Veja a lista dos vencedores do Festival de Angoulême de 2019

Por Sérgio Codespoti
Data: 28 janeiro, 2019

A 46ª edição do Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, na França, aconteceu entre os dias 24 a 27 de janeiro de 2019.

Além de exposições, palestras e outros eventos ligados aos quadrinhos, são entregues diversos prêmios durante o festival.

Veja abaixo a lista oficial dos laureados, que engloba os lançamentos de 2018.

O vencedor do Grand Prix, o grande prêmio do Festival, foi Rumiko Takahashi, autora de mangás como Ranma 1/2 e Inu-Yasha. Também concorriam Emmanuel Guibert e Chris Ware.

Minha coisa favorita é monstro (Moi, ce que j’aime c’est les monstres), de Emil Ferris, publicada pela Monsieur Toussaint Louverture, ganhou o prêmio Fauve d’or, na categoria Melhor Álbum.

Les Rigoles, de Brecht Evens, da editora Actes Sud BD, faturou o Prêmio Especial do Júri.

Dansker, de Halfdan Pisket, da editora Presque Lune Éditions, venceu na categoria Prêmio de Série.

Ted, drôle de coco, de Emilie Gleason, da Atrabile, ganhou na categoria Revelação.

Le Prince et la Couturière, de Jen Wang, da editora Akileos, ganhou na categoria Juventude.

Les travaux d’Hercule (Os trabalhos de Hércules), de Gustave Doré, publicado pela Éditions 2024, venceu na categoria Patrimônio. Essa obra foi publicada originalmente em 1847.

VilleVermine – Tome 1, de Julien Lambert, da Sarbacane, faturou o Fauve Polar – SNCF (Categoria policial, patrocinada pelo Serviço Nacional Ferroviário da França).

Na categoria HQ Alternativa, o vencedor foi Experimentation, de Samandal.

O Prêmio de Roteiro 2019 – René Goscinny foi entregue ao veterano Pierre Christin, pelo álbum Est-Ouest, ilustrado por Philippe Aymond, e publicado pela Air Libre.

E, para encerrar, o Prêmio Konishi, para tradução de mangás em francês, ficou com Thibaud Desbief, que traduziu Dead Dead Demon’s Dededede Destruction, obra de Inio Asano, lançada pela editora Kana.

Durante os dias do evento também foi realizada a entrega do Prêmio do Júri Ecumênico, que não faz parte da agenda oficial do Festival, e ficou com o álbum Carolina, dos brasileiros Sirlene Barbosa e João Pinheiro Barbosa, publicado na França pela Presque Luna, e no Brasil pela Veneta.

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Natanael Floripes

    Rumiko Takahashi certamente mereceu muito o prêmio. Ainda tenho esperança de ver Maison Ikkoku e Urusei Yatsura (2 grandes obras delas) publcadas no Brasil.

    • Dyel Dimmestri

      Concordo plenamente! Também espero que alguma editora se mexa, e traga estas duas séries. Para muitos, Maison Ikkoku é a Obra – Prima de Rumiko Takahashi, mais até do que Ranma 1/2 ou Urusei Yatsura.
      E quanto a Urusei Yatsura, até hoje, é uma lástima que apenas os primeiros 13 episódios da série foram exibidos na TV brasileira.
      E, quanto aos demais vencedores do Festival, espero que as editoras brasileiras tragam estes titulos para cá. O único vencedor que já está confirmado no Brasil, é Minha Coisa Favorita é Monstro, de autoria de Emil Ferris, que teve seu lançamento reprogamado para Abril de 2019, pela editora Quadrinhos na Cia.

    • stefanobahia

      pode crer !

  • Dyel Dimmestri

    Fico só pensando como vai ser o poster oficial do Festival de Angouleme de 2020… Pois, como se sabe, o(a) vencedor(a) do Grand Prix, contemplado pelo conjunto da obra, é convidado a fazer o Poster Oficial, além de receber a Honra Máxima: Ser o(a) Presidente do Júri Oficial do Festival!!
    Dos três presidentes desta edição,que também fizeram os Posters Oficiais, um feito inédito na história do Festival, uma é a menos conhecida do público brasileiro:Bernardette Despres. Sua criação mais famosa foi a série de HQ infanto juvenil TON TON ET NANA. essa série, criada nos anos 1970,conta as aventuras de um casal de irmãos bastante vivos e irriquetos, Ton Ton, o mais velho, e Nana, a mais nova. Eles aprontam várias confusões, para desespero de seus pais, que são proprietários de um restaurante.
    Já, Richard Corben, criador do Den, e Tayou Matsumoto, criador da série de mangá Preto & Branco(Tekkokinkrett), dispensam apresentações.

  • stefanobahia

    Rumiko Takahashi, a imperatriz dos quadrinhos (mangá também é hq). É a quadrinista que + vende volumes a nível global !