WMF Martins Fontes lança biografia em quadrinhos de Rosa Luxemburgo

Por Marcelo Naranjo
Data: 9 outubro, 2017

Rosa Luxemburgo foi uma das maiores intelectuais do pensamento socialista. Mas foi muito mais que uma simples pensadora. Fez-se ouvir num mundo avesso às vozes de mulheres fortes. Superou a enfermidade física e o preconceito que sofria por ser judia e tornou-se uma revolucionária ativa, cuja filosofia preencheu todas as facetas de uma vida produtiva e criativa.

Nesta biografia em quadrinhos, a escritora e desenhista Kate Evans torna acessível o mundo intelectual de Rosa Luxemburgo, evidenciando o elo entre suas ideias e as realidades de uma vida inspiradora e comovente.

A edição brasileira de Rosa Vermelha (formato 25,30 x 18 cm, 228 páginas, R$ 44,90) conta com apresentação de Isabel Loureira, autora de Rosa Luxemburgo e o dilema da ação revolucionária (Unesp). O título é um lançamento da editora WMF Martins Fontes.

Rosa Vermelha

• Outros artigos escritos por

.

  • Rafhael Victor

    Pensadora socialista, mas com quadrinho que custa dinheiro.

    • Wagner Ferreira

      E daí? Queria que fosse ofertado graciosamente???

      • Tion

        Claro, ué

        • Iramir Alves Araujo

          Por que? Você é socialista e oferta os seus trabalhos?

      • Daniel Nunes da Silva

        Pensadora socialista? Uma condição exclui a outra!

        • Marcelo Pereira

          Estamos aguardando quadrinhos dos pensadores de Direita. Existe algum?

        • Marcelo Pereira

          Disse o cara com o avatar de goku

    • 0-Drix

      “Pensadora socialista, mas com quadrinho que custa dinheiro”, porque se trata de trabalho humano transformado em valor sob a forma de mercadoria, numa sistema econômico capitalista. Simples assim.

      • Daniel Nunes da Silva

        Porque se fosse num sistema econômico socialista seriam encadernados por trabalhadores semi-escravizados, espicaçados por guardas do partido, enquanto o trabalho é remunerado com um gole de água suja e um punhado escuro e insuficiente de arroz.

        • 0-Drix

          Kkkkkkk! Isso que vc está descrevendo é o modo de produção capitalista! Ou você não sabe o motivo dos seus encadernados de luxo da Panini serem tão em conta?

          • Daniel Nunes da Silva

            Graças ao modo de produção capitalista você pode digitar a sua opinião num PC sul-coreano, dentro de uma Starbucks na Av. Paulista com o seu encadernado do Tio Patinhas impresso pelo suor chinês na mochila. Se o bolivarianismo já tivesse triunfado no Brasil, você é que estaria suando pra imprimir encadernados para chinês ler, alimentando-se miseravelmente , preocupado em fazer escambo com os seus velhos gibis por um rolo de papel higiênico. Simples assim.

          • Dimas Mützenberg

            Daniel. Que bom que você (e eu) pode digitar num PC sul-coreano, tomar café no Starbucks, etc, etc. Mas olha a realidade ao teu redor e talvez você tenha a surpresa de ver a situação desumana de um povo que já se alimenta miseravelmente, faz escambo por rolo de papel higiênico e trabalha em regime de semi-escravidão sem precisar do “bolivarianismo já triunfante no Brasil” (não sei de onde surge essas ideias).
            Tudo de bom e dá uma chance ao quadrinho da matéria. Talvez dê pra jogar luz em coisas que ainda permanecem no escuro. Abraço.

      • Mr_MiracleMan_Jr

        – Marx
        + Mises

        • 0-Drix

          Mises é tããão importante que nunca entrou em qualquer livro de Economia Política ou de H.P.E. Nenhum liberal que se prese, leba este vagabundo do Mises a sério! Mais ciência e menos ideologia!

    • Mr_MiracleMan_Jr

      Hehe

  • Marquito Maia

    Esse Daniel da Silva deve ser um desses que sofre da síndrome de “escravo amante o chicote”! Tsc, tsc, tsc…

    • Daniel Nunes da Silva

      Marquito Maia você é um analfabeto funcional. Seu discurso não tem a menor concatenação lógica.

      • Marquito Maia

        Rosa Luxemburgo escreveu: “Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem”. Daí, não fica indignado, não mexe um dedo, não deseja mudanças etc., ou seja, se torna uma pessoa como o Daniel, um “escravo amante do chicote”!
        Aliás, depois de ler “Se o bolivarianismo já tivesse triunfado no Brasil”, já vi que se trata de mais um representante da “direita hidrófoba”. O mais triste de tudo é saber que esse tipo de gente é a grande maioria na República de Banânia. >sigh<

        • Daniel Nunes da Silva

          Bom mesmo é tornar-se “amante do tacão stalinista”, a exemplo do Marquito Maia. Se está cansado da honrada população da República Federativa do Brasil, a Venezuela é aqui ao lado, que tal desfrutar as benesses do maravilhoso sistema democrático venezuelano? Talvez seja um pouco mais complicado conseguir consumir quadrinhos imperialistas…boa sorte!

          • Marcelo Pereira

            Desculpa interromper o colóquio banânico, mas sabia que o GÁS DE COZINHA aumenta mais vez amanhã? Cortesia dos heróis dos verde amarelos e patinhos. Contra IMBECIS e seus palavrórios de senso comum, só um pouco de REALIDADE.

          • Daniel Nunes da Silva

            Mais um gênio canhoto! Não tenho tempo pra aulas gratuitas. Leia menos gibis e mais Edmund Burke, caso contrário, boa viagem pra Caracas!

          • Marquito Maia

            Ufa, ainda bem que lhe falta tempo para aulas gratuitas! A República de Banânia não precisa de mais gente conservadora (e, bem provavelmente, admiradora do esquema “Casa Grande e Senzala”).
            Ah, e só pra constar: abomino qualquer tipo de ditadura, então estou longe de compactuar com monstros como o Maduro e afins.

  • Thiago

    Ótimo Quadrinho, adorei. Além de contar a historia desta grande mulher, da um panorama por uma perspectiva diferente sobre a conjuntura politica mundial e na Alemanha antes e durante a 1 guerra mundial (inicio do séc XX)…

  • Gabriel

    Vou atrás dessa edição pra aprender mais sobre essa personagem fascinante.