Stan Lee: ninguém me avisou que ele não era imortal

Por Marcus Ramone
Data: 13 novembro, 2018

O mal de todo ídolo (seja da literatura, da música, do futebol ou de qualquer área do entretenimento e da própria vida) parece ser o de, inadvertidamente, nos enganar. Afinal, ele sempre nos faz crer que é imortal e costumamos acreditar – porque nos faz bem saber que ele estará nos dando alegrias durante toda a nossa vida.

Stan Lee, durante seus 95 anos de vívida atuação nos quadrinhos, aparições frequentes em eventos de fãs de HQs e nos filmes da Marvel – sem contar as ocasionais voltas momentâneas à atividade de roteirista, nos anos após sua “aposentadoria” – foi um desses ídolos que, por esses motivos, emitiu um atestado público de sua imortalidade.

Tanto que a inevitabilidade da morte e a ciência desse acontecimento final na passagem de qualquer ser humano por este planeta jamais me fez parar para pensar que esse senhor tão idoso já estava perto de nos deixar. Por mais ilógico que possa parecer, foi uma horrível surpresa receber a notícia da morte de Stan “The Man” Lee, o último dos autores da Era de Ouro dos quadrinhos, que, mais do que ainda presente entre nós, vivia profissional e espiritualmente ativo nos gibis, na TV e no cinema.

Stan acabou de entrar em minha lista de frustrações por não tê-lo conhecido pessoalmente. Como ele viveria para sempre, acreditei que algum dia eu teria essa oportunidade, de acordo com meus planos para os próximos anos.

Há muito tempo já sei o que eu diria se pudesse conversar com Stan, frente a frente. Antes de tudo, agradeceria por ele, mesmo sem saber, ter sido um dos responsáveis por minha infância alegre e divertida e por, até hoje, eu levar comigo parte dessa infância. Diria, também, que meu super-herói preferido, o Homem-Aranha, ajudou a moldar meu caráter, ao ponto de muitas vezes, nas tribulações da adolescência, diante de um problema de ordem moral, eu perguntar a mim mesmo “o que Peter Parker faria se estivesse em meu lugar?”.

Rindo de suas tiradas espirituosas, alegrando-me por suas conquistas, solidarizando-me com seus problemas e suas dores e entristecendo-me por seus deslizes ou polêmicas negativas, cresci tendo Stan Lee sempre ao meu alcance. Talvez, por isso, fiquei tão triste e desconsolado, quase sem acreditar em seu passamento. Senti o mesmo por outros ídolos que se foram. E se eles me fizeram despertar esse sentimento, é porque foram bons para mim, independentemente do que tenham feito de certo ou errado em sua vida.

Vai ser difícil assistir aos próximos filmes da Marvel e não procurar aquele senhor de cabelo e bigode brancos fazendo sua tradicional e divertida ponta. Mais difícil ainda vai ser procurá-lo e não sentir aquele nó na garganta por não encontrá-lo mais. Porque, no dia 12 de novembro de 2018, foi revelado, da maneira que ninguém gostaria de saber, que Stan Lee não era imortal.

Mas, ao menos, descobrimos que agora ele é eterno. Finalmente, poderei, sim, conversar com ele, algum dia.

Excelsior!

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Gonçalo

    Lindo texto, meu velho. Mas eu daria uma sugestão aos produtores dos próximos filmes: enfiarem uma foto dele em algum canto.

    • Marcus Ramone

      Boa! A tradição não pode parar. Será sempre muito bom ver o velho Stan nos filmes.

    • CadoCal

      Eles podem por o Stan em cena de vários modos.Batalha numa loja de departamentos:um manequim com a cara dele.Cena de rua:um ônibus passa com um anúncio dizendo que o Stan vai fazer uma palestra sobre HQs.Fachada de um teatro:um cartaz anuncia um show de mágica e claro,o mago será ele.As possibilidades são muitas,é só usar a imaginação!

  • Fernando Neu

    Que homenagem bonita… é a mais dura verdade, nao existem imortalidade, por mais obvio que pareca, o sentimento, por mais diatante que possamos estar de um idolo, sentimos que somos amigos, parte da familia. Sempre dificil perder alguem tao representativo e que junto com muitos outros, foram formadores de carater e impulsionadores de uma comunidade hoje taongrande chamada de NERDS.
    Me orgulho de ser parte da familia Stan Lee, e me orgulho de ser Nerd!
    Descanse em paz meu amigo.
    Ate uma próxima.

  • Stephan
  • James Howllet

    Demais mesmo essas palavras, Ramone. Tocante, reverente e sincera como poucas.

    Parabéns.

  • FINASTERIDO

    Como um ser que criou tantos universos pode não ser imortal? Stan é imortal. É o cara que recebeu os grandes poderes e entendeu sua grande responsabilidade: invadir corações e mentes mundo afora com um turbilhão de aventuras, personagens e situações inesquecíveis, que serviram para inspirar gerações, o que continuará acontecendo. Um homem capaz de criar e alimentar universos…. caras… isso é para bem poucos.

    Portanto, pensar na figura física é não prestar atenção que entre os poderes de Stan, está a onipresença. Pegue agora uma velha edição do Aranha, do Hulk, do Thor e lá está ele; pegue um de seus bonecos de super-herois na estante da sua casa… e o velho Stan está nele; veja um desenho qualquer dos Vingadores, seja dos anos 60, 70, 80, 90 ou atual… o Excelsior esta em cada episódio; veja um seriado do Hulk dos anos 70, ou o do Demolidor atual do Netflix…. Stan de novo; no cinema então… ele além de estar em cada cena de luta, ou de solidão dos personagens como Peter Parker ou Tony Stark, ainda aparece na forma de um velhinho sorridente por alguns segundos, no melhor estilo Alfred Hitchock.

    Por tudo isso, não me prendo de maneira alguma à parte física do mega Stan. Pois, este poder inigualável da onipresença faz com que ele já estivesse presente em nossa infância, depois em nossa adolescência, e mais tarde em muitas ocasiões durante nossa vida. É como aquelas histórias em que só nos damos conta de que o personagem já estava lá, desde os primeiros minutos de exibição, desde as primeiras páginas de um livro, com o tempo. E assim será… pois Stan fez, faz e fará parte de nossas vidas para sempre.

    • Marcus Ramone

      Por isso ele é eterno.

      • FINASTERIDO

        huhum… sim… eterno… mas para mim ele sempre foi, desde que eu era criança. Não descobri isso agora. Por isso essa questão física para mim é irrelevante. Mas enfim, gostei de seu texto e ponto de vista. Apenas expressei meu modo de ver as coisas. Abraço!

  • Cassiano Cordeiro Alves

    Marcus Ramone, que baita texto! Digno do Mestre Stan! Estou aqui contendo as lágrimas! Parabéns!

  • Stefano Barbosa

    sabiam que outro grande nome do gibi fez cameos antes de Stan Lee ? Shotaro Ishinomori, nas séries de Kamen Rider…

    • Dyel Dimmestri

      Sabe duma? Essa sua informação é bastante oportuna… Assim como Osamu Tezuka é considerado o “Walt Disney japonês”, Shotaro Ishinomori é considerado o “Stan Lee japonês”… Boa parte de sua fama repousa sobre as diversas séries Tokusatsu que ele bolou. Além disso, em seus mangás ele apresentava super heróis atormentados e, em alguns casos, dotados de lapsos morais ou falhas de caráter.
      E, vejam vocês, que coincidência fantástica… No mesmo mês em que Stan Lee morre, comemoramos o aniversário de 90 anos de Osamu Tezuka, se ele estivesse vivo…

      • Stefano Barbosa

        verdade !!!!

  • Gustavo Nascimento

    Bela homenagem! Hoje em dia tem uma galera chata que tenta tirar um pouco o mérito dele. Todo mundo sabe ( ou devia saber) que não criou tudo sozinho, mas tem um pouquinho dele em todas as coisas boas da Marvel, sempre lutou pra que os quadrinhos da Marvel não fossem apenas algo de nicho e finalmente conquistassem o mainstream, e felizmente viveu pra ver isso. Além das seus personagens,vou sempre admirar nele a chama paixão pelas suas crias que manteve viva até o fim da vida. Será pra sempre o verdadeiro “amigão da vizinhança”!

  • Nibiru_son

    Nosso espírito é imortal. Um dia vc terá essa oportunidade de conhecê-lo do outro lado. Essa carcaça nossa não foi feita pra durar muito. Ela é adequada à nossa missão aqui.
    Trabalho feito, hora de voltar.

  • É exatamente assim que estou me sentindo, Ramone!

  • Crivelari

    Belo texto, Marcus. É exatamente assim que nos sentimos em relação aos nossos ídolos. Mesmo sem conhecer Stan Lee pessoalmente, a gente fica feliz apenas por saber que ele está vivendo no mesmo mundo que nós. Com sua partida, fica uma tristeza imensa ao vermos que sua passagem por aqui chegou ao fim e nada será como antes.

  • Excelente texto, meu amigo. Eu ainda não acredito. Agora que o Bowie e o Lee se foram, o que nos resta? :(

  • santos

    Com grandes partidas vêm grandes saudades.

  • Leandro Carlos

    Um longo e carinhoso abraço no mestre Stan, que vá e descanse em paz 😔