HQ ficcional aborda os bastidores da Semana da Arte Moderna

Por Marcelo Naranjo
Data: 7 novembro, 2017

Estella Vic – 1922 e o Manifesto Futurista (formato americano, 56 páginas em preto e branco) é uma HQ ficcional sobre os bastidores da Semana de Arte Moderna que instaurou o Modernismo no Brasil.

Uma artista pretende explodir o Teatro Municipal de São Paulo no primeiro dia da Semana de 1922, para inaugurar o futuro da Arte, como uma performance do Futurismo, movimento artístico que influenciou os modernistas no Brasil. Mas caberá a uma jovem repórter do jornal, Estella Vic, evitar que isso ocorra.

A HQ faz parte de um projeto que pretende, a cada edição, contar uma história tendo sempre como pano de fundo um evento marcante no país. “Estamos planejando outras aventuras para Estella Vic. Queremos construir uma série com HQs que se encerram em suas próprias edições. Nosso propósito é construir uma personagem forte, estabelecendo uma marca para que possamos trabalhar também com outras mídias. Por enquanto é um sonho, mas o primeiro passo está sendo dado”, diz Marcelo Alves, autor e roteirista do projeto.

A edição está em pré-venda na plataforma de financiamento coletivo Catarse, com entrega a partir de dezembro. As ilustrações estão a cargo de Maris Queiroz e o design do projeto e as letras são de Day Romeiro.

 “Acreditamos tanto no projeto que estamos utilizando a plataforma como um canal de vendas e marketing. Teremos alguns pacotes de recompensas, e vamos analisar os resultados para planejar a campanha da próxima edição, que deve sair no início do segundo semestre de 2018”, diz Marcelo Alves.

Este é o seu segundo trabalho na área de quadrinhos. Ele irá participar do Artist’s Alley, na CCXP, com o mangá Machado de Assis – Caçador de monstros, que será entregue neste mês de novembro para os apoiadores, com lançamento oficial na CCXP.

Confira outras informações sobre a obra na página do Facebook.

• Outros artigos escritos por

.

.

.