100 Balas – Volume 3 – Laços de Sangue

Por Lielson Zeni
Data: 19 março, 2010

100 Balas - Volume 3 - Laços de SangueEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Brian Azzarello (roteiro), Eduardo Risso (arte) e Patricia Mulvihill (cores) – Originalmente publicado em 100 Bullets – Vol. 3 – Hang up on the hang low.

Preço: R$ 16,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Fevereiro de 2010

Sinopse

Louis Hughes, mais conhecido como Loop, um jovem que nunca conheceu seu pai, recebe uma maleta com uma arma e 100 balas não rastreáveis do enigmático agente Graves.

Positivo/Negativo

Quando a Panini conseguiu os direitos de publicação do selo Vertigo, os leitores aguardavam qual seria o rumo que a editora daria ao material de 100 Balas.

Este encadernado surge como resposta: a série continua de onde parou, mais de um ano atrás, na editora anterior, a Pixel. A publicação de 100 Balas não chega a ser “maldita”, como a de Preacher (cujo final em português, durante anos, pareceu impossível), ou esculhambada, como a de Hellblazer, mas que tem seus perrengues, isso tem.

A extinta Opera Graphica começou a publicar a série em revistas mensais. Foi com esse modelo até a edição 36. A partir daí, lançou os sexto, sétimo e oitavo encadernados da série, que é composta por 13 volumes nos Estados Unidos. E lançou outros três álbuns correspondentes ao começo de 100 Balas.

Graças a alguns problemas de impressão e uma tradução que deixou a desejar na Opera Graphica, sem falar no alto preço dos álbuns, a Pixel resolveu começar toda a série novamente. Publicou edições especiais com o correspondente às 15 primeiras edições. 100 Balas – Laços de Sangue contém os números # 15 a # 19, já publicadas no Brasil em revistas mensais pela Opera Graphica e, em parte, pela Pixel – a edição 15 saiu em Parlez Kung Vous – Parte 2.

O leitor que optar por acompanhar as edições anteriores da série deve atentar para o seguinte: Laços de Sangue estampa um Volume 3 na capa (pois corresponde ao terceiro encadernado original da série). No entanto, há três álbuns anteriores da Opera Graphica: Atire primeiro, pergunte depois (edições # 1 a # 5), Frio como sorvete (# 6 a # 10) e Parlez Kung Vous (edições # 11 a # 14).

Se o leitor preferir acompanhar pelas edições da Pixel, a ordem de leitura é: Atire primeiro, pergunte depois, Tiro pela culatra, Pequenos vigaristas, grandes negócios, Dia, hora, minute… man, Parlez kung vous – Parte 1 e Parlez kung vous – parte 2.

Lembrando que a Pixel lançou o encadernado Atire primeiro…, reunindo Atire primeiro, pergunte depois e Tiro pela culatra.

Apesar de toda essa confusão editorial, a série é muito bem escrita por Brian Azzarello e magistralmente desenhada por Eduardo Risso. Por isso, vale o empenho. O arco Laços de sangue ganhou o prêmio Eisner, embora não se veja razão para isso.

A narrativa tem seus méritos, mas por que premiar este arco e não algum anterior é uma incógnita. A série é sempre em alto nível e esta edição, apesar de atestar isso, não é seu ponto alto.

100 Balas se passa em cenários urbanos, com enredos que tratam de malandragem das ruas, crimes, golpes e mistérios. Muita ação e segredos a revelar marcam a série.

Os diálogos e as ações da trama de Azzarello são afiadíssimos e a narrativa visual de Eduardo Risso, tanto nos enquadramentos, quanto nas transições é excelente.

A Panini acertou na mosca ao fazer uma edição caprichada, mas sem luxos, permitindo um preço bastante honesto e atraindo leitores para uma história que merece ser lida e apreciada.

Classificação

• Outros artigos escritos por

.

.

.