo frete, consegui comprar por R$37.

      • Homem Simpson

        Se você está querendo justificar a escolha equivocada da Panini, relatando o fato de que o encadernado com os tie-ins só saiu depois da compilação da série principal lá fora, então o tiro saiu pela culatra, amigo. Isso aconteceu porque a resposta que obtiveram foi negativa suficientemente para que aprontassem uma nova edição mais completa.

        Essa justificativa é bem-vinda, pois não só deixa claro o velho esquema “o que é bom para os EUA é bom para o Brasil”, prática xucra e retrógrada ainda adotada por muitas empresas no Brasil, como também reforça o fato que aludi – a Editora NÃO SABE evitar contratempos aprendendo com os erros dos outros. Esperava-se, como em outras épocas, que ninguém fosse reclamar.

        Em tempo: “choradeira” mesmo é tentar defender a incompetência alheia e acabar revelando, involuntariamente, como isso é de natureza tanto cultural quanto proposital nesse nosso paiseco de conformados. Obrigado por deixar mais incisiva minha postagem!

        • Moroni Machado

          Gostaria que você visse o outro lado, não precisando concordar com ele. Inicialmente ela propôs um encadernado completo por 100,00 reais. E eu fui um dos críticos, por que?

          Como iniciar uma coleção de encadernados de 20,00 reais á 30,00 reais, que possui um publico de 14 á 30 anos. E no meio da coleção coloca um encadernado de 100,00 reais. É um absurdo. Tem pessoas que não podem em um único mês gastar 100,00 reais.

          Além disso, o consumidor tem o direito de querer ler apenas o Infinito ou apenas Novos Vingadores ou apenas Vingadores.

          • Homem Simpson

            Vamos raciocinar por amostragem então. Quantos consumidores você viu na página da Amazon Brasil preferindo a opção de ler apenas Infinito ou apenas Novos Vingadores ou apenas Vingadores?

          • Leandro Silva

            Não sou a maioria, Simpson, entendi todo seu ponto até agora, e na verdade, apesar de ser DCnauta de carteirinha, esses encadernadinhos dos Vingadores e Novos Vingadores é a única coisa (Guerras Secretas se incluem aí) que compro da editora, gostei muito da qualidade que vi, mas eu acho um erro, um erro boçal e absurdo essa moda de encadernadões, com capa dura e tudo mais, só para encher os olhos, mas que tornam a aquisição bem complicada para quem tem uma renda mais humilde e não tem condições de exercitar seu hobby, ficando para trás. Há muito sou crítico dessa disposição do mercado, mas parece que é o que vinga, hoje, nas vendas no mercado nacional, infelizmente. Tbm sou obrigado a concordar com o leitor @Moroni Machado, gostaria de ter minha liberdade de escolher o que vou ler, o que vou comprar, e não ser obrigado a comprar um senhor calhamaço, mesmo por que é até ruim de se ler esse tipo de publicação. Também sou a favor do leitor @Anonimo, é muito mimimi por causa desse encadernado do Infinito, sério mesmo! Na minha época, lá pelos anos 80 e 90, nem isso nós tinhamos, e hoje, com excessos ou não, somos bem servidos, temos multi escolhas, as vezes se torna até difícil ter esse tipo de laser de tantas opções e tanta crise no país! Concordo contigo no quesito de a Panini ser beeeemmm abusada mesmo, detestei a escolha no formato de “Sandman – Prelúdio”, odiei mais ainda aquela enganação que foi a publicação de “Miracleman” (essa sim, deveria ter sido motivo para muito burburinho e até muito mimimi, mas isso eu praticamente não vi por aí, estavam todos babando e aplaudindo a Panini pela iniciativa e pagando um conteúdo de 60 páginas, salvo engano, por só 24 páginas de história ! E, conforme comentei acima, acha que estou satisfeito de pagar por uma edição do “Rebirth” tendo que levar pra casa outro tanto só de propagandas de revistas que provavelmente nem sequer irei comprar? Pura encheção de linguiça, corroborando com sua crítica, mas tbm acho que outras causas nem valem tanto barulho. E mais uma vez eu repito: “calhamaços de 600 páginas ou mais fazem muito mal para as dores lombares!!! e para o bolso!” Devemos cobrar qualidade editorial e de impressão, e não quantidade! Se sair com 600, 400 páginas, beleza, mas se sair com 200 ou 100, não se esqueça que tbm tem o seu público e isso facilita bastante o colecionador menos favorecido.

          • Homem Simpson

            Vamos por partes, já que seu texto é bastante prolixo:

            1) “essa moda de encadernadões (…) tornam a aquisição bem complicada para quem tem uma renda mais humilde e não tem condições de exercitar seu hobby, ficando para trás.” (sic)

            – Olha, esse raciocínio “quem não pode comprar fica chupando o dedo” é um exagero, pois quem tem pouca grana gerencia o que pode e o que não pode comprar. Há, para isso, diversas alternativas disponíveis (inclusive algumas repreensíveis) que não ficar apenas no binômio comprar ou não comprar. Se não é possível ter a HQ com capa dura, compra-se a HQ em capa mole, se não dá para comprar o arco encadernado, consegue-se o em fascículos. Eu mesmo compro usado quando não posso pagar um novo ou aguardo o preço do novo baixar.

            2) ” [Eu] gostaria de (…) não ser obrigado a comprar um senhor calhamaço, mesmo por que é até ruim de se ler esse tipo de publicação.”

            Isso é um entendimento equivocado do que esta sendo discutido aqui. Eu não vim aqui defender um encadernado de Infinito em volume único, mesmo com as estórias adicionais. O que fiz foi questionar a não a inclusão desses tie-ins de Vingadores e Novos Vingadores no encadernado que a Panini editou. Dizer que isso tudo deveria sair em um tijolo de 600 páginas é algo que eu não disse.

            3) “Na minha época, lá pelos anos 80 e 90, nem isso nós tinhamos, e hoje, com excessos ou não, somos bem servidos, temos multi escolhas, as vezes se torna até difícil ter esse tipo de laser de tantas opções e tanta crise no país!” (sic)

            Eis a rainha das falácias! A tática do “pelo menos”! Houve época em que não tínhamos Smartphones também! Devemos, portanto, ser gratos por termos hoje, no Brasil, a oportunidade de ter um aparelho mais caro e já defasado em relação outros países mais avançados ou vale a pena exigir realismo no preço desse produtos? Não dá para dizer que reclamar por qualidade e preços condizentes é “mimimi”, é “choradeira” e que isso não leva a nada, quando o assunto é HQ, mas, quando é para se ter carros mais seguros e mais baratos ou aparelhos eletrônicos top de linha, não é!

            Concordo com alguns pontos que você defendeu, porém, tive de ressaltar os que discordei por considerá-los falaciosos e anacrônicos. Democracia não é só poder expressar a opinião que mais nos convém, mas é também perceber que exigir qualidade no que se compra e no que se quer é um direito, mesmo que muitos o considerem um luxo.

          • Moroni Machado

            Só vi pessoas que tem cartão de credito.

          • Homem Simpson

            Ou de débito. Se você não tem… terá de se virar nos 30.

          • Mikhael Macedo

            pelo q eu vi por ai, a reclamação maior é q essa escolha da panini vai complicar a leitura pois os tie-ins do infinito foram feitos para serem lidos junto com a saga principal, se esse e o caso e n queriam algo mto caro, pq não dividir tudo em 2 encardenados de 300 paginas, não ficaria mais acessível dessa forma, afinal, lanterna verde a guerra do aneis foi lançado assim ao inves de lançar tudo num único encardenado.

          • Homem Simpson

            Exatamente. São, ao todo, 18 edições de Infinito + os tie-ins de Vingadores e Novos Vingadores. Se tivessem dividido em 3 encadernados, cada qual com 6 edições, daria para manter o padrão das encadernações anteriores e também o preço – o que todo mundo não sabe, mas assim ficaria bem mais barato.

          • Renan Rhapsody

            Então pegue esse encadernado de 100 reais e divida em 3. Sai menos confuso do que ler um capítulo e pular pra outro encadernado.

      • Saia Jeans

        Não leio Marvel atualmente por questões financeiras, mesmo assim vou comentar.

        Sinceramente, o Sidão é um dos caras que me ensinou a cobrar por trabalhos editoriais de qualidade. Vide Sandman da Conrad e suas opiniões sobre o papel do editor, tantos nas matérias quanto nos podcasts.

        Se você acredita que cobrar um bom trabalho é “choradeira”. Está na hora de rever seus conceitos sobre consumo, quadrinhos e editorial.

  • Samuel Almeida

    Essa edição especial é maravilhosa. Demorou pra chegar, mas finalmente ta vindo

  • Gamer99

    Aguardando os pacotes de assinatura…
    No site ainda está apenas os gibis dos Novos 52.

  • Leandro Silva

    Ai, ai, ai, é impressão minha ou se eu comprar o especial que introduz o “Rebirth” vou ter que pagar tbm por propaganda???? Como dizia um sabio por aí, em terras lusitanas: “Ai, Jisuis, olha outra casca de banana; lá vou eu escorregar de novo! ora pois, pois”!

  • Roberto Xavier

    Se a Panini divulgou fim de março entendam abril. rsrs. É sempre assim com eles checklist oficial é apenas para ter uma ideia, mas, quase sempre não cumprem com o prometido.