Confins do Universo 082 – Foi graças aos quadrinhos

Por Samir Naliato
Data: 24 julho, 2019

A vida segue seu curso de acordo com as decisões que tomamos. E quais caminhos ela pode tomar quando o simples fato de gostar de quadrinhos entra na equação?

Neste episódio do Confins do Universo, relembramos como as histórias em quadrinhos influenciaram nossa vida pessoal e profissional, experiências únicas que possivelmente não viriam de outra maneira. Pessoas que conhecemos, viagens que fizemos, trabalhos que realizamos e casos engraçados que tornaram toda essa jornada mais especial!

E ainda: erros de gravação!

Confins do Universo 082 – Foi graças aos quadrinhos

.

Participantes

_____________________________________________________________

Comentado neste programa

_____________________________________________________________

Contato

Envie a sua mensagem com sugestões, elogios ou críticas: podcast@universohq.com
Mensagem de voz via Whatsapp para (11) 94583-5989
Redes sociais: Twitter – Facebook – InstagramGoogle+Youtube

_____________________________________________________________

Assine o Confins do Universo

Feed RSS – http://podcast.universohq.com/feed/
iTunes Store
Spotify

_____________________________________________________________

Confins do Universo em vídeo

Canal do Universo HQ no YouTube

_____________________________________________________________

Edição e Sonorização

O Confins do Universo é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

_____________________________________________________________

Narração de abertura e encerramento

Guilherme Briggs – Twitter – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Logotipo

Damasio Neto – Facebook – Instagram

_____________________________________________________________

Ilustração do Confins do Universo

Daniel Brandão (versão 1) – Twitter – Facebook – Site Oficial
Vitor Cafaggi (versão 2) – Twitter – Facebook – Instagram

Confins do Universo, por Vitor Cafaggi

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Ronald Teixeira Martins

    Que maravilha! Aproveitando, segue a minha colaboração: foi graças aos quadrinhos que eu tomei gosto por desenho e hoje atuo como ilustrador profissional. Não tem coisa melhor do que viver de algo que você ama fazer, e devo isso ao meu amor pela nona arte!

  • Diego Moreno Gomes

    O Imdb está atrasado… o Sidney agora também tem cameo de florista num certo filme! rsrs Precisa cobrar os caras pra atualizar! :)

  • Lederly Mendonça

    Foi graças aos quadrinhos que eu conheci o Sidão, que fui convidado a participar do MSP Novos 50, depois convidado para o álbum Mônica(s)… Foi graças aos quadrinhos que eu pude evoluir cada vez mais, a ter o Sidão sempre dando uma dica valiosa de como melhorar! Foi graças aos quadrinhos que pude conviver com esse cara fantástico, que mesmo tendo mil coisas para fazer durante todos os seus dias, ainda arranjava tempo para dar algumas palavras de incentivo e orientação. E graças aos quadrinhos e ao Sidney Gusman, que hoje sou um feliz roteirista da Turma da Mônica. Que Deus lhe ilumine sempre, Sidão!!

    • Sidney Gusman

      Que é isso, Lederly! Grato pelas palavras!

  • Felipe Lima

    Foi graças aos quadrinhos que eu fiquei mais pobre.

    • lcmpereira .

      Eu também

  • Glaydson Melo

    Ouvindo o podcast, parafraseio o dito do poeta Neymar: saudades do que não vivi. Ótimas histórias, sensacional!

  • sergio reis

    Puta que pariu….bom demais este episódio(no mesmo nível de tradução 1,HQs Bonelli!)!tô no quadragésimo minuto!baixei,abri aqui a área de comentário pra dizer:vcs fazem o melhor podcast da podosfera!o bate-papo informal,mas afinado, é muito bom! parabéns!

  • romfreire

    Graças aos quadrinhos hoje eu trabalho apenas FAZENDO quadrinhos.

  • romfreire

    Em 2014, durante a 8ª Feira do Livro aqui em São Luís-MA, Sidney Gusman me reconheceu quando fui pedir a ele que autografasse minha edição de PITECO – INGÁ. Tá vendo? Sou famosão também…:)

  • santista

    É muito legal conhecer essas histórias pessoais envolvendo tanta gente bacana da nona arte. Vida longa e muitas interações com esse Universo maravilhoso.

  • Cap. Ninja

    Esse foi um episódio muito bom, parabéns

  • Rogerio Araujo Ferreira

    Conheci o Sidney aqui em Goiânia por causa dos quadrinhos he he. Já valeu muito a pena. Fantástica figura e ser humano.

  • Que maneiro ouvir essas histórias que, em alguns pontos, se assemelham tanto a de praticamente todo fã de quadrinhos. Uma das maiores motivações para eu querer aprender logo a ler lá com meus 5 / 6 anos (se bem que só aprendi mesmo aos 7) era pra poder ler “sozinho” os gibis da Mônica que minha tia tinha me dado.
    O sonho de ser desenhista de histórias em quadrinhos aliás surgiu ali, que era a minha resposta para a pergunta “o que você quer ser quando crescer”.
    O mais legal é que trabalhar produzindo conteúdo pra crianças faz a gente nem precisar crescer de verdade.
    Quanto aos quadrinhos lá da minha infância.. A coleção tá muito bem guardada só esperando o herdeiro ter idade pra apreciá-la. Ah, sim, e continua sendo alimentada mensalmente!

  • Glauber Lopes da Nóbrega

    Graças aos quadrinhos, como disse o Naranjo, nunca tive problemas com ditados e redações. Sou professor de inglês e as HQs muito me auxiliaram no aprendizado da língua.

    Ao final da minha 1a graduação, em Letras-Tradução na Universidade de Brasília, traduzi 3 edições de Gen 13 e 2 de The Dreaming como projeto final do curso. Minha dissertação de Mestrado em Estudos da Tradução teve como base a tradução de tiras em quadrinhos tendo a cultura pop como pano de fundo.

    Ano passado, tive a oportunidade de fazer um curso de especialização de ensino de língua inglesa no Arkansas, EUA, e minha apresentação final foi um seminário no qual apresentei tiras da Turma da Mônica em inglês como fonte de várias atividades para o ensino da língua. Além disso, ministrei uma palestra em uma escola de ensino fundamental mostrando a importância da Turma da Mônica para a cultura brasileira, citando a Turminha, a Turma Jovem, as Graphics MSP e mostrando vídeos de Monica Toy (tanto a apresentação quanto a palestra foram um sucesso).

    Participo de um grupo de leitura de obras quadrinísticas em Brasília: a cada mês lemos HQs e as discutimos, muitas vezes em um bar daqui, em bate papos bem parecidos com os do Confins do Universo.

    Toda vez que encontro Sidney Guzman nas CCXPs e outros eventos por aí, ele é de uma extrema simpatia. Sorri e dá atenção a todo e qualquer fã.

    No Festival Guia dos Quadrinhos em abril último, levei um bom papo com o Marcelo Naranjo na fila esperando o desenho e autógrafo do italiano Francesco Guerrini. Como ele tinha que mediar o painel do Batman, deixei ele passar na minha frente da fila (prioridades, né? E foi um excelente painel).

    Estive presente em todos os paineis da CCXP por vocês neste episódio do Confins e sei que vocês mandam bem pra caramba. Conheci o podcast há poucos meses e me viciei nele. Continuem o excelente trabalho. Contem com minha colaboração mensal…

    • Marcelo Naranjo

      KKKKK sobre a fila, valeu mesmo! E muito bacana sua história!

  • Digo Freitas

    Excelente episódio! Só tenho a agradecer aos quadrinhos, porque hoje devo TUDO a eles. Amizades, experiências, viagens, momentos épicos…

    Ter começado a ler e fazer quadrinhos me permitiu conhecer os primeiros editores do meu primeiro mangá, Dragon Ball, Sidão e Cassius, e participado de rodas de conversa num bar com os dois mais de uma vez. Conhecer e bater um papo com o Scott McCloud na CCXP, ter ganhado uma página original da DC por ajudar o Bernard Chang com os fãs num FestComix, conhecer o Guilherme Briggs no JundComics, ver a lenda Maurício de Sousa de perto, assistido um standup do Ziraldo num HQMIX (com Laerte e Angeli sempre por lá), ter cruzado com o Romita Jr na saída da CCXP 2018… Muita coisa boa pra lembrar.
    Ter feito parte dessa homenagem ao Sidão que virou o livro também foi muito legal. Sempre dá um quentinho no coração ver que esse presente marcou tanto sua trajetória.
    Agora estou focando nos quadrinhos e ilustração 100% como carreira, então será ainda mais importante daqui pra frente.

    E que venham mais momentos incríveis!

  • Mateus Menezes

    Mais um grande episódio desse que é um dos meus Podcasts preferidos, gostaria de sugerir um episódio dedicado a indicações de livros teóricos e documentários sobre nossa tão amada nona arte. Um abraço!

  • fabiano lima

    Este programa foi muito bom bom, é tocante as experiências que passamos com a leitura de quadrinhos, os lugares onde passamos, as pessoas com quem convivemos neste universo. O relato do ouvinte que passou por barra pesadíssima com sua família e encontrou conforto ouvindo uma edição deste podcast já valeria a edição do Confins e a cereja no bolo desta vez foi Samir xingando o Diego pelo pênalti batido bisonhamente num jogo recente do seu Flamengo.

  • fabiano lima

    E esperando a publicação da Hq Naropolis