ProAC divulga os trabalhos selecionados em 2018

Por Sidney Gusman
Data: 20 agosto, 2018

Diário Oficial divulgou, no último dia 18 de agosto, os projetos que serão contemplados pelo ProAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, no Concurso de Apoio a Projetos de Criação e Publicação de Histórias em Quadrinhos no Estado de São Paulo, em 2018.

Neste ano, a exemplo do que aconteceu em 2017, foram 14 projetos contemplados, sendo no mínimo sete de outras cidades do Estado de São Paulo, sem contar a capital. Cada um deles ganhará 40 mil reais para o material ser publicado. São eles, sem qualquer ordem classificatória:

Projetos vencedores da capital

Roseira, Medalha, Engenho e Outras Histórias, de Jefferson Ferreira Costa;

O Elísio, de Renato Dal Maso Rodrigues;

8 Pi, de Daniel Zonaro Lopes;

Fujie e Mikito, de Yuri Andrey Cardoso;

Viola vermelha – Modas de viola em quadrinhos, de Yuri Carlos Garfunkel;

Homem pássaro, de Antonio Carlos Tironi Galhardo;

O legado do mau azar, de Augusto Cezar Barbosa Figliaggi .

Projetos vencedores de outras cidades do Estado

Tuhú e o andarilho do tempo, de André Luiz da Silva Pereira (Santo André);

Tsulama, de Davi Ferreira da Silva Junior (Campinas);

O cramulhão e o trapaceiro, de Gilmar Machado Barbosa (Santo André);

Kuro, de Felipe Watanabe de Oliveira (Guarulhos);

Aquarela, de André Bernardino (Santos);

Devem ter sido as rosas, de Célio Antonio Cecare (Sorocaba);

Os olhos de Barthô, de Walmir Américo Orlandeli (São José do Rio Preto).

.

Vale frisar que os projetos selecionados só receberão a verba após a análise da documentação que também foi enviada no momento da inscrição. Caso haja algum impedimento, o candidato perde a vaga, que é herdada por um dos suplentes. Neste ano, foram indicados 14 suplentes (descritos abaixo por ordem de classificação), para o caso de algum titular ser desclassificado.

A nova Califórnia, de Daniel de Araújo Pinto (São Paulo);

Sobre trilhos, de Talessa Kuguimiya (São Paulo);

Espetaculare Meneghetti, de Oskar Dimitry Rizzo Arêas (Mauá);

Punchline, de Fabio Roberto Vitor (Itapevi);

Monstruário – Eterno retorno, de Lucas Kiyoharu Sanches Oda (Campinas);

Salseirada, de Alberto de Stefano (São Paulo);

Ele morre no final, de Marcos Leandro de Oliveira (São Carlos);

Os bons tempos das piores ideias, de Rafael de Oliveira (São Paulo):

O fundo do poço, de Magno José Costa (Santo André);

Voadores – Realidade distorcida, de Alexandre de Maio (São Paulo);

A ilógica tarde de prazeres do animal em fuga, de Guilherme Oliveira Santos (Itararé);

Maria Quitéria – Cavaleira do Império, de Felipe de França (Campinas);

Virginia merece, de Tainan Rocha de Lima (São Paulo);

O boxe de Sofia, de Carlos Antunes Siqueira Júnior (Sorocaba).

A comissão deste ano foi presidida pelo escritor e roteirista Fabio Tucci Farah e teve como demais integrantes: Antonio D’ Agostino Filho, Gustavo Fernandes Fernochi e Worney Almeida de Souza.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Banzé Baruel

    Infelizmente, a maioria destas obras não vai atingir público. Desconheço praticamente todas estas obras, e de anos anteriores.

    • Zé Borba

      Mas não são obras. São projetos ainda. Agora que receberam a verba
      para a produção, virão à tona, dentro do prazo estabelecido pelo edital.

    • HectorLima

      você já leu BANDO DE DOIS do Danilo Beyruth? talvez seja a obra ganhadora de ProaC mais conhecida.