Shaolin Cowboy, de Geof Darrow, será publicado pela Editora Mino

Por Samir Naliato
Data: 9 maio, 2016

A Editora Mino prepara o lançamento de Shaolin Cowboy no Brasil. O título, escrito e desenhado por Geof Darrow, mostra um monge shaolin sem nome e sua mula falante enfrentando demônios, zumbis e outros desafios, tudo acompanhado de muita ação e arte detalhada, como é característica do autor.

Inicialmente, o título foi publicado nos Estados Unidos, em 2004, pela Burlyman Entertainment, editora fundada por Lilly e Lana Wachowski (na época, ainda conhecidas como Andy e Larry, diretores da trilogia Matrix). Depois, uma nova série foi lançada pela Dark Horse.

Geof Darrow foi estagiário nos estúdios Hanna-Barbera e chegou a trabalhar nos filmes da saga Matrix criando artes conceituais para a produção. Nos quadrinhos, também desenhou Hard Boiled – À queima roupa (Atitude, 1999; Pandora Books, 2002; e Devir, 2008) e Big Guy e Rusty, o menino robô (Devir, 2009), obras produzidas em parceria com Frank Miller.

Ele colaborou ainda com a antologia The Matrix Comics (Panini, 2009).

O especial da Mino é baseado em The Shaolin Cowboy – Shemp Buffet, encadernado da Dark Horse. A edição de capa dura e 144 páginas coloridas ainda não teve o preço confirmado, mas o lançamento está programado para acontecer durante o Fest Comix, evento que acontecerá de 17 a 19 de junho de 2016.

Clique na galeria abaixo para ampliar um preview de Shaolin Cowboy.

.

Shaolin Cowboy

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Amalio Damas

    Hard Boiled também foi lançado pela Devir, aliás, só a Devir concluiu a série.

  • Renato Britto

    Finalmenteeeeeeeeeeeeeeee!!!!!! o/

  • Eugênio Furtado

    Estava legal até mencionar que tem zumbis na história!

  • Larrous

    Quero já!

  • Carlos

    Essa eu quero.

  • Cowboy Shaolin é antigo heim… Demorou pra sair no Brasil, mas falou em capa dura pra baixa tiragem, pode esperar preço alto… Uma capa cartonada e miolo off-set estaria de bom tamanho, principalmente para o bolso e o pouco espaço na prateleira. Essa mania de agora fazer tudo em capa dura… O que vende não é a capa dura não… Aliás, a capa dura só encarece e torna o preço inacessível a muitos. O q vende é a qualidade da história (q nem sei se Shaolin Cowboy tem e se vale o risco)…

    • Marco1964

      Já ouvi dizer que a capa dura encarece o produto uns R$5,00 mais ou menos! Ou seja, nem é tanto assim; o que deve pesar, imagino, é a baixa tiragem.
      Mas, concordo com você nesse ponto: acho desnecessário capa dura, reserva de verniz, orelha etc. Afinal, estamos falando de histórias em quadrinhos, que, em tese, deveria ser um meio de comunicação de massa…
      Quanto ao “Shaolin Cowboy”, só a arte do Geoff Darrow já vale cada centavo. Parabéns à editora Mino pela iniciativa.

      • É, a baixa tiragem é uma grande inimiga por causa dos custos gráficos. Quanto ao valor, me baseando pelas graphic msp q tem alta tiragem, a diferença da versão capa cartonada para a capa dura é de R$ 10. Já os especiais da Mythos (Fantasma, Recruta Zero e Mandrake, por exemplo) q são em baixa tiragem, a diferenca entre as versões capa cartonada e capa dura é de R$ 15. E imagino q quanto menor a editora e a tiragem, mais cara fica a capa dura…

        • Pedro Bouça

          As capas duras da MSP são feitas pensando nas livrarias, a diferença de tiragem para as de capa mole é gigante e influi muito mais no preço. Eu já te falei isso na Internet umas 200 vezes em lugares diferentes, por que você insiste nesse exemplo?
          Mythos não edita Recruta Zero e só publicou o Fantasma da Dynamite. Você está pensando na Ediouro, que faz tiragens bem maiores e SÓ publica em banca.
          Edições de livraria têm baixa tiragem e retorno lento, elas necessariamente precisam ser mais caras. É verdade no mundo inteiro, não apenas no Brasil. Agravada porque aí não existe lei de preço do livro e as grandes redes obrigam as editoras a lhes venderem livros mais barato para fazer os descontos enormes que se veem nas Amazons da vida, então o preço já é definido pensando-se no desconto. Leve sempre isso em conta ao pensar em preço de livros no Brasil (e nunca compre sem desconto!).
          Portanto uma edição de livraria será sempre cara. E sabe o que acontece quando se faz um livro de poucas páginas e capa mole? Ele é aniquilado nas prateleiras pelos frequentadores mal educados das livrarias e a editora tem de jogar fora uma quantidade enorme de livros que voltam das livrarias e que poderiam de outra forma ser vendidos. É um grande prejuízo! A capa dura aumenta a sua resistência a um custo relativamente modesto.
          Entendeu agora a importância da capa dura? Não é o “luxo desnecessário” de que todo mundo fala.

          • Bem, vc está me dizendo isso pela segunda vez, da outra vez falou q a diferenca seria de apenas R$ 5, mas nao e isso q vejo na pratica $$$, como nos exemplos citados acima, já q independente da tiragem, essa é a diferença q pagamos por uma versão ou outra. E independente da editora, se Panini, Ediouro ou Devir. E isso vc diz mais uma vez pq insiste em ler os meus comentários inúteis, finalmente, errei ao mencionar a Mythos, eu me referia à Pixel (Ediouro).

  • Rogerio Araujo Ferreira

    A arte de Geoff Darrow é sempre de altíssima qualidade, quanto aos encadernados de Cowboy Shaolin o primeiro que saiu pela Burlyman é melhor, esse anunciado pela Mino é a continuação da história embora a arte seja estonteante, mais de 80 páginas mostram somente uma luta com zumbis sem diálogos, acaba ficando exagerado e cansativo. Fica a torcida para que lancem o volume do material que saiu pela Burlyman e meu sonho de consumo que é o art-book do Darrow que segundo dizem ele só vende pessoalmente em comic-cons de que participa, alguém podia convidar ele para vir ao Brasil.

    • Pedro Bouça

      A história da Burlyman nunca foi terminada, já que a editora jjogou a toalha.
      A intenção do Darrow nessa mini da Dark Horse era EXATAMENTE criar uma história com 80 páginas do personagem lutando contra zumbis, então ela é precisamente o que o autor queria.

      • Rogerio Araujo Ferreira

        É verdade mas no volume anterior da Burlyman a história chega à última pagina com a aproximação dos zumbis no interior do monstro onde ele estava, o que ele fez pra conseguir sair de lá não é mostrado mas é narrado no resumão da história do Cowboy. Esse pequeno intervalo entre os dois volumes fica por conta da imaginação visual dos leitores. Em entrevista Darrow foi perguntado porque fez tantas páginas com cenas de lutas e respondeu que fez porque estava divertido e não conseguia parar. O primeiro volume é mais rico visualmente e alguma editora bem que poderia lançar isso aqui.

        • Pedro Bouça

          Não sei como isso poderia ser negociado, já que a Burlyman desapareceu como editora e os irmãos (bem, agora irmãs) Wachowski não são tão acessíveis para um editor interessado quanto uma Dark Horse.
          Talvez perguntando-se ao próprio Darrow.

  • Heberton Arduini

    Ainda bem que baixei em Scan…

    Meu Deus , que história lixo !!!! Kkkk, inacreditável

  • Pedro

    o que uma boa propaganda e indicações não faz. Uma HQ de 80 páginas de ilustrações de matança de zumbi, sendo que 80% parece a mesma coisa por 80 reais !!! :) Ridículo.