Panini relança American Jesus – O Eleito, um dos primeiros trabalhos autorais de Mark Millar

Por Samir Naliato
Data: 8 julho, 2019

A Panini Comics lançará mais uma obra de Mark Millar, desta vez um dos primeiros trabalhos autorais do escritor: American Jesus – O Eleito (formato 17 x 26 cm, 96 páginas, capa dura, R$ 41,00), que conta com arte de Peter Gross.

A edição está em pré-venda na Amazon Brasil.

Na trama, Jodie Christianson é um garoto comum, com um gosto por insucesso, videogames e revistas de nudez. Até onde ele sabe, o maior acontecimento que o aguarda são os pelos pubianos. A maioria dos jovens sente uma estranha sensação de desligamento do mundo, a sensação de que são, de alguma forma, diferentes de todo o resto.

Para Jodie, essa vaga suspeita é confirmada por um caminhão de carga e uma série de eventos que convencem até os mais devotos da cidade de que o garoto está destinado à grandeza num sentido bíblico.

Lançado originalmente em 2004 com o título Chosen, pela editora Dark Horse, o título foi rebatizado como American Jesus – Volume 1 – Chosen, em 2008. Apesar de Millar ter planos para uma trilogia, outros volumes da série não foram lançados. A história está sendo desenvolvida para virar um seriado pela Netflix, empresa que comprou o selo editorial MillarWorld em 2017.

No Brasil, foi lançado em 2006 pela Mythos Editora, chamado Chosen – O Eleito do Senhor. Desde 2013 a Panini Comics lança as obras de Mark Millar por aqui, e agora republica a obra com seu novo título.

American Jesus - O Eleito

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • FINASTERIDO

    Ao contrário da grand maioria dos trabalhos de Millar, que terminam de maneira decepcionante, e também contrariando a política do ‘quanto mais sangue nas páginas, melhor’ esta publicação é ótima, do início ao fim. E que fim. Lembro quando eu li pela primeira vez e fiquei realmente surpreso com o desfecho. Realmente, é uma pena que Mark Millar tenha feito depois disto trabalhos irregulares, ou muito mal acabados. E hoje faça quadrinhos unica e exclusivamente com o pensamento na tv. O resultado em geral é repetitivo e ruim.

    • Iorio D’Alessandri

      Concordo integralmente. Chosen é uma obra-prima e, depois dela, o trabalho de Millar tornou-se irregular e comercialoide.