Rio – Zona de guerra mostra cidade distópica em lançamento da AVEC Editora

Por Samir Naliato
Data: 30 junho, 2014

A AVEC Editora está lançando o romance Rio – Zona de guerra (formato 14 x 21 cm, 208 páginas, R$ 34,00), com texto Leo Lopes e capa de Diego Cunha.

A história bebe da fonte cyberpunk e histórias futuristas, como as do filme Blade Runner e do game Syndicate, para apresentar um Rio de Janeiro caótico, dominado por políticos incompetentes, megacorporações controladoras e atos de protestos da população.

Uma realidade que não parece muito diferente da atual, mas extrapolada para contar uma história na qual as pessoas precisam se adaptar para sobreviver em uma região conhecida como Zona de Guerra, dominada por violentas gangues. Além disso, locais como a Barra da Tijuca, o Maracanã e as favelas do Rio ganharão novos significados.

A trama segue um detetive que enfrentará obstáculos fora e dentro da Zona de Guerra para tentar resolver o assassinato de uma prostituta em um dos mais luxuosos prédios das megacorporações. Nessa investigação, surgirão uma femme fatale, o marginal, o subempregado, assassinos, gangues, tecnologias revolucionárias, polícia repressora, justiça tendenciosa e muito mais.

Rio – Zona de guerra pode ser adquirida em livrarias, ou no site oficial da editora.

Atualização: Ao contrário do informado inicialmente, a obra é um romance.

Rio - Zona de guerra

• Outros artigos escritos por

.