Revista Beaux Arts publica especial sobre a Primeira Guerra Mundial em quadrinhos

Por Sérgio Codespoti
Data: 12 maio, 2014

Beaux Arts - La Grande Guerre en Bande DessinéeA revista francesa Beaux Arts publicou, no último dia 17 de abril, uma edição especial em quadrinhos sobre a Primeira Guerra Mundial. O conflito, que também é conhecido como “A Grande Guerra”, completou 100 anos em 2014.

Beaux Arts – La Grande Guerre en Bande Dessinée tem 148 páginas, formato 22 cm x 28,5 cm e inclui, além de diversos artigos, 60 páginas de quadrinhos.

A Primeira Guerra Mundial teve um impacto muito grande no panorama político, social e até geográfico da Europa. Isso está refletido na produção das histórias em quadrinhos. A revista inclui algumas HQs e charges da época, que escaparam dos censores, e também traz um panorama mais moderno de autores que escreveram e desenharam os horrores da guerra, com a vantagem do distanciamento de muitos anos.

Os Poilus – termo informal em francês que significa “peludos” e é usado para designar os soldados do exército francês no conflito – estão representados em HQs, charges, caricaturas e outras ilustrações da época.

Personagens famosos do período, como Bécassine, de Joseph Pinchon – que serviu no conflito -, e Pieds-Nickelés, de Louis Forton, também estão presentes e a criteriosa seleção de trabalhos mostra como eles foram usados como instrumentos de propaganda.

Até mesmo o trabalho do soldado e ilustrador Léon Pénet está presente. Ele fazia sketches e ilustrações dos seus companheiros de guerra em cartões postais e também desenhava HQs curtas, que enviava por carta à sua família.

Avançando para décadas mais recentes, a seleção inclui páginas de Joe Sacco, da HQ A Grande Guerra; Paroles de Poilu, de Cyril Pedrosa; Jacques Tardi está representado com páginas de C’était la guerra des tranchées e Putain de guerre; Kris e Mäel assinam a HQ Notre Mère la Guerre; e o lado inglês do conflito marca presença em Charlie’s War, de Pat Mills e J. Colquhoun.

Os autores Manu larcenet, Xavier Dorison, Enrique Breccia, Hubert Bieser, Manuele Fior, Pierre Castex, Dino Bataglia, Jean-David Morvan, Igor Korday, David B., David Vandermeulen e Sergio Toppi, dentre outros, também estão presentes com páginas de HQs relativas ao tema. A edição também aborda alguns mitos de guerra e até o conceito do soldado desconhecido.

A publicação inclui uma entrevista feita por Pascal Ory, com os autores Mäel, Kris, Jul e Fabien Nury, sobre a grande existência de HQs que falam da Primeira  Guerra Mundial, atualmente à disposição nas livrarias da França e da Bélgica.

As páginas finais da revista trazem uma bibliografia selecionada de história em quadrinhos  da guerra.

Beaux Arts – La Grande Guerre en Bande Dessinée custa 7,90 euros.

• Outros artigos escritos por

.

.

.