Panini relança Camelot 3000, de Mike W. Barr e Brian Bolland

Por Samir Naliato
Data: 15 março, 2018

Mais um título que estava esgotado retorna às livrarias. A Panini Comics disponibilizará uma nova tiragem de Camelot 3000, obra clássica escrita por Mike W. Barr e desenhada por Brian Bolland.

Camelot 3000 – Edição de Luxo (formato 17 x 26 cm, 320 páginas, capa dura, R$ 82,00) já pode ser reservada pelos leitores, pois está em pré-venda na Amazon Brasil com desconto.

Por séculos, a lendária figura do rei Arthur serviu como um resplandecente exemplo de justiça e virtude. O próprio espírito da cavalaria encarnado, mas que foi abatido pela traição de sua rainha e de seu melhor amigo.

Assim, a lenda do mítico rei correu os séculos, milênios, sempre pairando no ar como a característica névoa que cobre Londres – a capital de seu país, Inglaterra –, à espera do momento em que sua nação mais necessitasse novamente de sua liderança.

E essa hora chegou. Não apenas para sua pátria, mas para o mundo inteiro. A humanidade está no terceiro milênio e enfrentando o maior desafio de sua história: uma invasão alienígena de seres dispostos a escravizar ou destruir os terráqueos.

Subjugados pela tecnologia superior dos invasores, a humanidade está à beira do fim quando um jovem descobre sem querer uma antiga sepultura sob Glastonbury Tor e desperta o há muito adormecido Arthur Pendragon. De volta à vida, o rei do passado e do futuro convoca seus antigos aliados – alguns muito diferentes do que ele se lembrava – e prepara-se para reunir seus cavaleiros ao redor da Távola Redonda uma vez mais e enviar os pretensos conquistadores de volta para o espaço.

Mas o mundo é muito diferente do antigo habitado por Arthur e está repleto de novos terrores tecnológicos e ameaças nunca visitas. Mesmo que o rei empunhe a poderosa espada Excalibur para liderar a resistência humana, ainda restam dúvidas se isso será suficiente para enfrentar o desafio ou se os mesmo inimigos que já conspiram contra o grupo finalmente aproveitarão a chance para destruir a Távola Redonda de uma vez por todas!

Anteriormente, a Panini havia lançado o encadernado de luxo em 2010. A história saiu ainda outras três vezes no Brasil: na revista mensal Batman (Editora Abril, 1984-1985), na minissérie em quatro partes Camelot 3000 (Editora Abril, 1988) e no encadernado Camelot 3000 (Mythos Editora, 2005).

Camelot 3000

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Ah vá…, tá

    Momento dedo no ar: quando vou teclar elogiando a Panini e aí vejo o preço.

    • Alexandre Pinto Harich

      Concordo, triste tempo!
      Me lembra muito o fim da Abril Tudo caríssimo.

    • Blohdgarm

      Não achei um preço tão exorbitante assim. Encadernados lançados em meados de 2015, com 300 pg em média saíram entre R$75 – 92 reais, isso mesmo sendo Marvel e DC.

      • Ah vá…, tá

        Não importa, foi caro no passado e tá sendo no presente.

    • Cláudio Gomes

      Eu sempre aproveito as promoções dos sites da saraiva e da FNAC.

  • Anderson Oliveira

    82 Temers?? Carai. Nao muito obrigado.

  • Anderson Oliveira

    82 Temers? Nao muito obrigado.

  • Heber Fabio

    Pessoal, para aqueles que não conhecem essa história eu recomendo muito. É muito interessante ver o Bolland desenhando várias e várias páginas. Belo relançamento.

  • André Maria

    Obra que merece ser sempre relida, guardo com carinho a edição em formatinho da Editora Abril.

  • Alexandre Floquet da Rocha

    Correção: Em sua primeira publicação Camelot 3000 foi lançada na revista mensal Batman (primeira série) e concluída na revista Superamigos em 1985 ambas pela editora Abril.

  • Marcus Vinícius Kleiman

    Já tenho. No aguardo de Crise de Identidade….

  • Alexandre Pinto Harich

    Uma das primeiras publicações com o toque de seus autores. Na minha opinião abre uma nova era nos quadrinhos.

  • Stephan

    E quanto a Esquadrão Atari???

    • Levi Trindade

      Bom dia, Stephan. Os direitos de Esquadrão Atari não estão com a DC. Então, por enquanto, é improvável que esse material possa ser republicado tão cedo. Estamos na torcida.
      Abraços.

      • Ricardo Ponce

        Eu iria um pouco mais longe e diria que é praticamente impossível, já que a Atari (detentora dos direitos), quebrou e foi desmembrada entre vários donos.

    • Adolfo Colen

      A IDW esta relançando os mini-comics da Atari, e existe a conversa que relançará o Esquadrão. Torço muito por isso!

  • Ricardo Ponce

    Leitura obrigatória para fãs de quadrinhos. Li quando saiu nas mensais da Abril e posteriormente na mini da mesma editora. Pretendo comprar este volume, mas neste preço não dá, irei esperar uma grande promoção como a black friday para ver se o preço cai para uns 40 reais.

  • Crivelari

    Alguém poderia ter a brilhante ideia de levar esta mini série para a TV, em live action, ou até animação. Ficaria sensacional.

  • EMS

    Gente do céu, será que não tem nada de novo para lançar , em vez de reeeelançar certas sagas, Vertigo, Bonelli, tantas editoras boas com ótimos personagens, e a Panini insiste em reeeelançamentos, aí é pra acabar.

    • Gabriel Viana Nagamini

      A Panini tem lançado bastante coisa mais recente da Vertigo, como a sequência de Fábulas, Departamento de Polícia da Física (acho que se chama assim), Art Ops, etc…

  • Ah vá…, tá

    Tempos atrás eu diria a mesma coisa, mas agora não, a Netflix tá num péssimo momento. Eu optaria pela HBO, apesar de me doer mais no bolso.

  • Ah vá…, tá

    Cada folha (vejam, não me refiro à página) da HQ está saindo a inacreditáveis cinquenta centavos. Duas folhas R$1,00.

    Pra poder comprar esta HQ não vou ter que comprar mais nenhuma outra no mês.

    A que ponto chegamos.

  • W. W. Barros

    Preço alto, mas mesmo assim menor do que a polêmica Escalpo.

    Esperar chegar uma promoção por R$50,00 pra poder (talvez) comprar

  • Anderson Oliveira

    Confesso q nunca fui um grande fan da serie. Mas como nao tinha lido todas as estorias (e aquelas que li foram na ordem em que fui adquirindo em sebos nos anos 80) resolvi dar uma nova chance e li os scans dos originais recentemente. Juro que queria gostar dessa saga, até pela nostalgia, mas nao rolou.

  • Moises Lucena

    Hora de parar com as mensais wue nem leio e investir nos clássicos.
    Esse vai pra estante.
    Li poucos nos anos 90 e sempre quis a série inteira.

  • FINASTERIDO

    É uma obra interessante. Mais pelo trabalho artístico do Bolland. Para quem não conhece, vale a pena.