Site Guia dos Quadrinhos recebe notificação em nome da Panini, que admite engano

Por Samir Naliato
Data: 3 abril, 2020

Na última terça-feira, dia 31 de março, o perfil do site Guia dos Quadrinhos no Twitter postou uma notificação que recebeu da empresa Lourival J. Santos Advogados, em nome da Panini Brasil Ltda.

O comunicado denunciava a “divulgação/utilização indevida de conteúdos da editora”, o que, segundo os advogados, feria a lei de direitos autorais e, por isso, solicitava a retirada de todo o conteúdo em até três dias.

A comunicação causou estranheza, pois o Guia dos Quadrinhos não disponibiliza as revistas para leitura, apenas serve como um catálogo online de tudo o que foi publicado.

O Universo HQ entrou em contato com a assessoria de imprensa da Panini sobre o ocorrido, e a editora confirmou tratar-se de um engano. O Guia foi confundido com site que disponibiliza scans para leitura e download.

Confira, abaixo, a resposta da Panini na íntegra.

Com o objetivo de esclarecer qualquer eventual entendimento equívoco a respeito de suas ações,  a Panini Brasil informa que tem se dedicado arduamente a combater a exploração desautorizada de seus conteúdos editoriais, e seguirá firme nesse intuito. Sua intenção é a de impedir a utilização desautorizada de conteúdos que tenham finalidade comercial ou publicitária, veiculando PDFs ou permitindo downloads ilegais, protegendo, assim, suas marcas e seus direitos licenciados, garantindo a seu público leitor acesso a uma publicação de extrema qualidade.

Em meio a essa grande ação, a Panini reconhece que alguns sites que utilizam seu conteúdo com intuito meramente informativo, divulgando capas ou informações sobre as publicações, podem ter sido alvo de notificações, e, solicita, nesse caso específico, que desconsiderem nosso pedido.

A Panini reforça seu compromisso com o combate intransigente à pirataria, e conta com o engajamento de seu público leitor nessa luta que é de todos nós.

Edson Digo, responsável pelo Guia dos Quadrinhos, disse que recebeu contato da empresa de advocacia na última quarta-feira dizendo que foi um engano e para ele desconsiderar a notificação. Edson solicitou este comunicado por escrito.

Mais sites receberam a mesma notificação.

Outro caso bastante comentado nos últimos dias foi o do site Case in Case, que vende caixas para colecionadores guardarem suas revistas e também foi notificado pelo escritório de advocacia por usar material da Panini. Entretanto, este é um pouco diferente do Guia, pois os produtos são comercializados.

Guia dos Quadrinhos

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Miguel Robério Cipriano Gonçal

    A Panini deve um grande pedido de desculpas ao guia dos quadrinhos…

  • Marquito Maia

    Apoio integralmente a ação da Panini contra a dita pirataria, MAS que baita ignorância dessa gente não saber – e, pior, sequer verificar – do que se trata o sítio em questão!! Tudo bem que vivemos em tempos que reina a ignorância (entre outras coisas)…

  • ninguém

    “A Panini reforça seu compromisso com o combate intransigente à pirataria, e conta com o engajamento de seu público leitor nessa luta que é de todos nós.”

    A melhor forma de combate à pirataria, a meu ver, seria a editora oferecer publicações de qualidade a preços e condições acessíveis ao leitor.

    Quem procura scan hoje ou o faz como precaução, para saber se a publicação mereceria o valor sugerido (sempre crescente) de capa, ou o faz por não ter condições de adquiri-la, seja por conta da sempre deficiente e assimétrica distribuição das revistas em bancas no território nacional, seja pelos inúmeros, frequentes e evitáveis erros de revisão que elas contém, o que as compromete na qualidade, tornando-as cada vez mais inviáveis em seu custo-benefício para o leitor.

    Assim, o esperado envolvimento “intransigente” e engajado do público leitor pela editora torna-se mais uma utopia na invariável história editorial brasileira, além de institucionalizar a “culpa” do leitor na eterna crise desse mercado.

  • Samuel Amselem

    Concordo com essa questão da pirataria mas, não é assim que se combate; a redução de preços é um bom começo. Afinal, a qualidade dos scans não é tão boa, e, muitos leitores “old school” preferem ler revista (papel).
    Agora, quem fez a bobagem foi o advogado, que não se informou corretamente sobre o conteúdo do site, para poder aconselhar seu cliente, no caso a Panini.
    Panini você não contrata um advogado tributarista para fazer um divórcio, então o, mínimo que se espera de um advogado de uma editora de HQs é que ele tenha um mínimo de conhecimento em direitos autorais e universo geek, assim saberia mais sobre o guia dos quadrinhos, ou, logo até a Universo HQ irá receber uma notificação dessas, por conta dos reviews.